Abrir menu principal

Wikipédia β

António Lobo Barbosa Teixeira Ferreira Girão

António Lobo Barbosa Teixeira Ferreira Girão ou António Lobo Barbosa Ferreira Teixeira Girão[1] ComNSC (Sabrosa, Vilarinho de São Romão, 5 de Novembro de 1785Lisboa, 17 de Março de 1863), 1.º Visconde de Vilarinho de São Romão, foi um político, empresário agrícola, escritor e académico português.

Índice

FamíliaEditar

Filho de António José Girão Teixeira Lobo Barbosa (1746 - 16 de Janeiro de 1812), 7.º Senhor do Morgado de Vilarinho de São Romão, etc., em que sucedeu a sua mãe, Cavaleiro da Ordem de Cristo, e de sua mulher Teresa Luísa de Jesus de Sousa Maciel (1752 - 7 de Março de 1802), Senhora do Morgado de Miranques, em Monção, filha natural legitimada por pai e mãe a 12 de Agosto de 1782 de Luís António de Sousa Botelho Mourão e Vasconcelos, Senhor do Morgado de Mateus, em Vila Real (pai do 1.º Conde de Vila Real), e de Luísa Vitória Maciel Torres de Aguião, Senhora do Morgado de Miranques, em Monção (filha do Desembargador Manuel dos Reis Maciel de Aguião).[1][2]

BiografiaEditar

Sucedeu a sua mãe em 1802 como Senhor do Morgado de Miranques e a seu pai em 1812 como 8.º Senhor do Morgado de Vilarinho de São Romão, e foi Deputado por Trás-os-Montes e Alto Douro às Cortes Gerais Extraordinárias e Constituintes da Nação Portuguesa de 1820 e, depois, Deputado às Cortes de 1821 por Vila Real e Bragança. Em 1823 recolheu à vida particular, onde se conservou até que, perseguido durante o Governo de D. Miguel I de Portugal pelas suas opiniões Liberais, teve de se homiziar, conseguindo conservar-se escondido durante cinco anos. Restabelecido o Sistema Constitucional, voltou à vida política ativa e foi elevado a Par do Reino em 1834.[1][2]

Foi Fidalgo Cavaleiro da Casa Real, Conselheiro de Sua Majestade Fidelíssima, Cavaleiro da Ordem de Cristo, Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa por Decreto de 1 de Dezembro de 1834, Sócio da Academia Real das Ciências de Lisboa e da Sociedade Promotora da Indústria Nacional, Sócio Honorário da Academia Real das Belas-Artes de Lisboa, Sócio da Sociedade Farmacêutica Lusitana, Presidente Honorário do Instituto de África, Administrador da Casa da Moeda, Prefeito de Trás-os-Montes e Alto Douro e da Estremadura durante o período em que o País foi dividido em Prefeituras, e importante Agricultor e Economista, Inspetor das Águas Livres e das Fábricas Anexas de Faianças e Sedas, Provedor do Papel Selado, etc.[2][3]

O título de 1.º Visconde de Vilarinho de São Romão foi-lhe concedido, em sua vida, por Decreto de 17 de Abril/Setembro de 1835 de D. Maria II de Portugal. Armas: Girão; timbre de Girão; coroa de Visconde.[4][5]

Obras publicadasEditar

Publicou:[2][6][7]

