Apeadeiro de Madalena

apeadeiro em Portugal

O apeadeiro de Madalena (nome anteriormente grafado como "Magdalena"),[3] é uma gare ferroviária da Linha do Norte, que serve a localidade de Madalena, no concelho de Vila Nova de Gaia, em Portugal.

Madalena
Identificação: 39123 MAD (Madalena)[1]
Denominação: Apeadeiro de Madalena
Administração: Infraestruturas de Portugal (norte)[2]
Classificação: A (apeadeiro)[1]
Tipologia: C [2]
Linha(s): Linha do Norte (PK 329+319)
Altitude: 68 m (a.n.m)
Coordenadas: 41°6′41.38″N × 8°38′15.86″W

(=+41.11149;−8.63774)

Mapa

(mais mapas: 41° 06′ 41,38″ N, 8° 38′ 15,86″ O; IGeoE)
Município: border link=Vila Nova de GaiaVila Nova de Gaia
Serviços:
Estação anterior Comboios de Portugal Comboios de Portugal Estação seguinte
Valadares
Lis-Apolónia
  R   Coimbrões
P-Campanhã
Valadares
Ovar
Aveiro
  AV   Coimbrões
P-São Bento
Valadares
Ovar
    Coimbrões
P-Campanhã

Coroa: VNG4 (S2)
Conexões:
Ligação a autocarros
Ligação a autocarros
901 906
Equipamentos: Bilheteiras e/ou máquinas de venda de bilhetes Acesso para pessoas de mobilidade reduzida
Endereço: Rua do Apeadeiro
PT 4405-427 Vila Nova de Gaia
Inauguração: 8 de julho de 1863 (há 160 anos)
Website:
 Nota: Para outras interfaces ferroviárias com nomes semelhantes ou relacionados, veja Estação Vila Madalena.
O apeadeiro de Madalena, em 2016.

Descrição editar

Localização e acessos editar

Esta interface tem endereço no concelho de Vila Nova de Gaia, na sua Rua do Apeadeiro,[4] sendo este o seu acesso do lado poente, topo sul, e em cujo extremo oposto se encontra a paragem de autocarro mais próxima (Rego d’Água, STCP: RDA2);[5] do lado nascente é servida no seu topo sul pelas ruas do Orfeão e da Costa, que aqui confluem, e a meio da plataforma pelo seguimento das vielas do Hipólito e do Apeadeiro; em geral, esta interface é situada a sudoeste do núcleo urbano da cidade de Gaia, distando menos de um quilómetro do centro (Cabine) da localidade nominal.[6]

Infraestrutura editar

Como apeadeiro numa linha de via dupla, esta interface apresenta-se nas duas vias de circulação[7] (I e II) cada uma acessível por plataforma — ambas com de 150 m de comprimento e 90 cm de altura.[2]

Serviços editar

Em dados de 2023, esta interface é servida por comboios de passageiros da C.P. de tipo urbano no serviço “Linha do Aveiro”, tipicamente com 31 circulações diárias em cada sentido entre Porto - São Bento ou Porto-Campanhã e Aveiro ou Ovar; passam sem parar nesta interface 40 circulações diárias do mesmo serviço.[8]

História editar

 Ver artigo principal: História da Linha do Norte
 
Anúncio de 1901, onde este apeadeiro surge com o nome original, Magdalena.

Em 28 de Fevereiro de 1861, o Conselho Superior de Obras Públicas aprovou uma alteração ao projecto da Linha do Norte entre o Entroncamento e Vila Nova de Gaia, de forma a aproximar a via férrea de várias localidades, incluindo Madalena.[9] Esta interface insere-se no lanço entre Gaia e Estarreja da Linha do Norte, que foi inaugurado pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses no dia 8 de Julho de 1863.[10]

Na primeira metade do século XX, foi construído um novo abrigo neste apeadeiro, pela Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses.[11]

O Desvio da Madalena, situado 660 m a norte do apeadeiro e usado para escoar a produção da pedreira local, foi a 31 de dezembro de 2011 removido formalmente, pela entidade reguladora, da rede em exploração.[12]

Ver também editar

CP Urbanos do Porto

(Serv. ferr. suburb. de passageiros no Grande Porto)
Serviços:   Aveiro  Braga
  Marco de Canaveses  Guimarães


