Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde Agosto de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
António Silva
Nome completo António Maria da Silva
Nascimento 15 de agosto de 1886
Lisboa, Reino de Portugal Portugal
Morte 3 de março de 1971 (84 anos)
Lisboa, Portugal Portugal
Ocupação Actor
Cônjuge Josefina Silva
IMDb: (inglês)

António Maria da Silva OSE (Lisboa, 15 de Agosto de 1886Lisboa, 3 de Março de 1971[1][2]) foi um actor português, conhecido pelos filmes em que fez parte durante a era de ouro do cinema português. Com uma carreira de mais de 50 anos, interpretou papéis em mais de 40 produções cinematográficas.

BiografiaEditar

António Silva nasceu no dia 15 de Agosto de 1886, um dos muitos filhos de Francisco Constantino Augusto da Silva (nascido a 19 de Dezembro de 1849, no Socorro[3]), um dourador, que se casou com Amélia das Dores (Lumiar, 4 de Julho de 1853[4]São Jorge de Arroios, 4 de Abril de 1936).

Nascido no seio de uma família humilde, começou a trabalhar cedo, como marçano. Concluiu o Curso Geral do Comércio. Foi comandante de uma corporação de bombeiros.

 
Assento de baptismo de António Silva, datado de 16 de Setembro de 1886. Paróquia de Mercês, Lisboa.

Teve a sua formação teatral em grupos amadores da capital, estreando-se profissionalmente em 1910, no palco do Teatro da Rua dos Condes, em O Novo Cristo de Tolstoi. Contratado pela companhia Alves da Silva, aí participa em peças como O Conde de Monte Cristo ou O Rei Maldito. Vai para o Brasil em 1913, onde permanece até 1921, em digressão com a companhia teatral de António de Sousa. Casa-se com Josefina Silva em 1920. De volta a Portugal, trabalha vários anos consecutivos na Companhia de Teatro Santanella-Amarante, em peças de teatro ligeiro e de revista. Integra ainda as companhias de Lopo Lauer, António de Macedo, Comediantes de Lisboa e Vasco Morgado. É A Canção de Lisboa, de Cottinelli Telmo (1933) que o projecta no cinema e firma a sua popularidade e engenho como actor. Assegura personagens cómicas e dramáticas em mais de trinta películas[carece de fontes?]As Pupilas do Senhor Reitor (1935),[5] O Pátio das Cantigas (1942), O Costa do Castelo (1943), Amor de Perdição (1943), A Menina da Rádio (1944), A Vizinha do Lado (1945), Camões (1946), O Leão da Estrela (1947), Fado (1948), O Grande Elias (1950), Aqui Há Fantasmas (1964), entre outras.

Faz teatro radiofónico na RCP ao lado da sua esposa e de nomes como Rogério Paulo, Paulo Renato, Isabel Wolmar, Carmen Dolores, Laura Alves e Álvaro Benamor[6].

Foi distinguido, no dia 4 de Novembro de 1966,[7] como Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, uma das Antigas Ordens Militares que tem por fim distinguir o mérito literário, científico e artístico, pela Presidência da República Portuguesa.

Jaz no cemitério dos Prazeres, perto do jazigo da actriz Laura Alves. Os dois actores partilharam estrelato na fita O Leão da Estrela (1947).

FilmografiaEditar

Referências

  1. «IMDB» (em inglês). Internet Movie Database 
  2. "Os Grandes Actores Portugueses" de Luciano Reis, Sete Caminhos 2005. ISBN 989-602-033-7
  3. Baptizado em Lisboa, Socorro, em 19 de Maio de 1850
  4. Baptizada em Lisboa, Lumiar, a 27 de Agosto de 1849
  5. «, As Pupilas do Senhor Reitor». Rádio e Televisão de Portugal 
  6. DIAS, Patrícia Costa (2011). A Vida com um Sorriso - Histórias, experiências, gargalhadas, reflexões de Isabel Wolmar. Lisboa: Ésquilo. p. 39. ISBN 978-989-8092-97-7 
  7. «Ordens Honoríficas Portuguesas». Presidência da República Portuguesa. Ordens.presidencia.pt 
  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.