Abrir menu principal

Arantina

município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais

Arantina é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais, Região Sudeste do país. Localiza-se no sul mineiro e está situado a cerca de 360 km da capital do estado. Ocupa uma área de 89,42 km², sendo que 0,36 km² estão em perímetro urbano, e sua população em 2018 era de 2 804 habitantes.

Município de Arantina
"Arantes"
Vista parcial de Arantina

Vista parcial de Arantina
Bandeira de Arantina
Brasão de Arantina
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 1 de março de 1963 (56 anos)[1]
Gentílico arantinense[2]
Padroeiro(a) Nossa Senhora Aparecida[3]
CEP 37360-000 a 37369-999[4]
Prefeito(a) Francisco Carlos Ferreira Alves (DEM)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Arantina
Localização de Arantina em Minas Gerais
Arantina está localizado em: Brasil
Arantina
Localização de Arantina no Brasil
21° 54' 39" S 44° 15' 21" O21° 54' 39" S 44° 15' 21" O
Unidade federativa Minas Gerais
Região intermediária

Juiz de Fora IBGE/2017[5]

Região imediata

Juiz de Fora IBGE/2017[5]

Municípios limítrofes Bom Jardim de Minas, Andrelândia e Liberdade
Distância até a capital 360 km
Características geográficas
Área 89,42 km² [2]
População 2 804 hab. estatísticas IBGE/2018[2]
Densidade 31,36 hab./km²
Altitude 1050 m
Clima tropical de altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,697 médio PNUD/2010[6]
PIB R$ 53 417,70 mil IBGE/2016[7]
PIB per capita R$ 18 567,15 IBGE/2016[7]
Página oficial
Prefeitura www.arantina.mg.gov.br
Câmara www.camaraarantina.mg.gov.br

A sede tem uma temperatura média anual de 21,2 °C e na vegetação do município predomina a Mata Atlântica. Com 98% da população vivendo na zona urbana, a cidade contava, em 2009, com dois estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,736, considerando como médio em relação ao estado.

O povoamento do lugar teve início no decorrer da segunda metade do século XIX, com a construção do trecho da Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) que viria a cortar a cidade. Atualmente destacam-se o artesanato produzido no município e eventos realizados anualmente, como o carnaval de Arantina.

Índice

HistóriaEditar

 
Passagem de nível em Arantina.

A área do atual município começou a ser habitada no decorrer do século XIX, quando estava sendo construída a Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM). A ferrovia pretendia ligar o sul de Goiás a Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, passando por Barra Mansa (RJ), operando trens de passageiros e cargas. Em Arantina havia um entroncamento da EFOM com a Linha da Barra (nome derivado da cidade de Barra do Piraí), ligando Bom Jardim de Minas à linha de Barra Mansa, hoje extinta.[8][9]

Um pequeno povoado surgiu às margens da estação ferroviária de Arantes, então situada no município de Mantiqueira (hoje Bom Jardim de Minas). Assim, por vários anos, o povoado que hoje é Arantina pertencia a Bom Jardim de Minas, como na espécie de arraial de Bom Jardim de Minas. O povoado era conhecido como Várzea do Paiol, uma vez que na atual sede do município existia um paiol utilizado para guardar o milho colhido pelo fazendeiro Juca Pereira, dono de grande parte das terras do município.[1]

O povoado se consolidou com a fabricação de cerâmica. Dado o crescimento econômico, pela lei estadual nº 1058, de 31 de dezembro de 1943, cria-se o distrito subordinado a Bom Jardim de Minas, que recebeu seu nome em homenagem à estação ferroviária.[1] Arantina emancipa-se pela lei estadual nº 2764, de 30 de dezembro de 1962, sendo instalada oficialmente em 1º de março de 1963.[1]

GeografiaEditar

 
Relevo ondulado na zona rural.

