Abrir menu principal

Apuí é um município brasileiro no interior do estado do Amazonas, Região Norte do país. Pertencente à região Sul do Amazonas e Microrregião do Madeira, localiza-se a sul de Manaus, capital do estado, distando desta cerca de 408 quilômetros.

Município de Apui
Bandeira indisponível
Brasão de Apui
Bandeira indisponível Brasão
Hino
Aniversário 30 de dezembro de 1987 (31 anos)
Fundação 1988
Gentílico apuiense
Prefeito(a) Anotônio Rock Longo
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Apui
Localização de Apui no Amazonas
Apui está localizado em: Brasil
Apui
Localização de Apui no Brasil
7° 11' 49" S 59° 53' 27" O7° 11' 49" S 59° 53' 27" O
Unidade federativa Amazonas
Mesorregião Sul Amazonense IBGE/2008[1]
Microrregião Madeira IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Manicoré, Novo Aripuanã, Borba, Maués e os Estados do Mato Grosso e Pará.
Distância até a capital 408 km
Características geográficas
Área 54 239,904 km² [2]
População 21 583 hab. (AM: 35º) –  estimativa populacional - IBGE/2018[3]
Densidade 0,4 hab./km²
Altitude 127 m
Clima Tropical Af
Fuso horário UTC-4
Indicadores
IDH-M 0,637 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 164 144 mil IBGE/2013[5]
PIB per capita R$ 8 265,08 IBGE/2013[5]

Ocupa uma área de 54 239,904 km².[2] De acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população era de 21 583 habitantes em 2018,[3] sendo assim o trigésimo oitavo município mais populoso do estado do Amazonas.

Índice

HistóriaEditar

O nome Apuí provém de uma árvore típica da região amazônica, conhecida como Apuizeiro, em que na língua tupi significa braço forte.

O município de Apuí fica situado na Rodovia Transamazônica, foi criado através do projeto do Deputado Hamilton Cidade e aprovado pelo Governador Amazonino Mendes em 30 de dezembro de 1987, pela Lei nº 826, a área do município de Novo Aripuanã, foi emancipada, passando a constituir o novo município de Apuí.

O Município teve como primeiro administrador municipal o Sr. João Torres Neto, nomeando em 16 de março de 1988, nos termos de Parágrafo Único do artigo 124 da Constituição do Estado, com a redação determinada pela Emenda Constitucional nº 27 de 28 de dezembro de 1987, pelo Governador do Estado do Amazonas Sr. Amazonino Mendes.

Em 3 de novembro de 1989, foi eleito o primeiro prefeito de Apuí, Sr. Vitor César Catuzzo Marmentini e tendo como primeiro presidente da câmara municipal o Sr. Agenor Mates.

GeografiaEditar

Sua população estimada em 2014 foi de 20 258 habitantes.

A área de Apuí na floresta amazônica equivalente ao tamanho de alguns países Europeus, e maior que alguns estados brasileiros.

A geografia do município é rica em belezas naturais, conta com o maior número das mais lindas cachoeiras do estado,e dos Municípios vizinhos.

CulturaEditar

No município acontecem várias festas características da região norte, sendo elas a de maior importância a EXPOAP (Exposição agropecuária de Apuí) com quase três décadas de existência, é hoje não apenas a principal festa do município, mas também a principal festa do gênero do Estado.

Tal evento, ocorre no mês maio e setembro. Contando com a participação de peões das mais diversas partes do Brasil, sendo que em maior número e com maior frequência, peões do estado de Rondônia e dos municípios de Humaitá e Manicoré, onde a pecuária também é considerada como atividade principal.

A festa em sua primeira edição, já exibia características econômicas de um próspero cenário econômico no setor agropecuário. O evento aos poucos foi crescendo e recebendo merecida admiração em todo o Amazonas e outros Estados da Região Norte.

O principal destaque da EXPOAP é a modalidade montaria em touros, além dessa outras são tradição na festa, assim como o tiro de laço, vaquejada, prova dos 3 tambores,baliza e uma prova um tanto quanto diferente a motojada.

Essa é a festa onde trás a cultura raiz do município, que tem laços fortes com o campo e graças a força de trabalho desse povo, a cultura sertaneja se tornou uma das mais admiradas no estado do Amazonas.

EconomiaEditar

Apuí se destaca entre os municípios do Amazonas devido ao seu grande potencial agropecuário,e sua vasta extenção florestal . Esse potencial produtivo do município se deve à mão de obra especializada dos colonos oriundos de todos os cantos do Brasil que colonizaram essa região nos anos 80.

Com 30 anos de existência (em 2018), Apuí é gerido pela setima administração municipal e já tem uma população estimada em 21.031 habitantes e produz anualmente, mais de oito mil sacas de café e conta com um rebanho bovino que supera em muito a marca de 100.000 cabeças de gado.

O município dispõe de acessos pavimentados, pois administração do município entre os anos de 2014 e 2015,pavimentou grande parte das ruas, e construiu calçadas nas principais rodovias do município. a rodovia que nunca foi pavimentada e a AM-174 até Novo Aripuanã.

InfraestruturaEditar

SaúdeEditar

Em 2009 o município possuía um total de 6 estabelecimentos de saúde, sendo todos estes públicos municipais ou estaduais, entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles, não havia nenhum leito para internação.[6] Em 2014, 97,57% das crianças menores de 1 ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia. O índice de mortalidade infantil entre crianças menores de 5 anos, em 2016, foi de 14,22 indicando uma redução em comparação a 1995, quando o índice foi de 47,39 óbitos a cada mil nascidos vivos. Entre crianças menores de 1 ano de idade, a taxa de mortalidade reduziu de 33,18 (1995) para 13,77 a cada mil nascidos vivos, totalizando, em números absolutos, 124 óbitos nesta faixa etária entre 1995 e 2016. No mesmo ano, 30,33% das crianças que nasceram no município eram de mães adolescentes. Conforme dados do Sistema Único de Saúde (SUS), órgão do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade devido a acidentes de transportes terrestres registrou 42,79 óbitos em 2016, revelando um aumento comparando-se com o resultado de anos anteriores, quando não se registrou nenhum óbito neste indicador, além de ser a maior taxa já registrada nos municípios amazonenses. Ainda conforme o SUS, baseado em pesquisa promovida pelo Sistema de Informações Hospitalares do DATASUS, não houveram internações hospitalares relacionadas ao uso abusivo de bebidas alcoólicas e outras drogas, entre 2008 e 2017.[7]

A taxa de mortalidade infantil média na cidade é de 17,94 para 1.000 nascidos vivos. Em 2016, 66,67% das mortes de crianças com menos de um ano de idade foram em bebês com menos de sete dias de vida. Óbitos ocorridos em crianças entre 7 e 27 dias de não foram registrados.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. a b IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b «Estimativa populacional 2018» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 29 de agosto de 2018 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 9 de setembro de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2010-2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 19 de dezembro de 2015 
  6. Cidades@ - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Serviços de saúde - 2009». Consultado em 28 de dezembro de 2018 
  7. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) (2014). «ODS 03: Saúde e bem-estar». Relatórios Dinâmicos. Consultado em 28 de dezembro de 2018