Apeadeiro de Nespereira

O Apeadeiro de Nespereira é uma interface da Linha de Guimarães, que serve a localidade de Nespereira, no concelho de Guimarães, em Portugal.

Nespereira
BSicon BAHN.svg
Identificação:[1] 28266 NES (Nespereira)
Denominação: Apeadeiro de Nespereira
Classificação: A (apeadeiro)[2]
Coordenadas:
41° 24′ 11,29″ N, 8° 19′ 10,32″ O
Concelho: bandeiraGuimarães
Linha(s): Linha de Guimarães (PK 50,492)
Serviços: Logo CP 2.svgBSicon LSTR yellow.svgU
Conexões: Ligação a autocarros
Equipamentos: Acesso para pessoas de mobilidade reduzida Parque de estacionamento
Website:
Disambig grey.svg Nota: Para outras interfaces ferroviárias com nomes semelhantes, veja Paragem de Nespereira do Vouga.

HistóriaEditar

Este apeadeiro situa-se no troço da Linha de Guimarães entre Vizela e Guimarães, que entrou ao serviço em 14 de Abril de 1884.[3][4]

Um despacho de 27 de Setembro de 1948 da Direcção Geral de Caminhos de Ferro, publicado no Diário do Governo n.º 231, II Série, de 2 de Outubro, aprovou a Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses para modificação da tarifa de telegramas particulares, de forma a incluir os apeadeiros de Atainde, Cepães, Cuca e Nespereira na lista das estações e apeadeiros que expediam e recebiam telegramas por via ferroviária.[5] Um diploma publicado no Diário do Governo n.º 94, II Série, de 25 de Abril de 1949, aprovou um projecto da Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses para alteração dos quadros das distâncias de aplicação, para atribuir distâncias próprias a várias gares ferroviárias, incluindo o apeadeiro de Nespereira.[6]

Ver tambémEditar

CP Urbanos do Porto

(Serv. ferr. suburb. de passageiros no Grande Porto)
Serviços:   Aveiro  Braga
  Marco de Canaveses  Guimarães


(b) Ferreiros 
 
 
   
 Braga (b)
(b) Mazagão 
     
 Guimarães (g)
(b) Aveleda 
     
 Covas (g)
(b) Tadim 
     
 Nespereira (g)
(b) Ruilhe 
     
 Vizela
(b) Arentim 
     
 Pereirinhas (g)
(b) Cou.Cambeses 
     
 Cuca (g)
(m)(b) Nine 
     
 Lordelo (g)
(m) Louro 
     
 Giesteira (g)
(m) Mouquim 
     
 Vila das Aves (g)
(m) Famalicão 
     
 Caniços (g)
(m) Barrimau 
     
 Santo Tirso (g)
(m) Esmeriz 
 
 
 
   
 Cabeda (d)
(m)(g) Lousado 
           
 Suzão (d)
(m) Trofa 
           
 Valongo (d)
(m) Portela 
           
 S. Mart. Campo (d)
(m) São Romão 
           
 Terronhas (d)
(m) São Frutuoso 
           
 Trancoso (d)
(m) Leandro 
           
 Rec.-Sobreira (d)
(m) Travagem 
           
 Parada (d)
(m)(d) Ermesinde 
           
 Cête (d)
(m) Palmilheira 
 
 
 
     
 Irivo (d)
(m) Águas Santas 
 
 
 
     
 Oleiros (d)
(m) Rio Tinto 
           
 Paredes (d)
(m) Contumil 
       
 
 
 Penafiel (d)
(n)(m) P.-Campanhã 
               
 
(m) P.-São Bento 
     
 
       
 
(n) General Torres 
     
 
 
 Bustelo (d)
(n) Gaia 
 
 
     
 Meinedo (d)
(n) Coimbrões 
         
 Caíde (d)
(n) Madalena 
         
 Oliveira (d)
(n) Valadares 
         
 Vila Meã (d)
(n) Francelos 
         
 Livração (d)
(n) Miramar 
         
 Recesinhos (d)
(n) Aguda 
         
 M.Canaveses (d)
(n) Granja 
         
 Aveiro (n)
(n) Espinho 
         
 Cacia (n)
(n) Silvalde 
         
 Canelas (n)
(n) Paramos 
         
 Salreu (n)
(n) Esmoriz 
         
 Estarreja (n)
(n) Cortegaça 
         
 Avanca (n)
(n) Carv.-Maceda 
         
 Válega (n)
(n) Ovar 
         
 

2011-2019 []

Linhas: d L.ª Dourog L.ª Guimarães
b L.ª Bragam L.ª Minhon L.ª Norte
Fonte: Página oficial, 2020.06

Referências

  1. (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  3. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e a sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. p. 528-530. Consultado em 15 de Agosto de 2013 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  4. TORRES, Carlos (16 de Março de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 71 (1686). p. 133-140. Consultado em 15 de Agosto de 2013 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  5. «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 60 (1460). 16 de Outubro de 1948. p. 602. Consultado em 23 de Novembro de 2018 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 
  6. «Parte Oficial» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. Ano 62 (1476). 16 de Junho de 1949. p. 434. Consultado em 23 de Novembro de 2018 – via Hemeroteca Digital de Lisboa 

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.