Apeadeiro de Pedra Furada

O apeadeiro de Pedra Furada é uma interface da Linha do Oeste, que serve a povoação de Pedra Furada, no Concelho de Sintra, em Portugal.

Pedra Furada
Identificação:[1] 62133 PDF (Pedra Furada)
Denominação: Apeadeiro de Pedra Furada
Administração: Infraestruturas de Portugal (centro)[2]:3.3.3.2
Classificação: A (apeadeiro)[3][4]
Linha(s): Linha do Oeste (PK 29+931)
Altitude: 170 m (a.n.m)
Coordenadas: 38°52′12.31″N × 9°17′43.75″W

(≍+38.87009;−9.29549)

(mais mapas: 38° 52′ 12,31″ N, 9° 17′ 43,75″ O)
Concelho: bandeiraSintra
Serviços:
Estação anterior Comboios de Portugal Comboios de Portugal Estação seguinte
Mafra
Leiria
Fig. Foz
  R   Sabugo
Lisboa S.Ap.
Mafra
T. Vedras
C. Rainha
    Sabugo
M.S.-Meleças

Coroa: NYCS-bull-trans-N.svgNavegante
Conexões:
Ligação a autocarros
1240 1634
Equipamentos: Acesso para pessoas de mobilidade reduzida
Inauguração: [quando?]
Website:
Abrigo do Apeadeiro de Pedra Furada, em 2008
Disambig grey.svg Nota: Para outras interfaces ferroviárias com nomes semelhantes ou relacionados, veja Estação Pedra Mole, Estação Ferroviária de Pedras Rubras, Estação Pedras Rubras ou Estação Ferroviária de Pedras Salgadas.

DescriçãoEditar

 
Vista geral do apeadeiro de Pedra Furada em 2017.

Localização e acessosEditar

Este apeadeiro localiza-se a norte da Avenida do Lapiás (= ER-19), no lugar de Pedra Furada, por onde tem o seu único acesso; esta estrada comunica-a com Alfouvar e Negrais, estando também próxima a Anços e Maceira.[carece de fontes?]

Caraterização físicaEditar

Perto do apeadeiro iniciavam-se os desvios de Via e Obras - Pedra Furada (ao PK 29+889)[1]:p.19 e do Consórcio. O abrigo de plataforma situava-se do lado nascente da via (lado direito do sentido ascendente, para Figueira da Foz).[5]

ServiçosEditar

Em dados de 2017, apeadeiro de Pedra Furada é servido por todos os comboios do tramo sul da Linha do Oeste, todos eles de tipologia regional. É servido por oito comboios diários por sentido, três dos quais com início em Lisboa-Santa Apolónia e término em Leiria (vice-versa). O primeiro comboio em sentido Lisboa inicia em Torres Vedras, bem como aí termina o último no sentido Figueira da Foz.[6]

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: Linha do Oeste § História

Esta interface situa-se no lanço da Linha do Oeste entre Agualva-Cacém e Torres Vedras, que foi aberto à exploração em 21 de Maio de 1887, pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.[7]

Em 2013 foram extintas as instalações de Via e Obras anexas a este interface.[8]

É prevista a sua reformulação aquando da duplicação da via entre este apeadeiro e Mira Sintra - Meleças, no âmbito da eletrificação da Linha do Oeste,[9] especulando-se que venha a ser promovido à categoria de estação.[10]

CP-USGL + CP-Reg + Soflusa + Fertagus
 
             
 
(n) Azambuja 
               
 Praias do Sado-A (u)
(n) Espadanal da Azambuja 
               
 Praça do Quebedo (u)
(n) Vila Nova da Rainha 
             
 Setúbal (u)
**(n) Carregado 
     
 
 
     
 Palmela (u)
(n) Castanheira do Ribatejo 
             
 Venda do Alcaide (u)
(n) Vila Franca de Xira 
       
 
 
