Abrir menu principal
Absolute Friends
Amigos até ao fim (PT)
Amigos Absolutos (BR)
Autor(es) John le Carré
Idioma Inglês
País  Reino Unido
Gênero Romance de espionagem
Editora Hodder & Stoughton
Lançamento 2003
Páginas 383
ISBN 0-340-83287-8
Edição portuguesa
Editora Dom Quixote
Lançamento 2004
Páginas 422
ISBN 9789722027236
Edição brasileira
Editora Record
Lançamento 2005
Páginas 417
ISBN 978-8501071927
Cronologia
The Constant Gardener
The Mission Song

Absolute Friends (Amigos Absolutos BRA ou Amigos até ao fim PRT) é um romance escrito pelo britânico John le Carré, e publicado em 2003.[1] O escritor, especializado em temas relacionados aos serviços secretos do Reino Unido e dos Estados Unidos, aborda mais uma vez as turvas relações entre os serviços secretos das potências democráticas, através da história de Ted Mundy e Sasha, os amigos absolutos.[2] Foi uma obra muito criticada pelos governos do Reino Unido e dos Estados Unidos.

EnredoEditar

  Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

O livro conta a história de Ted Mundy, um britânico nascido no Paquistão, e de Sasha, um alemão ocidental anarquista - os amigos absolutos. Nos anos 1960, envolvem-se nos estudantes radicais em Berlim Ocidental, mas a supressão divide as suas vidas. Ted torna-se professor de Inglês quando deportado da Alemanha, e Sasha é membro da polícia secreta Stasi Cruzam-se novamente num teatro na Alemanha de Leste, quando Sasha, desiludido com o comunismo, se decide tornar um agente duplo, confiando apenas no seu velho amigo Ted Mundy, que se deixa também tornar agente duplo.[3] O objectivo é passar segredos de Estado da Alemanha Oriental para o Ocidente,[4] em esforços que acabam por ser um contributo para o colapso da RDA e a queda do muro de Berlim.[3]

Mais tarde, Sasha e Mundy, participam em esquemas grandiosos para combater militares americanos e globalização industrial. Ambos se tornam peões ideológicos do grupo contra o qual pensavam lutar, e acabam por ser assassinados, rotulados de terroristas ligados à Al-Qaeda. Pretendia-se assim convencer os governantes europeus a dar apoio aos Estados Unidos no combate ao terrorismo.[5]

  Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Referências

  1. «Absolute friends» (em inglês). Open Libraries. Consultado em 9 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2015 
  2. Robert McCrum (7 de Dezembro de 2003). «A master's voice» (em inglês). The Guardian. Consultado em 9 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2014 
  3. a b Gareth Rees (7 de Janeiro de 2010). «Absolute Friends» (em inglês). garethrees.org. Consultado em 9 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2015 
  4. Steven Poole (20 de Dezembro de 2003). «Spies and lies» (em inglês). The Guardian. Consultado em 9 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2015 
  5. Newton Carlos (22 de outubro de 2005). «Le Carré inclui Iraque em intriga de espionagem». Folha - UOL. Consultado em 30 de outubro de 2017