Abrir menu principal
Antonino Seabra
Nome completo Antonino Seabra
Nascimento 1 de janeiro de 1933
Recife, Pernambuco
Morte 4 de julho de 2010 (77 anos)
São Paulo, São Paulo
Ocupação diretor, produtor
Cônjuge Rosa Maria Seabra
IMDb: (inglês)

Antonino Seabra (Recife, 1 de janeiro de 1933 - São Paulo 4 de julho de 2010 ) foi um diretor de televisão brasileiro [1]

Índice

BiografiaEditar

Antonino Seabra, filho do Juiz de Direito José Seabra com a paulista Benedita Seabra, nasceu em Recife, Pernambuco. Mas foi no Rio de Janeiro que ele, juntamente com seus três irmãos, se criou e estudou.[2] Foi aluno do Colégio Pedro II [3]

Muito cedo, Antonino mostrou aptidão para o desenho, criando, entre outras coisas, histórias em quadrinhos.[3]

Entre os 16 e 17 anos, iniciou carreira na mídia, como sonoplasta, Seu primeiro emprego foi o de como operador de som, na Rádio Guanabara, do Rio.[4] Paralelamente, prosseguiu com os desenhos, chegando a apresentá-los a Roberto Marinho, pedindo-lhe que os publicasse.[5]

Da Rádio Guanabara, transferiu-se para a Rádio Nacional, e, em seguida, para a TV Paulista , em São Paulo, atuando como cameraman e sonoplasta.[4] Mais tarde, assumiu a função de diretor de cena e de diretor artístico.[5]

Na TV Tupi adquiriu fama e sucesso como diretor de novelas. Sua mais famosa direção se deu em O Profeta, escrita por Ivani Ribeiro. Tornou-se, efetivamente, um homem de televisão, sempre buscando renovar a si mesmo e o próprio trabalho.[6]

Mudou-se para a TV Record, depois novamente para a TV Paulista, outra vez TV Tupi,[7] onde fez “Teatro da Juventude”, “Poliana”, “Lever no Espaço”, e muitos outros programas. Atuou, também, nas TVs Continental, TV Rio[8] e TV Excelsior. Anos mais tarde, já considerado um dos “papas” da televisão, resolveu fazer um filme, mas com o ritmo da televisão.[6]

Na TV Bandeirantes, lançou “Zé do Caixão”, “O Homem do Sapato Branco”, “Jacinto Figueira Júnior”, “Gil Gomes”, e vários outros programas de sucesso.[9]

Encerrou sua carreira no SBT, a convite de Silvio Santos, onde permaneceu por quinze anos consecutivos, dirigindo sucessos da casa, como Meus Filhos, Minha Vida.[10]

Sempre foi considerado um diretor amável e acessível, tratando de maneira igual tanto aos novatos como os grandes nomes da TV brasileira, com quem trabalhou.[7]

Seu último trabalho foi como diretor do programa Sem Controle, do SBT em 2007.[11]

Foi casado com a atriz Rosa Maria Seabra e pai da também atriz Deborah Seabra.[12]

Telenovelas que dirigiuEditar

Ligações ExternasEditar

  • Telehistória[3]

Referências

  1. Imdb[1]/
  2. Costa, Haroldo; Lisboa, Luís Carlos (2003). Haroldo Costa - Coleção Gente. [S.l.]: Editora ER, Editora Rio  Parâmetro desconhecido |Número de pgs.= ignorado (ajuda)
  3. a b [2]/
  4. a b Rixa, Rogério Sacchi (2000). Almanaque da Tv. [S.l.]: Editora Objetiva  Parâmetro desconhecido |Número de pgs.= ignorado (ajuda)
  5. a b Mattos , David José Lessa (2002). O espetáculo da cultura paulista: teatro e TV em São Paulo, 1940-1950. [S.l.]: Editora Conex  Parâmetro desconhecido |Número de pgs.= ignorado (ajuda)
  6. a b Fernandes, Ismael (1987). Memória da telenovela brasileira. [S.l.]: Editora Brasiliense 
  7. a b Alves, Vida (2008). Uma Linda História de Amor. [S.l.]: Imprensa oficial 
  8. Ramos, Milton (1974). Fiá-fiengo, fazedor de medo: romance. [S.l.]: Editora Cátedra 
  9. s/n (1985). Visão. [S.l.]: Edimpresa. p. 51 
  10. Alencar, Mauro (2004). A Hollywood brasileira: panorama da telenovela no Brasil. [S.l.]: Editora Senac 
  11. Página do programa no SBT
  12. s/n (1979). Veja. [S.l.]: Abril Cultural. p. 65  Parâmetro desconhecido |Edições= ignorado (ajuda)