A área do município, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 89,42 km²,[2] sendo que 0,3682 km² constituem a zona urbana.[10] Situa-se a 21°54'40" de latitude sul e 44°15'21" de longitude oeste e está a uma distância de 323 quilômetros a sul da capital mineira. Seus municípios limítrofes são Bom Jardim de Minas, a leste; Andrelândia, a norte e oeste; e Liberdade, a sul.[11]

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[12] o município pertence às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Juiz de Fora.[5] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Andrelândia, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Sul e Sudoeste de Minas.[13]

Relevo e hidrografiaEditar

O relevo do município de Arantina é predominantemente ondulado. Aproximadamente 60 % do território arantinense é coberto por áreas onduladas, enquanto em cerca de 30 % há o predomínio de mares de morros em terrenos montanhosos, e os 10 % restantes são lugares planos.[11] A altitude máxima encontra-se na Serra do Caxambu, que chega aos 1 379 metros, enquanto que a altitude mínima está na foz do Córrego Capixingui no Rio Turvo Pequeno, com 1 030 metros. Já o ponto central da cidade está a 1 050 m.[11]

O território é banhado por vários pequenos rios e córregos, sendo os principais o Córrego Capixingui e o Rio Turvo Pequeno, fazendo parte da Bacia do Rio Grande.[11] O Turvo Pequeno corta o território municipal, sendo que há projetos de drenagem de sua sub-bacia. Dele é extraída boa parte da água que é fornecida às cidades de Arantina e Andrelândia.[14][15]

ClimaEditar

O clima arantinense é caracterizado, segundo o IBGE, como tropical mesotérmico brando úmido (tipo Cwb segundo Köppen),[16] tendo temperatura média anual de 21,2 °C com invernos secos e frios e verões chuvosos com temperaturas amenas.[17][18] O mês mais quente, janeiro, tem temperatura média de 24,1 °C, sendo a média máxima de 29,4 °C e a mínima de 18,9 °C. E o mês mais frio, julho, de 17,3 °C, sendo 24,8 °C e 9,8 °C as médias máxima e mínima, respectivamente. Outono e primavera são estações de transição.[19]

A precipitação média anual é de 1412,9 mm, sendo agosto o mês mais seco, quando ocorrem apenas 13,9 mm. Em dezembro, o mês mais chuvoso, a média fica em 259,8 mm.[19] Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 28 °C, especialmente entre julho e setembro. Em agosto de 2010, por exemplo, a precipitação de chuva em Arantina não passou dos 0 mm.[20] Durante a época das secas e em longos veranicos em pleno período chuvoso também são comuns registros de queimadas em morros e matagais, principalmente na zona rural da cidade, o que contribui com o desmatamento e com o lançamento de poluentes na atmosfera, prejudicando ainda a qualidade do ar.[21][22]

Dados climatológicos para Arantina
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 29,4 29,4 29,4 27,6 25,8 24,8 24,8 26,0 26,8 27,5 28,2 28,5 27,3
Temperatura mínima média (°C) 18,9 18,8 18,2 15,9 12,9 10,8 9,8 11,2 13,9 16,0 17,2 18,2 15,1
Precipitação (mm) 248,6 223,2 173,2 66,5 37,1 22,5 14,7 13,9 51,6 118,0 183,8 259,8 1 412,9
Fonte: Jornal do Tempo[19]

Fauna e floraEditar

A vegetação da cidade é formada por duas classes de formações fisionômicas ecológicas nativas, sendo estas a Florestal (pela Mata Atlântica) e o Campestre; ocorrendo também a vegetação exótica ou monoculturas.[23] Estas, associadas à topografia acidentada, resultam numa cobertura vegetal diversificada, constituindo, assim, um complexo vegetacional formado por mosaicos de comunidades de diferentes fisionomias.[23] Destacam-se na Mata Atlântica árvores como os ipês, jacarandás, angicos, quaresmeiras, araucárias e cedro.[24]

DemografiaEditar

Crescimento populacional
Censo Pop.
19702 590
19802 91112,4%
19912 638-9,4%
20002 90610,2%
20102 823-2,9%
Est. 20182 804-0,7%
Fonte: Instituto Brasileiro de
Geografia e Estatística
(IBGE)[25]