(b) Ferreiros 
     
 Braga (b)
(b) Mazagão 
     
 Guimarães (g)
(b) Aveleda 
     
 Covas (g)
(b) Tadim 
     
 Nespereira (g)
(b) Ruilhe 
     
 Vizela
(b) Arentim 
     
 Pereirinhas (g)
(b) Cou.Cambeses 
     
 Cuca (g)
(m)(b) Nine 
     
 Lordelo (g)
(m) Louro 
     
 Giesteira (g)
(m) Mouquim 
     
 Vila das Aves (g)
(m) Famalicão 
     
 Caniços (g)
(m) Barrimau 
         
 Santo Tirso (g)
(m) Esmeriz 
 
 
 
   
 Cabeda (d)
(m)(g) Lousado   Suzão (d)
(m) Trofa   Valongo (d)
(m) Portela   S. Mart. Campo (d)
(m) São Romão   Terronhas (d)
(m) São Frutuoso   Trancoso (d)
(m) Leandro   Rec.-Sobreira (d)
(m) Travagem   Parada (d)
(m)(d) Ermesinde   Cête (d)
(m) Palmilheira 
 
 
 
     
 Irivo (d)
(m) Águas Santas 
 
 
 
     
 Oleiros (d)
(m) Rio Tinto   Paredes (d)
(m) Contumil   Penafiel (d)
(d)(n) P.-Campanhã   Bustelo (d)
 
       
 
 
 Meinedo (d)
(m) P.-São Bento 
     
 
       
 
(n) General Torres 
     
 
 
 Caíde (d)
(n) Gaia 
 
 
     
 Oliveira (d)
(n) Coimbrões 
         
 Vila Meã (d)
(n) Madalena 
         
 Recesinhos (d)
(n) Valadares 
         
 Livração (d)
(n) Francelos 
         
 M.Canaveses (d)
(n) Miramar 
         
 Aveiro (d)
(n) Aguda 
         
 Cacia (d)
(n) Granja 
         
 Canelas (n)
(n) Espinho 
         
 Salreu (n)
(n) Silvalde 
         
 Estarreja (n)
(n) Paramos 
         
 Avanca (n)
(n) Esmoriz 
         
 Válega (n)
(n) Cortegaça 
         
 Ovar (n)
 
         
 Carv.-Maceda (n)

Referências

  1. a b (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. a b Diretório da Rede 2024. I.P.: 2022.12.09
  3. Chapuy: “Bilhetes por preços reduzidosGazeta dos Caminhos de Ferro 337 (1902.01.01)
  4. «Madadela - Linha do Norte». Infraestruturas de Portugal. Consultado em 28 de Maio de 2018 
  5. «Cálculo de distância pedonal (41,11117; −8,63765 → 41,11180; −8,63622)». OpenStreetMaps / GraphHopper. Consultado em 10 de novembro de 2023 : 162 m: desnível acumulado de +2−0 m
  6. «Cálculo de distância pedonal (41,11146; −8,63771 → 41,10615; −8,64127)». OpenStreetMaps / GraphHopper. Consultado em 10 de novembro de 2023 : 820 m: desnível acumulado de +12−28 m
  7. (anónimo): Mapa 20 : Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1985), CP: Departamento de Transportes: Serviço de Estudos: Sala de Desenho / Fergráfica — Artes Gráficas L.da: Lisboa, 1985
  8. Comboios Urbanos : Porto ⇄ Aveiro («horário em vigor desde 06 julho a 03 setembro de 2023»). Esta informação refere-se aos dias úteis; uma única destas circulações é um serviço regional, o comboio nouturno n.º 3400, Porto-Lisboa.
  9. ABRAGÃO, Frederico (16 de Setembro de 1956). «No Centenário dos Caminhos de Ferro em Portugal: Algumas notas sobre a sua história» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 65 (1650). p. 393-400. Consultado em 5 de Dezembro de 2016 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  10. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 70 (1681). p. 9-12. Consultado em 28 de Abril de 2014 
  11. NUNES, José de Sousa (16 de Junho de 1949). «A Via e Obras nos Caminhos de Ferro em Portugal» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 62 (1476). p. 418-422. Consultado em 5 de Dezembro de 2016 – via Hemeroteca Municipal de Lisboa 
  12. 57.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50. IMTT, 2011.12.31. («Distribuída pelo 57.º aditamento»)

Leitura recomendada editar

  • QUEIRÓS, Amílcar (1976). Os Primeiros Caminhos de Ferro de Portugal: As Linhas Férreas do Leste e do Norte. Coimbra: Coimbra Editora. 45 páginas 
  • SALGUEIRO, Ângela (2008). A Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses: 1859-1891. Lisboa: Univ. Nova de Lisboa. 145 páginas 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.