Anton Praetorius

Anton Praetorius (Lippstadt, 1560Laudenbach (Baden), 6 de dezembro de 1613) foi um pastor e teólogo alemão calvinista, escritor e que falou contra os processos a bruxas e a tortura neles aplicada.

Anton Praetorius
Nascimento 1560
Lippstadt
Morte 6 de dezembro de 1613 (52–53 anos)
Laudenbach
Cidadania County of Lippe
Ocupação tradutor, teólogo, pastor, biógrafo, autor de hinos, escritor, pregação
Movimento estético Renascimento na Alemanha
Religião calvinismo

Primeiros anos de vidaEditar

 
Lippstadt
 
Praetorius: descrição enormes barris de vinho de Heidelberg

Em 1586, a sua esposa Maria trouxe o filho Johannes ao mundo em Kamen, Alemanha. Anton Praetorius esteve como primeiro pastor calvinista em Dittelsheim, aonde ele escreveu, no ano de 1595, a primeira descrição em latim do "1. Großen Fasses“ (um de três enormes barris para 127.000 litros de vinho) no castelo de Heidelberg.

Lutador contra aos processos as bruxas e a torturaEditar

Em 1596, ele foi capelão da corte do principado de Birstein (perto de Frankfurt am Main). Em 1597, o príncipe chamou Praetorius como membro do Tribunal contra a bruxaria. Praetorius protestou contra a tortura e conseguiu o acabamento do processo e assim que a mulher que estava sendo acusada da bruxaria foi libertada. É o único caso conhecido em que um sacerdote durante um processo contra uma feiticeira exigiu o terminus da tortura inumana e que teve êxito.

 
Tribunal contra a bruxaria

Praetorius perdeu a sua missão como capelão do corte do príncipe e foi depois, a partir de 1598, pastor em Laudenbach (Bergstraße). Publicou, sob o pseudónimo do seu filho Johannes Scultetus, em 1598, o livro “Gründlicher Bericht von Zauberey und Zauberern” (“Relatório profundo da magia, mágicos e feiticeiros”) contra a quimera da bruxaria e tortura.

 
Casa do pastor em Laudenbach

Em 1602, Praetorius teve a coragem de publicar a segunda edição do profundo relatório com o seu próprio nome. Em 1613, ano de sua morte, foi publicado a terceira edição com um prefacio pessoal. Em 1629, desconhecidos publicaram a quarta edição do “Relatório profundo da magia, mágicos e feiticeiros”.

 
Praetorius: Relatório profundo da magia 1602

Obras publicadas de PraetoriusEditar

  • Vas Heidelbergense, Heidelberg Outobro 1595
  • “Gründlicher Bericht von Zauberey und Zauberern” (“Relatório profundo da magia, mágicos e feiticeiros”) de Jaonnem Scultetum Westphalocamensem, Lich, 1598 (Johannes Scultetus e um pseudónimo para Anton Praetorius)
  • “Relatório profundo da magia, mágicos e feiticeiros” : um explicação curta e metódica de

Anton Praetorius, Lich, 1602. Novas edições 1613 e 1629

  • De Sacrosanctis Sacramentis novi foederis Jesu Christi, Lich 1602

BibliografiaEditar

  • Hartmut Hegeler: Anton Praetorius, Lutador contra aos processos as bruxas e a tortura, Unna 2002
  • Hartmut Hegeler e Stefan Wiltschko: Anton Praetorius e o „1. Große Fass“ de Heidelberg, Unna 2003, com um tradução do texto latim
  • Hartmut Hegeler: Anton Praetorius – do reformista da igreja ate o lutador contra os processos as bruxas e a tortura em Wetterau. De Pii Magistratus Officio – obrigação de um funcionário devoto (texto latim original do ano 1596 para Wolgang Ernst, conde de Büdingen, com tradução alemã), 2006

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Anton Praetorius