Em 2010, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2 823 habitantes.[26] Segundo o censo daquele ano, 1 415 habitantes eram homens e 1 408 habitantes mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 2 633 habitantes viviam na zona urbana e 190 na zona rural.[26] Já segundo estatísticas divulgadas em 2018, a população municipal era de 2 804 habitantes.[2]

Em 2010, segundo dados do Censo IBGE daquele ano, a população arantinense era composta por 2 196 brancos (77,79%); 216 negros (7,65%); 1 amarelo (0,04%); e 410 pardos (14,52%).[27] Considerando-se a região de nascimento, 18 eram nascidos na Região Nordeste (0,63%) e 2 792 no Sudeste (98,91%) e cinco no Sul (0,18%). 2 404 habitantes eram naturais do estado de Minas Gerais (90,3%) e, desse total, 1 382 eram nascidos em Arantina (48,96%).[28] Entre os 367 naturais de outras unidades da federação, o Rio de Janeiro era o estado com maior presença, com 270 pessoas (9,58%), seguido por São Paulo, com 60 residentes (2,13%), e pelo Espírito Santo, com seis habitantes residentes no município (0,20%).[29]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Arantina é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), sendo que seu valor é de 0,697 (o 240º maior do estado de Minas Gerais. A cidade possui a maioria dos indicadores próximos ou acima em relação à média nacional segundo o PNUD. Considerando-se apenas o índice de educação o valor é de 0,641, o valor do índice de longevidade é de 0,834 e o de renda é de 0,633.[6] Segundo o IBGE, no ano de 2003 o coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,39, sendo que 1,00 é o pior número e 0,00 é o melhor.[30] Naquele ano, a incidência da pobreza, medida pelo IBGE, era de 42,15%, o limite inferior da incidência de pobreza era de 29,79%, o superior era de 27,35% e a incidência da pobreza subjetiva era de 36,50%.[30]

De acordo com dados do censo de 2010 realizado pelo IBGE, a população de Arantina está composta por: 2 553 católicos (90,42%), 214 evangélicos (7,58%), 35 pessoas sem religião (1,24%), 7 espíritas (0,26%) e 0,5% estão divididas entre outras religiões.[31]

Política e administraçãoEditar

A administração municipal se dá pelos Poderes Executivo e Legislativo. O Executivo é exercido pelo prefeito, auxiliado pelo seu gabinete de secretários. O atual prefeito é Francisco Carlos Ferreira Alves, o Cacá, do DEM, eleito nas eleições municipais de 2016 com 52,14% dos votos válidos e empossado em 1º de janeiro de 2017, ao lado de Adriano como vice-prefeito.[32] O Poder Legislativo, por sua vez, é constituído pela câmara municipal, composta por nove vereadores.[33] Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).[34]

Em complementação ao processo Legislativo e ao trabalho das secretarias, existem também conselhos municipais em atividade, entre os quais dos direitos da criança e do adolescente (criado em 1995) e tutelar (2005).[35] Arantina se rege por sua lei orgânica, que foi promulgada em 18 de março de 1990,[36] e é termo da Comarca de Andrelândia, do Poder Judiciário estadual, de primeira entrância.[37] O município possuía, em fevereiro de 2019, 2 560 eleitores, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que representa 0,016% do eleitorado mineiro.[38]

EconomiaEditar

 
Vista parcial da cidade.

O Produto Interno Bruto (PIB) de Arantina é um dos maiores de sua microrregião,[39] destacando-se na área de prestação de serviços. De acordo com dados do IBGE, relativos a 2010, o PIB do município era de R$ 17 251 mil.[39] 537 mil eram de impostos sobre produtos líquidos de subsídios a preços correntes.[39] O PIB per capita é de R$ 6 110,81[39] Em 2011 havia 519 trabalhadores categorizados como pessoal ocupado total e 447 se enquadravam como ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 4 599 mil reais e o salário médio mensal de todo município era de 1,5 salários mínimos. Havia 83 unidades locais e 82 empresas atuantes.[40]