 Pinhal Novo (u)(a)
(n) Alhandra 
             
 Penteado (a)
(n) Alverca   Moita (a)
(n) Póvoa   Alhos Vedros (a)
(n) Santa Iria   Baixa da Banheira (a)
(n) Bobadela   Lavradio (a)
(n) Sacavém   Barreiro-A (a)
(n) Moscavide   Barreiro (a)
(n) Oriente   (Soflusa)
(n)(z) Braço de Prata 
         
 
 
 Terreiro do Paço (a)
 
 
 
 
 
 
 
 
 Penalva (u)
(n)(ẍ) Santa Apolónia 
 
 
 
 
 
       
 Coina (u)
(z) Marvila 
 
         
 Fogueteiro (u)
(z) Roma-Areeiro 
           
 Foros de Amora (u)
(z) Entrecampos 
           
 Corroios (u)
(z)(7) Sete Rios 
           
 Pragal (u)
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Campolide (z)(s)(u)*
(s) Benfica   Rossio (s)
(s) Santa Cruz-Damaia   Cais do Sodré (c)
(s) Reboleira   Santos (c)
(z) Alcântara-Terra 
 
 
 
 
   
 Alcântara-Mar (c)
(s) Amadora   Belém (c)
(s) Queluz-Belas   Algés (c)
(s) Monte Abraão   Cruz Quebrada (c)
(s) Massamá-Barcarena   Caxias (c)
(s)(o) Agualva-Cacém   Paço de Arcos (c)
 
 
 
         
 Santo Amaro (c)
(o) Mira Sintra-Meleças   Rio de Mouro (s)
(s) Mercês   Oeiras (c)
(s) Algueirão - Mem Martins   Carcavelos (c)
(s) Portela de Sintra   Parede (c)
(s) Sintra   São Pedro Estoril (c)
(o) Sabugo 
           
 São João Estoril (c)
(o) Pedra Furada 
           
 Estoril (c)
(o) Mafra 
           
 Monte Estoril (c)
(o) Malveira 
           
 Cascais (c)
**(o) Jerumelo 
 
 
     
 

2019-2021 []

Linhas: a L.ª Alentejoc L.ª Cascaiss L.ª Sintra C.ª X.
n L.ª Norteo L.ª Oestez L.ª Cinturau L.ª Sul7 C.ª 7 R.
(*) vd. Campolide-A   (**)   continua além z. tarif. Lisboa

(***) Na Linha do Norte (n): há diariamente dois comboios regionais nocturnos que param excepcionalmente em todas as estações e apeadeiros.
Fonte: Página oficial, 2020.06

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. Diretório da Rede 2021. IP: 2019.12.09
  3. Instrução de exploração técnica nº 2 : Índice dos textos regulamentares em vigor. IMTT, 2012.11.06
  4. Instrução de Exploração Técnica N.º 50. INTF («Entrada em vigor 11 de Dezembro de 2005»): p.5
  5. (anónimo): Mapa 20 : Diagrama das Linhas Férreas Portuguesas com as estações (Edição de 1985), CP: Departamento de Transportes: Serviço de Estudos: Sala de Desenho / Fergráfica — Artes Gráficas L.da: Lisboa, 1985
  6. «COMBOIOS REGIONAIS > Linha do Oeste. Horários» (PDF). Comboios de Portugal. 24 de junho de 2017 
  7. TORRES, Carlos Manitto (16 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1682). p. 61-64. Consultado em 8 de Maio de 2014 
  8. 73.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50. IMT, 2013.12.16. («Distribuida pelo 73ºaditamento»)
  9. «Economia - Concurso para obras na Linha do Oeste deverá ser lançado no final de 2017 - IP». DN. 11 de maio de 2017 
  10. José Sousa: “Balastro : Renovação da Linha do OesteTrainspotter 78 (2017.02) p.13-23. ISSN: 2183-7619 Portugal Ferroviário / APAC: Por lapso, refere-se EN-250 em vez de EM-544.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.