Abrir menu principal
André Teixeira Lima
Nascimento 7 de maio de 1902
Conchas
Morte 17 de novembro de 1987 (85 anos)
Conchas
Cidadania Brasil
Alma mater Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Ocupação psiquiatra
Empregador Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico Professor André Teixeira Lima
Causa da morte tuberculose

André Teixeira Lima (Conchas, 7 de maio de 1902 - Conchas, 17 de novembro de 1987) foi um psiquiatra brasileiro, um dos pioneiros da psiquiatria forense no Estado de São Paulo.[1] Recebeu a honraria post-mortem com a patronímica da cadeira no 103 da augusta Academia de Medicina de São Paulo. Ficou por 30 anos na direção do atual Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico Professor André Teixeira Lima.[2]

BiografiaEditar

O Dr. Teixeira Lima, como era chamado, formou-se em medicina em 1926 pela Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo. Cuidou de psicopatas a pedido de Antonio Carlos Pacheco e Silva, diretor do Hospital Juqueri. Com a fundação do Manicômio Judiciário de São Paulo, Teixeira Lima foi nomeado para ser diretor desta instituição. Sendo assim os 104 pacientes que eram tratados foram transferidos para o novo manicômio em 31 de dezembro de 1933.

Tratou do executor do Crime do Horto Florestal, que ocorreu em 1926. No laudo desse criminoso o psiquiatra o diagnosticou como sendo um alienado de periculosidade latente.[2]

Teixeira Lima também deu aulas de clínica psiquiátrica e psicologia médica do Departamento de Medicina da Faculdade de Medicina de Sorocaba da Pontifícia Universidade Católica, por 30 anos. Tornou-se professor titular em 1981.[1]

Dr. André Teixeira Lima faleceu em 17 de novembro de 1987, vítima de complicações de uma tuberculose, aos 85 anos.

Referências

  1. a b Academia de Medicina de São Paulo. Biografia de André Teixeira Lima[ligação inativa]. Acesso em 17 de fevereiro de 2011
  2. a b TAVOLARO, Douglas. A casa do delírio: reportagem no Manicômio Judiciário de Franco da Rocha. 3.ed. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2004.