Abrir menu principal

Wikipédia β

Apeadeiro de Ferragudo

(Redirecionado de Apeadeiro de Ferragudo-Parchal)

O Apeadeiro de Ferragudo, também conhecido por Apeadeiro de Parchal, é uma interface ferroviária da Linha do Algarve, que serve as localidades de Ferragudo e Parchal, no Concelho de Lagoa, em Portugal. Foi inaugurado, com o nome de Portimão e a categoria de estação, em 15 de Fevereiro do 1903.[1] Em 1922, a via férrea foi continuada até Lagos, tendo sido construída numa nova estação para servir a vila de Portimão, na outra margem do Arade.[2]

Ferragudo
Apeadeiro Ferragudo Parchal.JPG
Inauguração 15 de Fevereiro de 1903
Linha(s) L.ª Algarve (PK 328,329)
Coordenadas 37° 8′ N 8° 31′ W
Concelho Lagoa
Serviços Ferroviários Regional
Serviços Acesso para pessoas de mobilidade reduzida

Índice

CaracterizaçãoEditar

Este apeadeiro é utilizado por serviços regionais de passageiros, operados pela transportadora Comboios de Portugal.[3]

 
Horários em Janeiro de 1903. Silves era ainda o terminal da linha para o Barlavento.

HistóriaEditar

AntecedentesEditar

Antes da chegada do caminho de ferro, o Algarve sofria de graves problemas de comunicações, especialmente com o resto do país; a região estava isolada pelas cadeias montanhosas e pelo Alentejo, com poucas e péssimas estradas, enquanto que o eixo marítimo só era facilmente navegável ao longo da costa Sul, tornando-se problemático a partir de Sagres, onde o mar se tornava mais agitado.[4] Portimão era um dos principais centros urbanos na região, com uma zona de influência até à Serra do Caldeirão,[4], além de ser um pólo industrial, baseado principalmente na indústria conserveira.[5]

 
Mapa do Plano da Rede de 1902, mostrando o lanço já construído até à margem Oriental do Rio Arade, e a sua continuação projectada até Lagos.

Planeamento e construçãoEditar

Um portaria de 10 de Novembro de 1897 ordenou que fossem feitos os estudos para o lanço entre Portimão e Lagos, que ainda não tinha sido analisado.[6] No dia seguinte, houve uma reunião do Conselho Superior de Obras Publicas e Minas, onde se aprovou o projecto para o lanço entre Tunes e Portimão.[6] Este projecto indicava a construção de uma gare ferroviária na margem esquerda do Rio Arade, junto à Avenida da Ponte, que fazia parte da Estrada Real 73, e que serviria provisoriamente Vila Nova de Portimão até se construir uma ponte sobre o Rio e instalar a estação definitiva na outra margem.[6] Também havia uma segunda hipótese para a travessia do Rio, que era aproveitar a ponte já existente, que ficaria tanto para o trânsito rodoviário como ferroviário.[6]

O primeiro lanço do ramal para Lagos foi entre Tunes e Algoz, que entrou ao serviço em 10 de Outubro de 1899.[7] A via férrea chegou ao Poço Barreto em 10 de Março de 1900, e a Silves em 1 de Fevereiro de 1902.[8]

O projecto original para esta interface, aprovado pelo Conselho Técnico de Obras Públicas em 8 de Abril de 1900, incluía a construção de uma cocheira para locomotivas, habitações para o pessoal e de um canal fluvial e respectivo cais para que os barcos pudessem aceder directamente à estação[9]; este canal encontrava-se em construção em Setembro de 1902[10], mas a construção do cais apenas foi aprovada em 27 de Julho de 1903.[11]

 
Aviso de 1905, onde o Apeadeiro de Ferragudo aparece como a estação de Portimão.

Inauguração e primeiros anosEditar

A inauguração desta interface, então com a categoria de estação, estava prevista, em Setembro de 1902, para 1 de Novembro do mesmo ano[12]; no entanto, só no dia 15 de Fevereiro de 1903 é que foi inaugurada, com grandes festejos, concluindo, assim, a construção do Ramal de Portimão.[13][14] A 6 de Julho de 1903, o Conselho de Administração dos Caminhos de Ferro do Estado alterou o nome desta interface para Portimão-Ferragudo.[15]

Em 19 de Março de 1905, o primeiro comboio em serviço regular que chegou a Tavira foi um tranvia que tinha partido de Portimão.[16]

 
Estação de Lagos, nos primeiros anos.