A agricultura é o setor menos relevante na economia de Arantina. Em 2010, de todo o PIB da cidade, 1 328 mil reais era o valor adicionado bruto da agropecuária.[39] Segundo o IBGE, em 2011, o município possuía um rebanho de 1 702 bovinos, 217 equinos, 27 muares, 362 suínos e 2 422 aves, entre estas 1 349 galinhas e 1 073 galos, frangos e pintinhos.[41] Em 2011 a cidade produziu 1 396 mil litros de leite de 693 vacas, 12 mil dúzias de ovos de galinha e 602 quilos de mel de abelha.[41] Na lavoura temporária são produzidos principalmente o feijão (28 toneladas produzidas e 20 hectares cultivados) e o milho (1 485 produzidas e 450 hectares cultivados).[42]

A indústria, em 2010, era o segundo setor mais relevante para a economia do município. 1 721 reais do PIB municipal eram do valor adicionado bruto da indústria (setor secundário).[39] Em 2000, 204 pessoas estavam ocupadas no setor industrial.[11] O movimento comercial arantinense também se expandido desde o início da década de 1990, como sinal do crescimento econômico, da modernização e, consequentemente, do progresso da cidade, apesar da lentidão com que se desenvolveu antes da década de 90.[11][23] Também em 2000, 140 pessoas estavam ocupadas no setor comercial e 445 dedicavam-se à prestação de serviços e, em 2010, 13 665 reais do PIB municipal eram do valor adicionado bruto do setor terciário.[39]

InfraestruturaEditar

Habitação e serviços básicosEditar

 
Praça de Arantina.

No ano de 2010 a cidade tinha 932 domicílios particulares permanentes. Desse total, 900 eram casas e 32 eram apartamentos. Do total de domicílios, 766 são imóveis próprios (todos próprios já quitados); 117 foram alugados; 48 foram cedidos (44 cedidos por empregador e quatro cedidos de outra forma) e cinco foram ocupados de outra maneira.[43] Parte dessas residências contava com água tratada, energia elétrica, esgoto, limpeza urbana, telefonia fixa e telefonia celular. 861 domicílios eram atendidos pela rede geral de abastecimento de água (92,38% do total); 927 (99,98%) possuíam banheiros para uso exclusivo das residências; 868 (93,13% deles) eram atendidos por algum tipo de serviço de coleta de lixo disponibilizado pela prefeitura; e 921 (98,81%) possuíam abastecimento de energia elétrica.[43]

Atualmente (2013) a responsável pelo serviço é a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Segundo a empresa, em 2003 havia 1 103 consumidores e foram consumidos 1 508 838 KWh de energia.[11] Já o serviço de coleta de esgoto da cidade é feito pela prefeitura, enquanto que Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) é a responsável pelo abastecimento de água,[11] que é extraída do Rio Turvo Pequeno e é fornecida também à cidade de Andrelândia.[15] O código de área (DDD) de Arantina é 032[44] e o Código de Endereçamento Postal (CEP) vai de 37360-000 a 37369-999.[4] No dia 3 de novembro de 2008 o município passou a ser servido pela portabilidade, juntamente com outros municípios com o mesmo DDD. A portabilidade é um serviço que possibilita a troca da operadora sem a necessidade de se trocar o número do aparelho.[45]

Entre 2006 e 2008, as taxas de homicídios[46] e óbitos por acidentes de transito[47] foram nulas em Arantina. Em 2006 e 2007 também não ocorreram óbitos por suicídios, porém em 2008 foi registrada uma morte deste cunho.[48]

Saúde e educaçãoEditar

 
Escola Estadual Pe. Franscisco Rey.

