Ammotragus lervia

O Carneiro-da-barbária, arruí, ou aoudad (nome científico: Ammotragus lervia) é um capríneo encontrado em sua maioria nas áreas montanhosas do norte da África, existindo também na Espanha e nas Ilhas Canárias.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaCarneiro-da-Barbária
Barbary Sheep Tennoji.jpg
Estado de conservação
Espécie vulnerável
Vulnerável
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Bovidae
Subfamília: Caprinae
Género: Ammotragus
Blyth, 1840
Espécie: A. lervia
Nome binomial
Ammotragus lervia
(Pallas, 1777)
Distribuição geográfica
Mapa de distribuição do aoudad. Em vermelho indica a área nativa desta espécie enquanto que em rosa indica os lugares onde foi introduzida.
Mapa de distribuição do aoudad. Em vermelho indica a área nativa desta espécie enquanto que em rosa indica os lugares onde foi introduzida.

DescriçãoEditar

 
Uma fêmea da espécie. Foto de 2006.

O Carneiro-da-barbária mede normalmente 75 cm de altura no ombro, com um comprimento de cerca de 1,2 e pesa 65 kg. São castanho-arenosos, escurecendo com a idade, com o ventre ligeiramente mais claro e uma linha mais escura ao longo do dorso. As partes superiores e externas das pernas são de um marrom avermelhado ou acinzentado uniforme. Ambos os sexos possuem uma pelos longos na garganta que, nos machos, se estende pelo pescoço para cobrir o peito e as pernas dianteiras, formando uma juba rala. Seus chifres têm uma seção transversal triangular e se curvam para fora, sendo que nos machos os chifres são mais desenvolvidos, podendo chegar aos 80 cm de comprimento. Os chifres são bastante lisos, com ligeiras rugas evidentes na base à medida que o animal amadurece.[1]

DistribuiçãoEditar

Áreas de ocorrência naturalEditar

Os Carneiros-da-Barbária existem naturalmente no norte da África (Argélia, Tunísia, Egito, Líbia , Marrocos e Sudão) sendo que no Sudão, ficam a oeste do Nilo e nas colinas do Mar Vermelho a leste do Nilo, existindo também no norte do Chade, norte do Mali, Mauritânia e Níger.[2]

Áreas onde foi introduzidoEditar

 
Uma espécie no zoológico de Londres.

Populações dessa espécie foram introduzidas no sudeste da Espanha,[3] no sudoeste dos Estados Unidos[4] (especificamente nas montanhas Chinati no Rancho La Escalera, Parque Nacional das Montanhas Guadalupe, Palo Duro Canyon, Trans-Pecos e outras partes do Texas e Novo México), Ilha Niihau (Havaí), México e outras partes da África.[5] Se tornaram comuns em uma região limitada do sudeste da Espanha, desde sua introdução em 1970 no parque regional de Sierra Espuña como uma espécie de caça.[6] Sua adaptação permitiu que se extendesse por novas áreas próximas rapidamente, e fazendas de caça privadas forneciam outros centros de dispersão. A espécie está atualmente em expansão, de acordo com pesquisas de campo recentes, agora sendo encontrada nas províncias de Alicante, Almería, Granada e Múrcia.[7] Esta espécie é um competidor potencial dos ungulados nativos que habitam a Península Ibérica. A espécie também foi introduzida em La Palma (Ilhas Canárias), e se espalhou por todo o norte e centro da ilha, onde é uma séria ameaça à vegetação endêmica.[8]

TaxonomiaEditar

 
Um filhote da espécie.

