Abrir menu principal

Wikipédia β

António José de Sousa Barroso

António José de Sousa Barroso (Remelhe, Barcelos, 5 de Novembro de 1854 - Porto, 31 de Agosto de 1918) foi missionário em África, bispo de São Tomé de Meliapor e enfim bispo do Porto.

António José de Sousa Barroso
Bispo da Igreja Católica
Bispo do Porto
Estátua de D. António Barroso em Barcelos
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 20 de Setembro de 1879
Ordenação episcopal 5 de Julho de 1891
Bispo-prelado de Moçambique e bispo de São Tomé de Meliapor
Brasão episcopal
BishopCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Flag Portugal (1830).svg Remelhe
5 de novembro de 1854
Morte Portugal Porto
31 de agosto de 1918 (63 anos)
dados em catholic-hierarchy.org
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Aos 17 anos de idade vai estudar no seminário de Braga, e daqui transferido em 1873 para o Real Colégio das Missões Ultramarinas de Cernache do Bonjardim, onde se ordenou em 1879.

Foi missionário cientista em Angola e em Moçambique. O seu relatório de 1894, sobre o "Padroado de Portugal em África" patenteia o valor da sua acção como bispo missionário.

Em 1899, será bispo do Porto. Em 1911, quando foi dada a conhecer a «Pastoral do Episcopado Português», em que se afirma desacordo com alguma Legislação do Governo, reaviva-se a luta anti-clerical. Os governadores civis proíbem a leitura dessa pastoral e, por desobediência a essa proibição, são presos dezenas de párocos. E o próprio bispo do Porto foi preso e levado, sob custódia, a Lisboa. Sempre afirmando a determinação apostólica, D. António Barroso conhecerá depois o exílio, de onde só voltará em 1914, para, afinal, voltar a ser exilado em 1917. Regressa ainda no mesmo ano à sua diocese, onde vem a falecer, nove meses mais tarde.

Foi sepultado no cemitério paroquial de Remelhe, Barcelos, tendo os seus restos mortais sido trasladados em 1927 para uma capela-monumento erigida no recinto.

Foi impressa uma nota de 10 angolares de Angola com a sua imagem.

Encontra-se actualmente em curso a Causa da sua canonização, promovida pela Diocese do Porto, tendo sido aprovado pelo Papa Francisco em 16 de Junho de 2017 o Decreto da Declaração das Virtudes Heróicas de D. António Barroso.

Em 2018 ocorre o centenário da sua morte.

Ligações externasEditar