Anders Retzius

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Anders Jahan Retzius.

Anders Retzius (nome completo: Anders Adolph Retzius; Lund, 13 de outubro de 1796Estocolmo, 18 de abril de 1860) foi um anatomista e antropólogo sueco. [1][2]

Anders Retzius
Nascimento 13 de outubro de 1796
Lunds Cathedral Assembly
Morte 18 de abril de 1860 (63 anos)
Kungsholms parish
Sepultamento Norra begravningsplatsen
Cidadania Suécia
Progenitores
Filho(s) Gustaf Retzius
Irmão(s) Magnus Kristian Retzius
Alma mater
Ocupação biólogo, antropólogo, professor universitário, anatomista,
Empregador Instituto Karolinska

Trabalhou no campo da antropologia física, uma área que se desenvolveu depois da sua morte no sentido do racismo biológico. Inventou o índice cefálico (uma proporção equivalente à percentagem da largura de um crânio em relação ao comprimento) e criou uma coleção de crânios no Instituto Karolinska. [1][2]

BiografiaEditar

Matriculou-se na Universidade de Lund, em 1812, onde estudou medicina, e alternou com estudos em Copenhague, até que em 1818 tornou-se um médico licenciado em medicina. Através de sua amizade com Jöns Jakob Berzelius, já em 1824 foi nomeado professor temporário de anatomia no Instituto Karolinska, uma instituição à qual dedicou grande parte de sua força por muitos anos. Em 1830 também foi nomeado supervisor temporário lá, e em 1840 nomeado professor permanente e supervisor.[carece de fontes?]

Nas décadas seguintes, fez muitas descobertas anatômicas, por exemplo, sobre as partes mais finas dos dentes, do crânio, dos músculos e do sistema nervoso. Também foi um antropólogo, cujos estudos do crânio humano levaram às classificações dolicocefálico e braquicefálico. Era considerado muito conhecedor e foi eleito em muitas das academias científicas da época. É creditado com a definição do índice cefálico, que é a razão entre a largura e o comprimento da cabeça de uma pessoa.[3]

Retzius era poligenista. Estudou muitos tipos diferentes de crânio, de diversas raças, porque os crânios eram tão díspares de cada raça que acreditava que as raças tinham uma origem separada.[4]

O espaço retropúbico de Retzius é nomeado em sua homenagem.[5]

Retzius também se envolveu na batalha contra os hábitos suecos de beber - que na época tinham um impacto significativo na sociedade sueca - com trabalhos sobre os efeitos nocivos que o licor tem sobre o corpo. [carece de fontes?]

Em 1826, ele foi eleito membro da Academia Real das Ciências da Suécia.

A Sociedade Sueca de Antropologia e Geografia já havia concedido a medalha Anders Retzius em ouro aos estudiosos líderes mundiais em geografia humana e antropologia. Em 2015, a Sociedade decidiu que era inadequado conceder uma medalha em nome de Retzius considerando suas contribuições para a frenologia.[6]

Ele foi o pai de Gustaf Retzius.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «Anders Retzius» (em sueco). Nationalencyklopedin (Enciclopédia Nacional Sueca). Consultado em 1 de novembro de 2021. Retzius [rɛʹt-], Anders, 1796–1860, anatom och antropolog, professor i anatomi och 
  2. a b Hertha Hanson. «Anders A Retzius» (em sueco). Svenskt biografiskt lexikon (Riksarkivet) - Dicionário Biográfico Sueco (Arquivo Nacional Sueco). Consultado em 1 de novembro de 2021 
  3. «Anders Adolf Retzius | Swedish anatomist and anthropologist». Encyclopædia Britannica (em inglês). Consultado em 2 de junho de 2019 
  4. Peter Rowley-Conwy, From Genesis to Prehistory: The Archaeological Three Age System and its Contested Reception in Denmark, Britain, and Ireland, 2007, p. 120
  5. «Anatomia da Bexiga Aplicada a Cistectomia Radical Robótica». Urominas. 24 de setembro de 2018. Consultado em 2 de junho de 2019 
  6. «Stopp för medalj till rasforskarens minne». DN.SE (em sueco). 7 de março de 2015. Consultado em 2 de junho de 2019 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Anders Retzius