Essa é a única espécie do gênero Ammotragus. Porém, alguns autores incluem a espécie no gênero Capra, juntamente com o gênero Ovis.[9] Espécies em especiação alopátrica são achadas em várias paradas do Norte da África, sendo seis subspécies são descritas:[10]

  • Ammotragus lervia lervia ; Pallas, 1777
  • Ammotragus lervia ornata ; I. Geoffroy Saint-Hilaire, 1827 (Conhecidos também com Carneiros-da-Barbária egípicios, foram considerados extintos na natureza, mas ainda encontradas no deserto oriental do Egito)[11][12]
  • Ammotragus lervia sahariensis ; Rothschild, 1913
  • Ammotragus lervia blainei ; Rothschild, 1913
  • Ammotragus lervia angusi ; Rothschild, 1921
  • Ammotragus lervia fassini ; Lepri, 1930

BibliografiaEditar

  • WILSON, D. E., REEDER, D. M. eds. (2005). Mammal Species of the World: A Taxonomic and Geographic Reference. 3ª ed. Johns Hopkins University Press, Baltimore, Maryland, 2.142 pp. 2 vol.
  • Antelope Specialist Group 1996. Ammotragus lervia. IUCN 2007 IUCN Red List of Threatened Species. Acessado em 25 de janeiro de 2008.

Referências

  1. «Carneiro da Barbária». Badoca. 12 de janeiro de 2018. Consultado em 27 de abril de 2021 
  2. «Mammal Species of the World - Browse: lervia». www.departments.bucknell.edu. Consultado em 29 de abril de 2021 
  3. Acevedo, Pelayo; Cassinello, Jorge; Hortal, Joaquín; Gortázar, Christian (2007). «Invasive exotic aoudad (Ammotragus lervia) as a major threat to native Iberian ibex (Capra pyrenaica): a habitat suitability model approach». Diversity and Distributions (em inglês) (5): 587–597. ISSN 1472-4642. doi:10.1111/j.1472-4642.2007.00374.x. Consultado em 29 de abril de 2021 
  4. Cassinello, Jorge (2018). «Misconception and mismanagement of invasive species: The paradoxical case of an alien ungulate in Spain». Conservation Letters (em inglês) (5): e12440. ISSN 1755-263X. doi:10.1111/conl.12440. Consultado em 29 de abril de 2021 
  5. Current Federal Aid Research Report: Wildlife (em inglês). [S.l.]: U.S. Fish & Wildlife Service, Division of Federal Aid. 1986 
  6. «Jagt i Spanien - Hunting in Spain - De Sierra Espuna». www.allanvester.dk. Consultado em 29 de abril de 2021 
  7. Cassinello, Jorge; Serrano, Emmanuel; Calabuig, Gustau; Pérez, Jesús M. (maio de 2004). «Range expansion of an exotic ungulate (Ammotragus lervia) in southern Spain: ecological and conservation concerns». Biodiversity and Conservation (5): 851–866. ISSN 0960-3115. doi:10.1023/b:bioc.0000014461.69034.78. Consultado em 29 de abril de 2021 
  8. Nogales, M.; Rodríguez‐Luengo, J. L.; Marrero, P. (2006). «Ecological effects and distribution of invasive non-native mammals on the Canary Islands». Mammal Review (em inglês) (1): 49–65. ISSN 1365-2907. doi:10.1111/j.1365-2907.2006.00077.x. Consultado em 29 de abril de 2021 
  9. «Mammal Species of the World - Browse: Capra». www.departments.bucknell.edu. Consultado em 29 de abril de 2021 
  10. «Mammal Species of the World - Browse: lervia». www.departments.bucknell.edu. Consultado em 29 de abril de 2021 
  11. Manlius, Nicolas; Menardi‐Noguera, Alessandro; Zboray, Andras (2003). «Decline of the Barbary sheep (Ammotragus lervia) in Egypt during the 20th century: literature review and recent observations». Journal of Zoology (em inglês) (4): 403–409. ISSN 1469-7998. doi:10.1017/S0952836902003394. Consultado em 29 de abril de 2021 
  12. Wacher, Tim; Din, Sherif Baha el; Mikhail, Gabriel; Din, Mindy Baha el (julho de 2002). «New observations of the 'extinct' Barbary sheep Ammotragus lervia ornata in Egypt». Oryx (em inglês) (3): 301–304. ISSN 1365-3008. doi:10.1017/S0030605302000534. Consultado em 29 de abril de 2021