Continuação até LagosEditar

Embora o projecto previsse a futura continuação para Lagos e a construção de uma estação ferroviária junto a Portimão, os elevados custos envolvidos na construção de uma ponte sobre o Rio Arade forçaram a que, durante 19 anos, o caminho de ferro se tivesse ficado por Ferragudo.[1]

Após a inauguração da continuação do ramal até Lagos e da abertura da nova Estação Ferroviária de Portimão, em 30 de Julho de 1922, esta interface passou a chamar-se de Ferragudo.[17]

Nos primeiros anos do Século XX, esta estação também expediu petróleo para iluminação, em regime de Pequena Velocidade.[18]

A partir de 1989, foi desclassificado da categoria de estação para apeadeiro.[19]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «Silves a Portimão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (361). 1 de Janeiro de 1903. pp. 3–4. Consultado em 25 de Setembro de 2011 
  2. MENDES, p. 85
  3. «Comboios Regionais Lagos > Vila Real de Santo António > Lagos» (PDF). Comboios de Portugal. 11 de Dezembro de 2016. Consultado em 1 de Março de 2017 
  4. a b GUITA, p. 13-14
  5. MENDES, p. 11
  6. a b c d «Há Quarenta Anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 49 (1198). 16 de Novembro de 1937. pp. 541–542. Consultado em 1 de Março de 2017 
  7. MARTINS et al, p. 251
  8. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e a sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. pp. 528–530. Consultado em 1 de Março de 2017 
  9. «Linhas Portuguezas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 15 (358). 16 de Novembro de 1902. pp. 346–347. Consultado em 25 de Setembro de 2011 
  10. «Linhas Portuguezas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 15 (354). 16 de Setembro de 1902. 282 páginas. Consultado em 25 de Setembro de 2011 
  11. «Parte Official» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (376). 16 de Agosto de 1903. pp. 281–282. Consultado em 25 de Setembro de 2011 
  12. «Linhas Portuguezas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 15 (353). 1 de Setembro de 1902. pp. 266–267. Consultado em 26 de Junho de 2011 
  13. «Silves a Portimão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (364). 16 de Fevereiro de 1903. 56 páginas. Consultado em 19 de Julho de 2012 
  14. SERRÃO, p. 201
  15. «Avisos de Serviço» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (374). 16 de Julho de 1903. 246 páginas. Consultado em 25 de Setembro de 2011 
  16. MARQUES, p. 391
  17. CABRITA, Aurélio Nuno (13 de Setembro de 2007). «Recordar a Inauguração do Ramal de Caminho de ferro de Silves a Portimão». Barlavento Online. Consultado em 8 de Março de 2010 
  18. «Avisos de Serviço» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 16 (376). 16 de Agosto de 1903. pp. 289–290. Consultado em 8 de Março de 2010 
  19. «Guia Horário Oficial Verão 1989». Caminhos de Ferro Portugueses. 28 de Maio de 1989. 314 páginas 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre o Apeadeiro de Ferragudo

BibliografiaEditar

  • GUITA, José (2005). Uma Família Algarvia. Quadros de um viver antigo 1.ª ed. Vila Nova de Gaia: Editora Ausência. 149 páginas. ISBN 9789895532100 
  • MARQUES, Maria da Graça Maia; et al. (1999). O Algarve Da Antiguidade aos Nossos Dias. Elementos para a sua História. Lisboa: Edições Colibri. 750 páginas. ISBN 972-772-064-1 
  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado. O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • MENDES, António Rosa (2010). Faro. Roteiros Republicanos. Col: Roteiros Republicanos. Matosinhos: Quidnovi, Edição e Conteúdos, S. A. e Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República. 95 páginas. ISBN 978-989-554-726-5 
  • SERRÃO, Joel (1980 (primeira edição em 1971)). Cronologia Geral da História de Portugal 4.ª ed. Lisboa: Livros Horizonte. 247 páginas  Verifique data em: |ano= (ajuda)

Ligações externasEditar