Abrir menu principal
Anton Koberger
Nascimento 1440
Nuremberg
Morte 3 de outubro de 1513 (73 anos)
Nuremberg
Cidadania Alemanha
Ocupação ourives, editor, livreiro, impressor, pintor
Xilogravura da Bíblia de Koberger (1483).
Fólio da obra A lenda dourada (Legenda aurea ou Legenda sanctorum), impressa por Anton Koberger em 1488. A imagem retrata uma santa mulher sendo ungida, possivelmente Maria.
Página da Crónica de Nuremberga (folha 25, página 49), impressa por Anton Koberger cerca de 1492.

Anton Koberger[1] (c. 1440 – 3 de outubro de 1513) foi um ourives, impressor, editor e livreiro que imprimiu e publicou, entre outros incunábulos notáveis, a obra Crónica de Nuremberga. Destacou-se como impressor e como mercador de livros de outros impressores, tendo estabelecido em 1470 a primeira casa de impressão da cidade de Nuremberga. Foi pioneiro na exploração económica da edição e do comércio livreiro, introduzindo no sector uma actividade empresarial típica do capitalismo. Foi vizinho da família e padrinho de Albrecht Dürer.[2]

Índice

BiografiaEditar

Anton Koberger nasceu em Nuremberga numa família de padeiros, aparecendo em 1464 pela primeira vez na lista de cidadãos de Nuremberga. Em 1470 casou com Ursula Ingram e, após a morte desta, novamente em 1491 com Margarete Holzschuher. Ao todo foi pai de vinte e cinco filhos, dos quais treze sobreviveram até à idade adulta.

Foi padrinho de Albrecht Dürer, cuja família residia na mesma rua onde Koberger tinha a sua oficina e residência. No ano de 1470, um ano antes do nascimento de Dürer, encerrou o seu negócio de ourivesaria para se dedicar à impressão e ao comércio de livros, abrindo a primeira oficina tipográfica da cidade de Nuremberga. Teve grande sucesso nos negócios e em pouco tempo era o principal editor e impressor da Alemanha.[3]

Em poucos anos o negócio de impressão e distribuição de livros de Koberger cresceu a ponto de absorver grande parte dos seus rivais e de se transformar num conglomerado com 24 prensas em operação, editando numerosos trabalhos em simultâneo e empregando, no seu período de maior sucesso, mais de 100 trabalhadores,[4] wntre os quais impressores, tipógrafos, fundidores, iluministas, gravadores e outros artistas.

Procurando constantemente melhorar os seus negócios, enviava agentes e estabelecia acordos com livreiros de toda a Europa Central e Ocidental, incluindo na sua rede comercial cidades como Veneza, o outro grande centro europeu de impressão naquela época, Milão, Paris, Lyon, Viena e Budapeste. Para abastecer de papel o seu negócio obteve duas manufacturas de papel.

O seu negócio editorial pouco sobreviveu à sua morte, cessando em 1526, tendo a família revertido para o ramo da ourivesaria e joalharia.[5]

Edições mais conhecidasEditar

 Ver artigo principal: Crónica de Nuremberga

Entre as muitas edições impressas produzidas por Anton Koberger que a partir dos finais do século XV e inícios do século XVI, destacam-se particularmente três obras, consideradas marcos na arte tipográfica europeia: (1) a edição ilustrada da Bíblia em alto alemão, produzida em 1483, com múltiplas ilustrações notáveis em xilogravura notáveis; (2) a edição em alemão da Legenda aurea de Jacopp dal Vorgine; e (3) a edição de 1492 do Liber Chronicarum, as famosas Crónicas de Nuremberga.

A edição da Bíblia em alemão erudito (ou alto alemão), saída em 1483, utiliza o texto da primeira Bíblia impressa alemão por Günther Zainer na década de 1470. Apesar de erradamente ser comum considerar a versão em alemão vernacular de Martin Luther como a primeira tradução bíblica a língua alemã, aquela edição apenas surgiu no início do século XVI, não sendo por isso a primeira Bíblia em alemão pois a edição de Zainer aparecera quase 50 anos antes, com as edições de Koberger da mesma tradução surgindo pouco tempo depois. A lenda sustenta que Lutero se teria aproximado inicialmente da casa de impressão de Koberger para produzir sua tradução da Bíblia para o alemão, mas o impressor teria recusado o projecto. Os estudiosos têm especulado que a casa de impressão Koberger poderia ter continuado muito para além de 1526 se tivesse aceite ser a editora da obra de Lutero.

