Andanças de Ciganos

G.R.S.E.S Andanças de Ciganos
Fundação 16 de janeiro de 1976 (44 anos)
Cores
Azul
Vermelho
Branco
Símbolo Cigano
Bairro Cachoeirinha
Presidente Wilson Benayon Filho
Presidente de honra Édson Jaburu
Desfile de 2020
Enredo Leite: O líquido da vida no deleite do carnaval

O Grêmio Recreativo Social Escola de Samba Andanças de Ciganos é uma escola de samba da cidade de Manaus, no estado brasileiro do Amazonas. A escola foi criada na década de 1970, ainda como um bloco carnavalesco, e desde o início tinha um perfil universitário e familiar, com a proposta de realizar enredos politicamente engajados.[1] Seu bairro de origem, e onde está atualmente localizada sua quadra, é a Cachoeirinha.[2]

HistóriaEditar

A origem da Andanças de Ciganos remete ao Bloco do Macacão, criado em 1974.[2] Algumas fontes remetem ao seu ano de fundação como 1975.[1] Há divergências sobre se o Bloco apenas trocou de nome, ou se foi extinto, para a posterior criação da Andanças, mas o fato é que apenas em 1976 a agremiação adquiriu este nome, mas ainda como bloco.[2] Há divergências também quando à origem deste nome: uma das hipóteses é que seria uma referência ao fato de o bairro da Cachoeirinha, onde a escola foi fundada e mantém sua quadra, ter sido palco de acampamentos de ciganos, durante os anos 70. Outra hipótese é que seria uma referência, por parte de seus fundadores, à canção Andanças, famosa na época.[2]

A agremiação permaneceu como um bloco por um total de oito anos, vencendo os carnavais de 1976, 77, 78, 79 e 1980, e sendo vice-campeã em 1981 e 1982. Apenas em 1984 passou a desfilar com escola de samba,[2] ano em que foi campeã juntamente com outras três escolas. Após o cancelamento do Carnaval de 1991, a escola entrou em inatividade por seis anos, retornando aos desfiles apenas em 1998, no Grupo 1 da União Cultural.[2]

Durante os anos 2000, foi campeã do Grupo 1 em quatro oportunidades: 2000 (junto à outras três agremiações), 2003, 2005 e 2006[2], no entanto, o Carnaval de Manaus não possuía previsão de ascensão e rebaixamento.

Apenas em 2008, após o vice-campeonato do Grupo de Acesso, finalmente ascendeu ao Grupo Especial. Ficou em último lugar no ano seguinte, e após uma confusão jurídico-administrativa, em que tanto a Ciganos, quanto a Presidente Vargas discordavam dos critérios de ascensão e rebaixamento, ambas acabaram ficando de fora do Carnaval 2010.

Em 2011, a Andanças retornou a desfilar pelo Grupo Especial em 2011, porém acabou rebaixada. Dois anos depois, sagrou-se campeã do Grupo de Acesso A, ascendendo novamente.[3] Em 2014, junto a outras sete escolas, foi declarada campeã do Grupo Especial, já que não houve abertura das notas por decisão conjunta de todas as agremiações em razão de problemas ocorridos antes e durante os desfiles.[4]

No ano de 2015, levou para avenida a história do guerreiro manaó Ajuricaba, permanecendo na elite carnavalesca ao ficar em 7° lugar. Já em 2016, fechou os desfiles falando da divina criação da luz e a formação das cores,ainda homenageou os vários artistas amazonenses.[5] Em 2017, reeditou o enredo vice-campeão de 1987 sobre os deuses da mitologia grega.[6] No ano seguinte, abordou a história da cachaça.[7]

SegmentosEditar

PresidentesEditar

Período Presidente Ref.
? - ? Tomé de Medeiros Raposo [8]
1998 - 2005 Édson Jaburu
2006 - 2007 Phebba
2008- atualidade Wilsinho Benayon [9]

DiretoresEditar

Ano Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2016 Wagno Oliveira Kléber Sahdo [10][11]
2017 COMISSÃO MESTRE BIJU [12][13]
2018 VILSON BENAYON MESTRE BIJU [14][15]

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeiraEditar

Ano Nome Ref.
2016 Marcos Sahdo e Naruna Sahdo [16]
2017 Stanio Silva e Dyandra Paula
2018 Stanio Silva e Silvia Marques
2019 Stanio Silva e Esterfany Silva
2020 Ulisses Aquino e Dyandra Paula


CorteEditar

Ano Rainha Madrinha Musa Ref.
2015 Nadara Zaranda [17]
2016 Mariana Gabriela Vanessa Lima Rayssa Santos [18]
2017 Rayssa Santos
2018 Rayssa Santos

CarnavaisEditar

Andanças de Ciganos
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref
1984 Campeã Especial [19]
1985 Vice-Campeã Especial Caprichoso e Garantido
1986 4º lugar Especial O Amazonas, Sua História e Suas Lendas

Compositores: Duda e Alvadir

[20]
1987 Vice-Campeã Especial A festa dos deuses no Carnaval dos Ciganos

Compositores:Saint-Clair, Duda, Zeca e Alvadir

[21]
1988 4º lugar Especial O Grande Baile

Compositores:Saint-Clair, Chicão, Edmundo Soldado e Paulo Onça

[8]
1989 4º lugar Especial Rei Por um Dia

Compositores: Gibi e Nino

[22]
1990 5º lugar Especial A Volta Por Cima

Compositor:David Corrêa

[23]
1991 Não houve desfile Especial Raízes Ciganas

Compositores:Amim, Bicudo e Djalma Falcão

[24]
Não desfilou de 1992 a 1997
1998 5º lugar Especial Magia Tropical

Compositores:Cláudio Muneyme, Janser Jr, Marinho Saúba, Gordo do pagode e Edmundo Soldado

