Abrir menu principal
Amalafrida
Rainha vândala
Reinado 500523
Cônjuge Trasamundo
Descendência Teodato
Amalaberga
Dinastia dos Amalos
Nascimento século V
Morte Entre 523-527
Pai Teodomiro
Mãe Ereleuva

Amalafrida, também referida como Amalafrig(i)da na fragmentada crônica de Anônimo Valesiano, foi uma nobre gótica dos séculos V e VI, ativa no Reino Ostrogótico e no Reino Vândalo.

VidaEditar

 
Denário de Trasamundo (r. 496–523)

Amalafrida era filha do rei ostrogótico Teodomiro (r. 465–474) com sua esposa Erelieva e era irmã do futuro rei Teodorico, o Grande (r. 474–526). Apesar de sua primeira citação pelo nome ser posterior, os historiadores suspeitam que Amalafrida seja a irmã de nome desconhecido de Teodorico que estava em companhia da imperatriz bizantina Ariadne (r. 474–515) nos últimos anos do século V. Ela teria sido enviada para Constantinopla pelo imperador Zenão I (r. 474–475; 476–491) para evitar que seu irmão atacasse a capital imperial.[1]

Sabe-se que por esta época Amalafrida era casada com um homem de nome desconhecido com quem teve o futuro rei Teodato (r. 534–536) e sua irmã Amalaberga. Com a morte de seu marido em 500, Teodorico arranjou uma aliança mediante matrimônio com o rei vândalo Trasamundo (r. 496–523).[1] Ela dirigiu-se para a capital vândala Cartago com um grande dote, bem como alegadas 1 000 nobres e 5 000 tropas góticas.[2][3] Com a morte de Trasamundo em 523, o sucessor dele Hilderico (r. 523–530) emitiu ordens para o retorno de todos os bispos católicos do exílio, inclusive Bonifácio, um declarado ortodoxo da igreja cristã africana.[4]

Em resposta, Amalafrida chefiou um partido de revolta. Ela convocou os mouros e dirigiu-se para Bizácio. Um confronto armado ocorreu próximo a Capsa, cerca de 480 km ao sul da capital, na borda do deserto da Líbia.[4] A rainha foi capturada, seu partido foi derrotado e suas tropas góticas foram destruídas. Ela morreria em cativeiro, embora a data seja desconhecida. Sabe-se, no entanto, que por 527, ela já estava morta.[5]

Referências

  1. a b Martindale 1980, p. 63.
  2. Heather 1996, p. 231.
  3. Hodgkin 1896, p. 321.
  4. a b Hodgkin 1896, p. 587-590.
  5. Martindale 1980, p. 64.

BibliografiaEditar

  • Hodgkin, Thomas (1896). Italy and Her Invaders: The Ostrogothic invasion. Oxford: Clarendon Press 
  • Martindale, J. R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1980). The prosopography of the later Roman Empire - Volume 2. A. D. 395 - 527. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press