Abrir menu principal

Ângela Gutiérrez

professora e escritora brasileira, membro da Academia Cearense de Letras

BiografiaEditar

Ângela Gutiérrez, como é conhecida, nasceu no casarão de seu bisavô, Tomás Pompeu, em Fortaleza e aqui sempre viveu.[3] Seu avô, o médico Dr. César Rossas, e sua tia-avó, a Dra. Menininha Cavalcante, ajudaram-na a vir ao mundo. É filha de Luciano Cavalcante Mota e de Angela Laís Pompeu Rossas Mota. Seu pai foi seu guia na literatura e nas artes.[4]

Fez curso de Letras e mestrado em Educação na Universidade Federal do Ceará, e defendeu a dissertação O Caráter Reprodutor do Ensino de Literatura Brasileira nos Cursos de Letras; e doutorado na Universidade Federal de Minas Gerais com a tese: Vargas Llosa e o romance possível da América Latina.[5] É professora do Departamento de Literatura, fundadora e primeira coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Letras, da UFC.[6] Foi diretora da Casa de José de Alencar e do Instituto de Cultura e Arte da UFC-ICA, que congregam e administram os órgãos e equipamentos culturais, cursos e projetos na área de arte da instituição.[7][8][9][10]

Romancista, ensaísta, conferencista e poetisa é autora de inúmeros trabalhos literários publicados em revistas especializadas.[11][12][13][14]

Seu primeiro romance, O mundo de Flora, publicado em 1990, com segunda edição em 2007, foi agraciado com o Prêmio Estado do Ceará. O livro de poesias Canção da menina, 1997, que no dizer da autora, inclui uma “coletânea de poemas, escritos despretensiosamente, da juventude à maturidade, ao toque da inspiração”, recebeu os melhores elogios, entre eles do Príncipe dos Poetas Cearenses, acadêmico Artur Eduardo Benevides.

Ingressou na Academia Cearense de Letras no dia 7 de outubro de 1997, ocupa a vaga deixada pelo acadêmico Geraldo Fontenelle, cadeira número 18, cujo patrono é Moura Brasil. É membro da atual diretoria da ACL exercendo o cargo de Diretora Cultural. É membro da ACL (a mais antiga do Brasil, fundada por seu bisavô, Tomás Pompeu, em 1894) e da Associação Brasileira de Bibliófilos.[15][16]

É casada desde muito jovem com o médico Oswaldo Gutiérrez, nefrologista e professor da Faculdade de Medicina da UFC.[17]

É pesquisadora, especialmente sobre três temas: a literatura relacionada a Canudos (Os sertões e a ficção canudiana), a obra do escritor Mario Vargas Llosa e a obra de José de Alencar.[18]

Em 2019, foi notícia nacional após se tornar a primeira mulher a presidir a Academia Cearense de Letras.[19]

ObrasEditar

  • O Mundo de Flora, (1990),[20]
  • Vargas Llosa e o Romance Possível da América Latina, (1996),[21]
  • Canção da Menina, (1997),
  • Avis Rara, (2001),
  • Iracema, Lenda do Ceará, (2005), com Sânzio de Azevedo, comemorando os 140 anos de publicação do romance de José de Alencar.
  • Luzes de Paris e o Fogo de Canudos, (2006),
  • O Silêncio da Penteadeira, (2016),[22]

HomenagensEditar

Referências

  1. «Academia Cearense de Letras». www.academiacearensedeletras.org.br. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  2. «Ãngela Gutiérrez toma posse como presidente da Academia Cearense de Letras». people.opovo.com.br. opovo.com.br. Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  3. Girão, Raimundo. «Os Pompeus - Família Ilustre» (PDF). academiacearensedeletras.org.br/. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  4. «Os sinos de Encarnação, de Angela Gutiérrez». Rascunhos Críticos. 25 de setembro de 2014 
  5. «Angela Maria Rossas Mota de Gutiérrez | Escavador». Escavador. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  6. Remate de males: revista do Departamento de Teoria Literária. [S.l.]: UNICAMP. 2004 
  7. Pereira, Alexandre Queiroz (27 de junho de 2016). A Urbanização Vai à Praia: vilegiatura marítima e metrópole no Nordeste do Brasil: Vilegiatura Marítima; Urbanização; Título. [S.l.]: Eustogio Wanderely Correia. ISBN 9788572826341 
  8. Bezerra, Carlos Eduardo de Oliveira (1 de janeiro de 2009). Adolfo Caminha: um polígrafo na literatura brasileira do século XIX (1885-1897). [S.l.]: SciELO - Editora UNESP. ISBN 9788579830334 
  9. «Uma recolta exemplar». Academia Brasileira de Letras. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  10. Martí-Peña, Guadalupe (2014). Ilusionismo verbal en Elogio de la madrastra y Los cuadernos de don Rigoberto de Mario Vargas Llosa (em espanhol). [S.l.]: Purdue University Press. ISBN 9781557536907 
  11. «Perfil do autor». seer.cesjf.br. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  12. «Descrição: Vargas Llosa no espelho de papel: seus personagens - escritores». oasisbr.ibict.br. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  13. «ACL». ifce.edu.br 
  14. «Defesas de Teses Realizadas em 2010». poslit.letras.ufmg.br 
  15. Online, O POVO. «Angela Gutiérrez: A Casa da Mamãe». www.opovo.com.br. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  16. «Pam Gonçalves Archives - Investe CE». Investe CE. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  17. «Troféu Sereia de Ouro 2016 | Os Destaques da Noite! - Galeria por Márcia Travessoni». Galeria por Márcia Travessoni. 2 de outubro de 2016 
  18. de, GUTIÉRREZ, Angela Maria Rossas Mota (1985). «Trajetória ficcional de Mario Vargas Llosa» 
  19. «Escritora Angela Gutiérrez será a primeira mulher a presidir a Academia Cearense de Letras | Ceará | G1». webcache.googleusercontent.com. Consultado em 12 de fevereiro de 2019 
  20. O mundo de Flora. [S.l.]: UFC, Casa de José de Alencar, Programas Culturais. 1990 
  21. Gutiérrez, Angela (1996). Vargas Llosa e o romance possível da América Latina. [S.l.]: EUFC. ISBN 9788585625597 
  22. Gutiérrez, Ângela Maria Rossas Mota (2016). O silêncio da penteadeira. [S.l.]: Edições UFC. ISBN 9788572826938 
  23. «Angela Maria Rossas Mota de Gutiérrez, Escritora «  Sereia de Ouro». hotsite.verdesmares.com.br. Consultado em 2 de outubro de 2018 
  24. «Foram divulgadas as personalidades que serão homenageadas no Troféu Sereia de Ouro». Tapis Rouge. 24 de setembro de 2016 
Precedido por
Ubiratan Aguiar
  Atual Presidente da
Academia Cearense de Letras

2019 —
Sucedido por
-