[25]
Não houve desfile oficial no Grupo 01 em 1999
2000 Campeã Grupo 1
2001 Grupo 1 Quem Come Jaraqui, Não Sai Mais Daqui – A Fantástica Viagem Sobre a Culinária Amazonense
2002 Vice-Campeã Grupo 1 Tudo é Carnaval
2003 Campeã Grupo 1 Baile de Máscaras
2004 3º lugar Grupo 1 Ciganos: 30 Anos de Folia e Alegria

Autor do Enredo: Simão Pessoa. Compositores: Madureira, Maurício Varela, Ivan Mendonça e Chico Bossa

Douglas de Jesus [26]
2005 Campeã Grupo 1 Ciganeando Eu Vou

Autor do Enredo: Daniel Sales. Compositores: Iomar Japonês e parceria

2006 Campeã Grupo 1 Nas Andanças com Amor e Emoção Bate Forte Coração
2007 Vice-Campeã Acesso Uma Aventura da História do Fogo
2008 Vice-Campeã Acesso 3º Milênio e a Andanças de Ciganos Anunciam: Consciência - o 5º Elemento Contra o Aquecimento Global
2009 10º lugar Especial Das Andanças que Fiz, Riquezas Busquei. Itacoatiara Pedra Pintada, Encontrei Chermo Fernandes e Ednelza Sahdo [27]
Não desfilou em 2010
2011 9º lugar Especial Flor Matizada que deu origem a Manacapuru, hoje Princesinha do Solimões
2012 Vice-Campeã Acesso A De janeiro a janeiro no calendário brasileiro
2013 Campeã Acesso A São Jorge, Guerreiro da Fé [3]
2014 Campeã Especial Vou as compras que legal! Meu Destino é a Marechal!

Compositores:Betinho Filho, Alfredo Neto,Malheiros Jr. e Allan Bayma

Marco Sahdo Agnaldo do Samba [28]
2015 7º lugar Especial No clamor do seu povo desperta o guerreiro esquecido, Ajuricaba o herói Manaó Marco Sahdo
2016 4º lugar Especial A perfeição das cores sob o olhar pitoresco do imaginário [9]
2017 6° lugar Especial Na festa dos Deuses, os Ciganos fazem o Carnaval
2018 7º lugar Especial Em Minhas Andanças Encontrei a Cachaça que Sempre Sonhei

Compositores: Nilsandro, Jadson Nobre e cia

Ala musical
2019 5º lugar Especial O Sonho de ser um Milionário

Referências

  1. a b D24AM (28 de fevereiro de 2011). «Jornalista lança livro contando a história da Andanças de Ciganos». Consultado em 29 de novembro de 2012. Arquivado do original em 30 de novembro de 2016 
  2. a b c d e f g Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 189 
  3. a b «Presidente Vargas consegue acesso no Carnaval de Manaus». Consultado em 16 de julho de 2012 
  4. Leal, Vinícius (3 de março de 2014). «Todas as Escolas de Samba são declaradas campeãs em Manaus». Portal Acrítica. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  5. Nunes, Paulo André (4 de fevereiro de 2016). «Com 40 anos de fundação, Andanças de Ciganos quer levar o título do Carnaval 2016». Portal Acrítica. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  6. Neto, Oswaldo (25 de fevereiro de 2017). «Andanças de Cigano celebra a magia dos deuses em seu enredo». Portal Acrítica. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  7. Nunes, Paulo André (9 de fevereiro de 2018). «Andanças de Ciganos quer 'embriagar' a avenida com samba sobre a cachaça». Portal Acrítica. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  8. a b Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 150 
  9. a b «Cópia arquivada». Consultado em 27 de junho de 2016. Arquivado do original em 1 de abril de 2016 
  10. «Cópia arquivada». Consultado em 27 de junho de 2016. Arquivado do original em 16 de abril de 2016 
  11. [1]
  12. «Cópia arquivada». Consultado em 27 de junho de 2016. Arquivado do original em 16 de abril de 2016 
  13. [2]
  14. «Cópia arquivada». Consultado em 27 de junho de 2016. Arquivado do original em 16 de abril de 2016 
  15. [3]
  16. Jornal Agora (Manaus, 6 e 7 de fevereiro de 2016). Carnaval 2016. [S.l.: s.n.] p. 18. Consultado em 29 de novembro de 2016  Verifique data em: |data= (ajuda)
  17. Band (13 de fevereiro de 2015). «Grupo Especial do Carnaval desfila sábado». Consultado em 29 de novembro de 2016 
  18. [4]
  19. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 51 a 54 
  20. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 147 
  21. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 148 
  22. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 153 
  23. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 155 
  24. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 157 
  25. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 165 
  26. Daniel Sales / SG Produções (2008). É tempo de sambar. [S.l.]: Norte Mania. p. 173 
  27. Escola de Samba Andança de Ciganos vai mostrar as belezas de Itacoatiara[ligação inativa] Portal Amazônia, acessado em 3 de março de 2009
  28. «Cópia arquivada». Consultado em 29 de novembro de 2016. Arquivado do original em 30 de novembro de 2016 
  Este artigo sobre carnaval, integrado ao Projeto Carnaval é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.