António Vitorino

político português

António Manuel de Carvalho Ferreira Vitorino GCC (Lisboa, 12 de Janeiro de 1957) é um advogado e político português.[1]

António Vitorino
António Vitorino, no centro da imagem, enquanto Ministro da Defesa, em 1996
Ministro(a) de Portugal
Período XIII Governo Constitucional
  • Ministro da Presidência
    e Ministro da Defesa Nacional
Dados pessoais
Nascimento 12 de janeiro de 1957 (64 anos)
Lisboa
Partido Partido Socialista

BiografiaEditar

Licenciado em Direito (1981) e mestre em ciências jurídico-políticas (1986), foi assistente da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (1982-2007) e dos Departamentos de Direito da Universidade Autónoma de Lisboa (1985-1995) e da Universidade Internacional em Lisboa (1998-1999).

Admitido em 1983 na Ordem dos Advogados Portugueses, é sócio da Cuatrecasas, Gonçalves Pereira & Associados, sociedade de advogados que sucedeu à Gonçalves Pereira, Castelo Branco & Associados, fundada por André Gonçalves Pereira e Manuel Castelo Branco; aqui António Vitorino coordena a área de Direito da União Europeia e colabora na área de Direito Público[2]

Além de advogado, Vitorino desempenha cumulativamente cargos em 12 empresas diferentes, sendo presidente de assembleias-gerais e de conselhos fiscais, bem como vogal em administrações. É, designadamente, administrador da Siemens Portugal, presidente da assembleia-geral da Brisa, da Finipro, da Novabase e do Banco Caixa Geral Totta de Angola (BCGTA), bem como presidente do conselho de administração da Fundação Res Publica, ligada ao Partido Socialista. Foi presidente da Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva (2007-2009).

Também é professor convidado da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa e da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa.

Carreira políticaEditar

António Vitorino aderiu à Juventude Socialista, a JS do PS, quando estudava no Liceu Camões, em Lisboa.

Não obstante a sua filiação, viria depois a aproximar-se de outros grupos, como a Frente Socialista Popular, o Movimento Socialista Unificado, em 1976, e ainda a União da Esquerda para a Democracia Socialista (UEDS), em 1978.

Em 1980 foi eleito, pela primeira vez, Deputado à Assembleia da República, nas listas da UEDS, através da coligação Frente Republicana e Socialista. Foi, depois, sucessivamente eleito em cinco legislaturas, sempre pelo PS, até 2006.

Foi igualmente Deputado ao Parlamento Europeu (1994-1995), onde presidiu à Comissão das Liberdades Cívicas e dos Assuntos Internos.

Várias vezes chamado a funções governativas, estreou-se em 1983 como Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares no IX Governo Constitucional de Portugal (1983-1985). A seguir, na Região de Macau foi Secretário-Adjunto do Governador (1986-1987).

Em 1989 foi eleito pela Assembleia da República, Juiz Conselheiro do Tribunal Constitucional, sob indicação do Partido Socialista, cargo que exerceu desde 1989 a 1994.

Com António Guterres exerceu no período de dois anos os cargos de Ministro da Presidência, primeiro, e Ministro da Defesa Nacional no XIII Governo Constitucional de Portugal, depois (1995-1997).

Em 1999 foi indicado para Comissário Europeu, sendo-lhe atribuída a responsabilidade pela Justiça e Assuntos Internos (1999-2004).

É Irmão duma Loja Maçónica afecta ao Grande Oriente Lusitano.[3][4]

Foi Comentador no Telejornal de Domingo à noite da RTP1, numa rubrica intitulada "Notas Soltas".

A 9 de Junho de 2014 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Nosso Senhor Jesus Cristo.[5]

A 12 de Dezembro de 2017, foi proposto pelo Governo de Portugal para Diretor-Geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM).[6][7] A 29 de Junho de 2018, os Estados-Membros da OIM elegeram-no para esse cargo, com efetividade desde Outubro desse ano.[8][9]

Condecorações[5][10]Editar

Referências

Ligações externasEditar

Precedido por
Cargo vago
Anterior titular:
Fernando Nogueira
(1987–95)
Ministro da Presidência
XIII Governo Constitucional
1995 – 1997
Sucedido por
Cargo vago
Titular seguinte:
Jorge Coelho
(1999–2000)
Precedido por
António Figueiredo Lopes
Ministro da Defesa Nacional
XIII Governo Constitucional
1995 – 1997
Sucedido por
José Veiga Simão
  Este artigo sobre um político português é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  Este artigo sobre Maçonaria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.