André Maginot

político francês

André Maginot (Paris, 17 de Fevereiro de 1877 — Paris, 7 de Janeiro de 1932) foi um soldado e membro do parlamento francês, mais conhecido por ter idealizado a Linha Maginot.[1]

André Maginot
Nascimento 17 de fevereiro de 1877
9.º arrondissement de Paris
Morte 7 de janeiro de 1932 (54 anos)
Paris
Cidadania França
Ocupação político, militar
Prêmios
Causa da morte febre tifoide

Primeiros anos, para a Primeira Guerra MundialEditar

Maginot nasceu em Paris, mas passou parte de sua juventude na Alsácia-Lorena, região onde a Linha Maginot seria construída posteriormente. Depois de fazer o concurso para o serviço público em 1897, Maginot começou uma carreira na burocracia francesa que duraria o resto de sua vida. Trabalhou como assistente do Governador-Geral na Argélia até 1910, quando se demitiu e iniciou sua carreira política. Ele foi eleito para a Câmara dos Deputados naquele ano e atuou como Subsecretário de Estado da Guerra antes do início da Primeira Guerra Mundial em 1914.

Quando a guerra começou, Maginot alistou-se no exército e foi colocado ao longo da frente de Lorraine. Em novembro de 1914, Maginot (agora promovido a sargento por sua "frieza e coragem") foi ferido na perna perto de Verdun (ele mancaria pelo resto da vida). Por extrema coragem, ele foi premiado com a militaire Médaille. Ele também era esgrimista.[2]

Desenvolvimento da Linha MaginotEditar

Após a Primeira Guerra Mundial, Maginot voltou à Câmara dos Deputados e ocupou vários cargos no governo, incluindo Ministro da França Ultramarina (20 de março de 1917 - 12 de setembro de 1917, 11 de novembro de 1928 - 3 de novembro de 1929), Ministro das Pensões a partir de 1920 e Ministro da Guerra (1922–1924, 1929–1930, 1931–1932). Ele acreditava que o Tratado de Versalhes não fornecia à França segurança suficiente. Ele pressionou por mais fundos para a defesa e ficou mais desconfiado da Alemanha durante um período em que poucos na França queriam pensar na possibilidade de outra guerra.

Maginot passou a defender a construção de uma série de fortificações defensivas ao longo da fronteira da França com a Alemanha, que incluiria uma combinação de posições de campo e fortes de concreto permanentes. Ele foi influenciado nesta decisão por suas observações de fortificações bem-sucedidas empregadas em Verdun na Primeira Guerra Mundial. Ele também foi provavelmente influenciado pela destruição de sua casa em Revigny-sur-Ornain, o que o tornou determinado a evitar que Lorraine fosse invadida novamente..

Em 1926, Maginot conseguiu fazer com que o governo alocasse dinheiro para construir várias seções experimentais da linha defensiva. Durante um debate sobre o orçamento em 1926, André Maginot fez lobby pesado pelo dinheiro necessário para construir a enorme linha de fortificações. Ele finalmente conseguiu persuadir o Parlamento a alocar 3,3 bilhões de francos para o projeto (a câmara alta votou 274 a 26 a favor do projeto alguns dias depois).

O trabalho no projeto progrediu rapidamente. Maginot visitou um local de trabalho em outubro de 1930 e expressou satisfação com o trabalho. Ficou especialmente satisfeito com a obra em Lorraine, local da residência e onde passou a infância, e lutou por mais recursos para construção naquela área. Embora Maginot tenha sido o principal proponente do projeto, a maioria dos projetos reais para a linha Maginot foram obra de Paul Painlevé, o sucessor de Maginot como Ministro da Guerra.

MorteEditar

André Maginot nunca viu a linha concluída; ele adoeceu em dezembro de 1931 e morreu em Paris em 7 de janeiro de 1932 de febre tifóide. Muitas pessoas o prantearam em toda a França e foi somente após sua morte que a linha de defesa que ele defendeu passou a levar seu nome. No entanto, no final, a linha foi ineficaz para o propósito pretendido. Na Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi capaz de contornar a linha passando seus Panzers por colinas e pântanos que eram impenetráveis ​​aos tanques quando Maginot fez suas recomendações. Um monumento em memória de André Maginot foi dedicado perto de Verdun em setembro de 1966.[3]

CitaçãoEditar

Nem poderíamos sonhar em construir uma espécie de Grande Muralha da França, o que, de qualquer modo, seria muito caro. Em vez disso, previmos meios poderosos, mas flexíveis, de organizar a defesa, com base no princípio duplo de aproveitar ao máximo o terreno e estabelecer uma linha de fogo contínua em todos os lugares.
–10 de dezembro de 1929

Referências

  1. «"Maginot Line - World War II"». www.history.com . Página acessada em 1 de outubro de 2016.
  2. "France: Death & Crisis". Time. 18 January 1932.
  3. «Wayback Machine». web.archive.org. 11 de julho de 2011. Consultado em 16 de fevereiro de 2021 
  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre André Maginot