Abrir menu principal

Apelação (Loures)

localidade e antiga freguesia de Loures, Portugal
Portugal Apelação 
  Freguesia portuguesa extinta  
Vista panorâmica da freguesia
Vista panorâmica da freguesia
Bandeira de Apelação
Bandeira
Brasão de armas de Apelação
Brasão de armas
Localização no concelho de Loures
Localização no concelho de Loures
Apelação está localizado em: Portugal Continental
Apelação
Localização de Apelação em Portugal Continental
Coordenadas 38° 48' 54" N 9° 08' 01" O
Concelho primitivo Loures
Concelho (s) atual (is) Loures
Freguesia (s) atual (is) Camarate, Unhos e Apelação
Fundação 1590
Extinção 2013
Área [1]
- Total 1,41 km²
População (2011) [2]
 - Total 5 647
    • Densidade 4 005 hab./km²
Gentílico apelaçonense
Orago Nossa Senhora da Encarnação

Apelação é uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Loures, com 1,41 km² de área e 5 647 habitantes (2011). Densidade demográfica: 4 005 h/km². Desde 2013, faz parte da nova União das Freguesias de Camarate, Unhos e Apelação.[3]

GeografiaEditar

Localizada na transição da região oriental do concelho para a várzea de Loures, a Apelação confina com as antigas freguesias de Camarate, a sul, Frielas a oeste, e Unhos, a norte e a leste.

Incluí, para além do centro da povoação, relativamente diminuto, os bairros das Areias, de Nossa Senhora da Conceição, do Moinho de Vento, do Olival dos Frades, do Sol Avesso e da Quinta da Fonte.

PopulaçãoEditar

População da freguesia da Apelação [4]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
283 266 298 334 340 402 410 463 573 923 1 515 2 604 3 419 6 043 5 647

Nos anos de 1864 e 1878 pertencia ao concelho dos Olivais, extinto por decreto de 22/07/1886

HistóriaEditar

 
Moinho de vento da Apelação.

O nome Apelação parece derivar do facto de o povo, aquando de uma terrível peste que assolou Lisboa e o seu Termo, ter apelado para a protecção de Nossa Senhora da Encarnação. Na sequência deste acontecimento, foi erigida uma capela em sua honra, e a Apelação separar-se-ia de Unhos em finais do século XVI (em parte, também devido à sua distância da sede). No entanto, continuaria a pagar dízimos a esta freguesia até à extinção completa desse velho imposto senhorial, com as reformas liberais de Mouzinho da Silveira, em 1834.

Era freguesia do concelho de Loures desde a sua instituição, em 1886. Antes fizera parte do concelho de Santa Maria dos Olivais (1852) e do Termo de Lisboa. Foi pertença da Casa de Bragança e da Ordem de Malta.

Embora seja uma povoação com construção essencialmente moderna e, em muitos casos, clandestina, destaca-se ainda assim, entre o património cultural construído, o Moinho de Vento, monumento que se tornou ex-líbris da antiga freguesia.

PatrimónioEditar

HeráldicaEditar

A Apelação usa desde 2004 a seguinte bandeira e brasão de armas:

Um escudo de azul, com uma armação de moinho de ouro, cordoada do mesmo e vestida de prata, acompanhada por dois ramos de oliveira do mesmo, frutados de ouro, tudo alinhado em faixa. Em chefe, uma coroa mariana de ouro, com pedraria de verde. Em campanha, duas mãos de prata erguidas em apelo. Uma coroa mural de prata de três torres. Um listel branco, com a legenda de negro, em maiúsculas: «APELAÇÃO». Bandeira de amarelo; cordões e borlas de ouro e azul.

A simbologia apresenta-se bastante expressiva: a armação de moinho evoca o símbolo da freguesia; os ramos de oliveira, as riquezas vegetais desta terra, onde outrora eram abundantes os olivais; a coroa mariana, o seu orago; as mãos erguidas em posição de apelo indicam claramente a origem do topónimo (são peças falantes do escudo).

 
Antigo brasão da Apelação.

Anteriormente, a Apelação usava o seguinte brasão:

Um escudo de negro, com três oliveiras arrancadas de prata e folhadas de verde, alinhadas em faixa. Chefe cozido de azul, carregado, à dextra, de um moinho de prata, com a respectiva armação de negro, cordoada do mesmo e vestida de prata, e à sinistra, de um avião de prata, volvido, em cortesia. Em contra-chefe, duas mãos de prata erguidas em apelo. Coroa mural de prata de três torres. Um listel branco, com os dizeres de negro, em maiúsculas: «APELAÇÃO».

Referências

  1. «Áreas das freguesias, municípios e distritos da CAOP2012». Separador Areas_Freguesias_CAOP2012. Instituto Geográfico Português. 2012. Consultado em 1 de Abril de 2014. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2013 
  2. «População residente, segundo a dimensão dos lugares, população isolada, embarcada, corpo diplomático e sexo, por idade (ano a ano)». Informação no separador "Q601_Lisboa". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 28 de Fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2013 
  3. «Lei n.º 11-A/2013 de 28 de janeiro (Reorganização administrativa do território das freguesias)» (pdf). Diário da República eletrónico. Consultado em 28 de Março de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 6 de janeiro de 2014 
  4. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes

Ligações externasEditar