Antonio Poma

Antonio Poma (12 de junho de 1910 - 24 de setembro de 1985) [1] foi um cardeal italiano da Igreja Católica. Ele serviu como arcebispo de Bolonha de 1968 a 1983, e foi elevado ao cardinalato em 1969.

Antonio Poma
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo-emérito de Bolonha
Atividade eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Bolonha
Nomeação 12 de fevereiro de 1968
Predecessor Dom Giacomo Lercaro
Sucessor Dom Enrique Manfredini
Mandato 1968 - 1983
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 15 de março de 1933
capela do Seminário Maior Romano
por Dom Giuseppe Palica
Nomeação episcopal 28 de outubro de 1951
Ordenação episcopal 9 de dezembro de 1951
Catedral de Pavia
por Dom Carlo Allorio
Nomeado arcebispo 16 de julho de 1967
Cardinalato
Criação 28 de abril de 1969
por Papa Paulo VI
Ordem Cardeal-presbítero
Título São Lucas na Via Prenestina
Lema Cultura Dei agri
Dados pessoais
Nascimento Villanterio
12 de junho de 1910
Morte Bolonha
24 de setembro de 1985 (75 anos)
Nacionalidade italiano
Funções exercidas -Bispo-auxiliar de Mântua (1951-1952)
-Bispo-coadjutor de Mântua (1952-1954)
-Bispo de Mântua (1954-1967)
-Arcebispo-coadjutor de Bolonha (1967-1968)
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

BiografiaEditar

Poma nasceu em Villanterio e estudou no seminário de Pavia e na Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma (onde obteve seu doutorado em Teologia em 1934). Foi ordenado sacerdote pelo Arcebispo Giuseppe Palica em 15 de abril de 1933, na capela do Seminário Maior Romano. Antes de se tornar reitor do seminário de Pavia, em julho de 1947, tornou-se secretário particular do Bispo de Pavia e professor de literatura e de teologia dogmática no mesmo seminário em 1935.

Em 28 de outubro de 1951, Poma foi nomeado bispo auxiliar de Mântua e Bispo Titular de Thagaste pelo Papa Pio XII. Ele recebeu sua consagração episcopal no dia 9 de dezembro seguinte do bispo Carlo Allorio, com os bispos Vittorio De Zanche e Giuseppe Piazzi servindo como co-consagradores, na Catedral de Pavia. Poma foi nomeado bispo coadjutor de Mântua em 2 de agosto de 1952, sucedendo posteriormente Domenico Menna como bispo do mesmo em 8 de setembro de 1954. De 1962 a 1965, ele participou do Concílio Vaticano II. Ele foi promovido a Arcebispo Coadjutor de Bolonha e Arcebispo Titular de Hierpiniana, em 16 de julho de 1967. Em 12 de fevereiro de 1968, Poma sucedeu Giacomo Lercaro como Arcebispo de Bolonha, após sua renúncia.

O Papa Paulo VI criou-o Cardeal-Sacerdote de São Lucas na Via Prenestina no consistório de 28 de abril de 1969. De 1969 a 1979, Poma serviu como Presidente da Conferência Episcopal Italiana ; Durante essa capacidade, ele advertiu que os católicos que apoiam o comunismo se separam da Igreja. [2] Ele também foi um dos cardeais eleitores que participaram dos conclaves de agosto e outubro de 1978, que selecionaram os papas João Paulo I e João Paulo II respectivamente. Em 11 de fevereiro de 1983, o Cardeal renunciou ao cargo de arcebispo de Bolonha, após quase catorze anos de serviço. Ele continuou a governar a Arquidiocese como seu Administrador Apostólico até a nomeação do Bispo Enrico Manfredini no dia 18 de março seguinte.

Poma morreu em Bolonha, aos 75 anos. Ele está enterrado na catedral metropolitana da mesma cidade.

OutroEditar

  • Durante o seu mandato como Arcebispo de Bolonha, fundou a segunda Casa da Caridade , a Mensa della fraternità ou o Refeitório dos Pobres, a Diocesana Charitas e a Missão da Igreja Bolonhesa na Tanzânia . [3]
  • Poma sofria de erisipela . [4]

Precedido por
Dom Giacomo Lercaro
 
Arcebispo de Bolonha

1968 - 1983
Sucedido por
Dom Enrique Manfredini
Precedido por
 
Cardeal-presbítero de
São Lucas na Via Prenestina

1969 - 1985
Sucedido por
Dom José Freire Falcão

ReferênciasEditar