A casa editora de Koberger também imprimiu uma edição em língua alemã da obra Legenda aurea (Lenda dourada, da autoria de Jacopp dal Vorgine, no ano de 1488. A obra foi publicada com ilustrações em xilogravura de santos e temas religiosos.[6]

Contudo, a edição mais famosa da casa de Anton Kolberger é a obra Liber Chronicarum, mais conhecida por Crónica de Nuremberga, saída a público no ano de 1492. A obra é provavelmente a edição mais amplamente ilustrado da época dos incunábulos, o período que decorreu por volta de 1450-1500. Foram produzidas várias edições em latim e alemão, sendo o trabalho tão popular que se acredita ter tido uma das maiores tiragens do período dos incunabula. Aproveitando a popularidade, várias edições piratas apareceram quase imediatamente após a edição de Kolberger.[7]

Notas

  1. Também referido em documentos coevos como Anton Koburger, Anton Coberger e Anton Coburger.
  2. Kalenderblatt Deutschlandradio Kultur vom 3. Oktober 2013. Abgerufen am 3. Oktober 2013.
  3. Giulia Bartrum, Albrecht Dürer and his Legacy, British Museum Press, 2002, pp 94-96, ISBN 0-7141-2633-0
  4. Walter Gebhardt, "Nürnberg macht Druck! Von der Medienhochburg zum Printzentrum." in Marion Voigt (ed): Lust auf Bücher. Nürnberg für Leser. Nürnberg. (2005) pp 11-43.
  5.   Herbermann, Charles, ed. (1913). «Anthony Koberger». Enciclopédia Católica (em inglês). Nova Iorque: Robert Appleton Company 
  6. Leaf from Legenda aurea sanctorum by Jacobus de Voragine.
  7. University of Rochester Library Bulletin: The Nuremberg Chronicle.

ReferênciasEditar

  • Severin Corsten: Anton Koberger. In: Lexikon des gesamten Buchwesens (LGB). Hrsg. von Severin Corsten. 2., völlig neu bearbeitete und erweiterte Auflage. Bd. IV. Hiersemann, Stuttgart 1989. S. 256. ISBN 3-7772-9501-9
  • Fritz Funke: Buchkunde. Ein Überblick über die Geschichte des Buch- und Schriftwesens. Verlag Dokumentation: München 1969
  • Walter Gebhardt: Nürnberg macht Druck! Von der Medienhochburg zum Printzentrum. In: Marion Voigt (Hg.): Lust auf Bücher. Nürnberg für Leser. Nürnberg. 2005; S. 11–43
  • F. Geldner: Die deutschen Inkunabeldrucker. Ein Handbuch der deutschen Buchdrucker des XV. Jahrhunderts nach Druckorten. Teil 1. Das deutsche Sprachgebiet. Hiersemann, Stuttgart 1968. ISBN 3-7772-6825-9
  • Oskar von Hase (Bearbeiter): Verlagsverzeichnis der Koberger. 1885
  • Oskar von Hase (Hrsg.): Brieffbuch der Koberger zw Nurmbergk. Breitkopf, Leipzig 1881
  • Oscar von Hase: Die Koberger. Eine Darstellung des buchhändlerischen Geschäftsbetriebes in der Zeit des Überganges vom Mittelalter zur Neuzeit. Van Heusden, Amsterdam; Breitkopf und Härtel, Wiesbaden 1967; 3. Auflage, Neudruck der 2. neugearbeiteten Auflage 1885
  • Oskar Hase: Die Koberger. Buchhändler-Familie zu Nürnberg. Breitkopf & Härtel, Leipzig 1869. Predefinição:ULBDD
  • Georg Wolfgang Karl Lochner (1882) (em alemão). "Koberger, Anton (Drucker)". In Allgemeine Deutsche Biographie (ADB). 16. Leipzig: Duncker & Humblot. pp. 366–368.
  • Hans Lülfing, ed. (1980). «Koberger, Anton». Neue Deutsche Biographie (NDB) (em alemão). 12. Berlim: Duncker & Humblot . pp. 245 et seq..
  • Ingrid Münch: Anton Koberger. Em: Biographisch-Bibliographisches Kirchenlexikon (BBKL).
  • Hans-Otto Keunecke: Anton Koberger. Familie und Verwandtschaft. geschäftlicher Erfolg und soziale Stellung. Mit einem Exkurs: Das Kobergerwappen. In: Mitteilungen des Vereins für Geschichte der Stadt Nürnberg 100 (2013), S. 99-148.
  • Albert Schramm: Der Bilderschmuck der Frühdrucke. Band 17: Die Drucker in Nürnberg. Teil 1: Anton Koberger. Hiersemann, Leipzig 1934
  • E. Voulliéme: Die deutschen Drucker des fünfzehnten Jahrhunderts. 2. Auflage. Verlag der Reichdruckerei, Berlin 1922.

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar