Apeadeiro de Tancos

apeadeiro em Portugal

O Apeadeiro de Tancos é uma gare ferroviária da Linha da Beira Baixa, que serve a localidade de Tancos, no Distrito de Santarém, em Portugal.

Tancos
Abrigo do Apeadeiro de Tancos
Abrigo do Apeadeiro de Tancos
Identificação: 51086 TAN (Tancos)[1]
Denominação: Apeadeiro de Tancos
Administração: Infraestruturas de Portugal (até 2020: centro;[2] após 2020: sul)[3]
Classificação: A (apeadeiro)[1]
Tipologia: D [2]
Linha(s): L.ª da B. Baixa (PK 113+748)
Coordenadas: 39°27′40.57″N × 8°23′43.17″W

(=+39.46127;−8.39533)

Mapa

(mais mapas: 39° 27′ 40,57″ N, 8° 23′ 43,17″ O; IGeoE)
Concelho: border link=Vila Nova da BarquinhaVila Nova da Barquinha
Serviços:
Estação anterior Comboios de Portugal Comboios de Portugal Estação seguinte
Barquinha
Entroncam.to
  R   Almourol
Abrantes
    Almourol
C.Branco
Barquinha
Lis-Apolónia
   

Website:

História editar

Em Agosto de 1855, o engenheiro Thomaz Rumball estudou 3 percursos possíveis para uma linha férrea de Lisboa a Badajoz, tendo sido escolhido o que passava por Santarém, Tancos, Ponte de Sor, Crato e Monforte.[4] Originalmente, Rumball previa que a linha iria passar pela margem esquerda do Rio Tejo pouco depois de Abrantes, seguindo pelo Arrepiado, perto de Tancos.[5] Pouco depois, quando já se tinham iniciado as obras, o engenheiro Wattier também foi encarregado de analisar os traçados das Linhas do Norte e Leste, tendo-se debruçado especialmente sobre o problema da passagem do Rio Tejo; uma dos locais possíveis para construir a ponte era em Tancos, mas o percurso restante até Badajoz seria mais longo, e o entroncamento com a linha para o Porto seria feito em piores condições.[5] Em vez disso, apresentava como melhor solução continuar a linha pela margem direita até Constância, onde se faria o atravessamento do rio.[5]

Este apeadeiro situa-se no troço entre as Estações de Santarém e Abrantes, que abriu no dia 7 de Novembro de 1862, como parte do então denominado Caminho de Ferro do Leste.[6]

Ver também editar

Referências

  1. a b (I.E.T. 50/56) 56.º Aditamento à Instrução de Exploração Técnica N.º 50 : Rede Ferroviária Nacional. IMTT, 2011.10.20
  2. a b Diretório da Rede 2021. IP: 2019.12.09
  3. Diretório da Rede 2025. I.P.: 2023.11.29
  4. GAMA, Eurico (16 de Março de 1956). «Achegas para a História do Caminho de Ferro do Leste» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1638). pp. 144–146. Consultado em 10 de Março de 2016 
  5. a b c ABRAGÃO, Frederico (16 de Abril de 1956). «No Centenário dos Caminhos de Ferro em Portugal: Algumas notas para a sua história» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1640). pp. 190–193. Consultado em 10 de Março de 2016 
  6. TORRES, Carlos Manitto (1 de Janeiro de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 70 (1681). pp. 9–12. Consultado em 5 de Dezembro de 2012 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre o Apeadeiro de Tancos

Ligações externas editar



  Este artigo sobre uma estação, apeadeiro ou paragem ferroviária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.