Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Junho de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Anilza Leoni
Nome completo Anilza Pinho de Carvalho
Nascimento 10 de outubro de 1933
Laguna, SC
Morte 6 de agosto de 2009 (75 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação Atriz,vedete
Atividade 1950-2008

Anilza Pinho de Carvalho (Laguna, 10 de outubro de 1933Rio de Janeiro, 6 de agosto de 2009), mais conhecida como Anilza Leoni, foi uma atriz, cantora, bailarina e pintora brasileira.

Nascida em Santa Catarina, mudou-se com a mãe e os irmãos para o Rio de Janeiro, após a morte do pai, no fim dos anos 1940. Estudou no Colégio Rui Barbosa, como aluna interna, até que a mãe adoeceu e Anilza deixou os estudos para trabalhar, aos 15 anos, como datilógrafa e secretária. Aos 18 anos, foi convidada a trabalhar num espetáculo de variedades, produzido por Renata Fronzi. Adotou, então, o nome artístico de Anilza Leoni, em homenagem ao jogador de futebol Leônidas da Silva.

Nos anos 1950, foi uma das maiores vedetes do teatro de revista - o chamado "teatro rebolado" -, participando de espetáculos produzidos por Carlos Machado e Walter Pinto.

Anilza figurou por três vezes na lista das "certinhas do Lalau" - uma lista das mulheres mais bonitas do Brasil, elaborada anualmente pelo jornalista Sérgio Porto, nas décadas de 1950 e 1960.

Atuou também no cinema, participando de chanchadas produzidas por Herbert Richers, ao lado de Ankito, Grande Otelo e Wilson Grey.

Em 1961, estreou na extinta TV Tupi do Rio de Janeiro, participando da primeira adaptação televisiva do romance Gabriela, cravo e canela, de Jorge Amado.[1] Também trabalhou em programas humorísticos e musicais - Noites Cariocas e Espetáculos Tonelux (1964). Na TV Globo, participou de várias novelas, com destaque para A Gata Comeu, na qual interpretou Ester, madrasta da personagem Jô (Christiane Torloni).

Nos últimos anos, Anilza Leoni morava sozinha, no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro e continuava trabalhando na televisão e no teatro. Em 1990, recebeu o Prêmio Mambembe.

Nos seus últimos dias de vida, a atriz se preparava para estrear o espetáculo Mario Quintana - O Poeta das Coisas Simples, em São Paulo, ao lado de Tamara Taxman, Monique Lafond, Selma Lopes e Sergio Miguel Braga.[2] Faleceu aos 75 anos, em razão de um enfisema pulmonar, depois de ficar hospitalizada durante uma semana. Deixou uma filha, Angélica Virgínia (seu outro filho, Claubel, faleceu nos anos 1990), e uma neta, que vivem nos Estados Unidos.[3]

Índice

Atuação no cinemaEditar

Ano Título Papel
1955 Leonora dos Sete Mares
Angu de Caroço
1956 Com Água na Boca Marina [4]
1957 Com Jeito Vai Ângela[5]
1959 Depois do Carnaval Carmen[6]
1960 Vai que é Mole Léa
1962 Bom Mesmo É Carnaval Ivete
1963 Quero Essa Mulher Assim Mesmo Clarice
1975 Ladrão de Bagdá, o Magnífico Leyla[7]
1978 Fuga Para o Sexo
1979 Uma Fêmea do Outro Mundo Marina[8]
1985 Sexo em Fúria Vanda [9]

Atuação na televisãoEditar

Referências

  1. O Globo, 6 de agosto de 2009. Morre aos 75 anos a atriz Anilza Leoni, três vezes certinha do Lalau.
  2. «Morre aos 75 anos a atriz Anilza Leoni, três vezes certinha do Lalau» 
  3. Dados biográficos e fotos no site vedetesdobrasil.multiply.com/photos/album/57/Anilza_Leoni
  4. Cinemateca Brasileira, Com Água na Bôca [em linha]
  5. «Com Jeito Vai». Cinemateca Brasileira. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  6. «Depois do Carnaval». Cinemateca Brasileira. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  7. «Ladrão de Bagdá, o Magnífico». Cinemateca Brasileira. Consultado em 3 de março de 2017 
  8. «Uma Fêmea do Outro Mundo». Cinemateca Brasileira. Consultado em 25 de janeiro de 2017 
  9. «Sexo em Fúria». Cinemateca Brasileira. Consultado em 25 de janeiro de 2017 

Ligações externasEditar