  • Tratado Teórico e Prático da Agricultura das Vinhas, da Extracção do Mosto, Bondade e Conservação dos Vinhos, e da Destilação das Águas Ardentes, Lisboa, 1822;
  • Análise do Manifesto que o Príncipe Real Fez às Nações da Europa, Lisboa, 1822;
  • Tradução Livre ou Imitação da Sátira de Boileau, Denominada a Sátira do Homem, Lisboa, 1827;
  • Memória sobre os Pesos e Medidas de Portugal, sua Origem, Antiguidade, Denominação e Mudanças que Têm Sofrido até aos Nossos Dias assim como a Reforma que Devem Ter, Acompanhada de Várias Tabelas de Reducção e Comparação de Todas as Medidas e Pesos do Mundo Conhecido Antigos e Modernos, com os Actuais de Lisboa Lisboa, 1833;
  • Memória Histórica e Analítica sobre a Companhia dos Vinhos Denominada da Agricultura das Vinhas do Alto Douro, Lisboa, 1833;
  • Tradução Livre ou Imitação do Lutrin ou Estante do Coro, Poema de Mr. de Boileau', Lisboa, 1834;
  • Histórias de Meninos, para Quem não For Criança, Escritas por Um Homiziado que, Sofreu o Martírio de Estar Escondido Cinco Anos e Dois Meses, Lisboa, 1834, sem nome do autor reimpresso em 1835;
  • Memórias sobre a Economia do Combustível por Meio de Vários, Melhoramentos que se Devem Fazer nos Lares Ordinários, Fornalhas, Fornos e Fogões, Lisboa, 1834;
  • Economia Rural e Doméstica ou Ensaio sobre o Gado Lanígero, sobre o Método de os Criar, Apascentar, Preservar das Doenças que Lhes São Próprias e Curar-lhas quando as Tiverem, e Maneira de Tratar os Animais Domésticos de Todas as Qualidades, Particularmente os Cavalos, com Avisos mui Importantes aos Lavradores, Lisboa, 1835;
  • Reflexões Críticas sobre os Projectos e Argumentos que se Têm Feito contra as Prefeituras, Lisboa, 1835;
  • Arte do Cozinheiro e do Copeiro, Compilada dos Melhores que sobre isto Escreveram Modernamente, Dada à Luz por um Amigo dos Progressos da Civilização, Lisboa, 1841, reeditado em Lisboa, em 1845, com ligeira alteração no título;
  • Reflexões Críticas e Artísticas sobre a Edificação do Novo Teatro Português, Denominado Teatro da Glória, Lisboa, 1842;
  • Tratado Teórico e Prático sobre a Maneira de Construir Fogões de Sala Económicos e Salubres, Lisboa, 1843;
  • Manual Prático da Cultura das Batatas e do seu Uso na Economia Doméstica, Publicado pela Academia Real das Ciências, Lisboa, 1845;
  • Memórias sobre a Epioenonia ou Moléstia Geral das Vinhas, Lisboa, 1857;
  • Publicou muitos artigos na Revista Universal Lisbonense nos Anais da Sociedade Promotora da Indústria Nacional e noutras revistas e jornais.

Casamento e descendênciaEditar

Casou a 11 de Maio de 1808 com sua prima Margarina Libânia de Sousa Teixeira Girão (23 de Fevereiro de 1790 - ?), filha de António Caetano de Sousa e Faria de Mansilha, Senhor da Casa do Outeiro, em Oliveira do Douro, e da Casa de Temendes, em Oliveira do Marão, e de sua mulher Maria de Lacerda Teixeira Lobo Girão, sem geração. Sucedeu-lhe o seu sobrinho materno e primo em segundo grau Álvaro Ferreira Teixeira Carneiro de Vasconcelos Girão, 2.º Visconde de Vilarinho de São Romão.[2][8]

Referências

  1. a b c "Livro de Oiro da Nobreza", Domingos de Araújo Affonso e Ruy Dique Travassos Valdez, Lisboa: J.A. Telles da Sylva, 2.ª Edição, 1988, Volume Terceiro, p. 599
  2. a b c d e "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Terceiro, p. 528
  3. "Livro de Oiro da Nobreza", Domingos de Araújo Affonso e Ruy Dique Travassos Valdez, Lisboa: J.A. Telles da Sylva, 2.ª Edição, 1988, Volume Terceiro, pp. 599 e 600
  4. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Terceiro, pp. 528 e 529
  5. "Livro de Oiro da Nobreza", Domingos de Araújo Affonso e Ruy Dique Travassos Valdez, Lisboa: J.A. Telles da Sylva, 2.ª Edição, 1988, Volume Terceiro, pp. 595 e 599
  6. Biblioteca Nacional de Portugal. Catalogo.bnportugal.pt http://catalogo.bnportugal.pt/ipac20/ipac.jsp?session=1367V1R870V96.53576&profile=bn&uri=link=3100018~!1093342~!3100024~!3100022&aspect=basic_search&menu=search&ri=2&source=~!bnp&term=Gir%C3%A3o%2C+Ant%C3%B3nio+Lobo+de+Barbosa+Ferreira+Teixeira&index=AUTHOR#focus  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  7. Fundação Calouste Gulbenkian http://www.biblartepac.gulbenkian.pt/ipac20/ipac.jsp?session=1367J14DM7065.36444&profile=ba&uri=link=3100018~!60660~!3100024~!3100022&aspect=basic_search&menu=search&ri=1&source=~!fcgbga&term=Gir%C3%A3o%2C+Ant%C3%B3nio+Lobo+de+Barbosa+Ferreira+Teixeira%2C+1823-1876&index=#focus  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  8. "Livro de Oiro da Nobreza", Domingos de Araújo Affonso e Ruy Dique Travassos Valdez, Lisboa: J.A. Telles da Sylva, 2.ª Edição, 1988, Volume Terceiro, p. 600
  • António Luís Ferreira Carneiro de Vasconcelos Teixeira Girão, Notícia Biográfica do Visconde de Vilarinho de São Romão, Porto, 1870.
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.