Em 2009, o município possuía dois estabelecimentos de saúde entre hospitais, prontos-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos, sendo ambos públicos, pertencentes à rede municipal e integrantes do Sistema Único de Saúde (SUS).[49] Em 2012, 99,5% das crianças menores de 1 ano estavam com a carteira de vacinação em dia.[50] Em 2010 foram registrados 24 nascidos,[51] sendo que o índice de mortalidade infantil neste ano foi nulo.[50] Também em 2010, 29,2% do total de mulheres grávidas eram de meninas que tinham menos de 20 anos.[52] 0,5% das 1 498 crianças pesadas pelo Programa Saúde da Família estavam desnutridos.[53]

Na área da educação, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) médio entre as escolas públicas de Arantina era, no ano de 2011, de 5,7 (numa escala de avaliação que vai de nota 1 a 10), sendo que a nota obtida por alunos do 5º ano (antiga 4ª série) foi de 6,3 e do 9º ano (antiga 8ª série) foi de 5,1; o valor das escolas públicas de todo o Brasil era de 4,0.[54] O município contava, em 2012, com aproximadamente 613 matrículas nas únicas instituições de ensino da cidade,[55] a Escola Estadual Padre Francisco Rey e a Escola Municipal Zara de Paula.[56]

Em 2010, de acordo com dados da amostra do censo demográfico, da população total, 727 habitantes frequentavam creches e/ou escolas. Desse total, 26 frequentavam creches, 74 estavam no ensino pré-escolar, 82 na classe de alfabetização, seis na alfabetização de jovens e adultos, 336 no ensino fundamental, 150 no ensino médio, 37 na educação de jovens e adultos do ensino médio e 16 em cursos superiores de graduação. 956 pessoas não frequentavam unidades escolares, sendo que 406 nunca haviam frequentado e 1 690 haviam frequentado alguma vez.[57] No mesmo ano, 21,6% das crianças com faixa etária entre sete e quatorze anos não estavam cursando no ensino fundamental. A taxa de conclusão, entre jovens de 15 a 17 anos, era de 85,0% e o percentual de alfabetização de jovens e adolescentes entre 15 e 24 anos era de 98,0%. A distorção idade-série entre alunos do ensino fundamental, ou seja, com com idade superior à recomendada, era de 21,6% para os anos iniciais e 23,4% nos anos finais e, no ensino médio, a defasagem chegava a 23,4%.[54]

Educação de Arantina em números (2012)[55]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 424 7 1
Ensino fundamental 124 31 1
Ensino médio 65 11 1

TransportesEditar

 
Entroncamento da BR-494 com a BR-267 em Arantina.

A frota municipal no ano de 2012 era de 705 veículos, sendo 439 automóveis, 32 caminhões, 42 caminhonetes, 14 caminhonetas, um micro-ônibus, 158 motocicletas, dez motonetas, três ônibus e seis classificados como outros tipos de veículos.[58] O terminal rodoviário mais próximo de Arantina situa-se em Bom Jardim de Minas, atendendo aos municípios com linhas que os ligam a vários destinos do estado de Minas Gerais e do Rio de Janeiro.[59] Arantina é atendida pela BR-267 – que inicia-se na cidade de Leopoldina, no entroncamento com a BR-116, e prossegue até a fronteira do Brasil com o Paraguai em Porto Murtinho, Mato Grosso do Sul – e pela BR-040 – que começa em Brasília e termina na cidade do Rio de Janeiro.[11][60]

Na década de 1890 Arantina passou a ter transporte ferroviário, sendo atendida pela Estrada de Ferro Sapucaí, que pretendia ligar o sul de Goiás a Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, passando por Barra Mansa (RJ); no entanto operou apenas linhas entre Barra Mansa e Ribeirão Vermelho (MG). As obras da ferrovia foram responsáveis pela chegada dos primeiros habitantes do atual município, sendo que a estação da cidade veio a ser inaugurada em 21 de junho de 1914 e funcionou até a década de 1990, quando a ferrovia foi desativada. O terminal foi transformado em museu e centro cultural pouco tempo depois.[9] Atualmente também há alguns aeroportos que operam próximos a Arantina, como o Aeroporto Francisco Álvares de Assis (IATA: JDFICAO: SBJF), em Juiz de Fora, situado a cerca de 110 km do centro do município,[61] e está em construção o Aeroporto Regional Vale do Aço, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, a 90 km da cidade.[62]

CulturaEditar

Atrativos e instituiçõesEditar

 
Prédio da Estação da Cultura, antiga estação ferroviária da cidade.
 
Interior do Estádio Municipal de Arantina.

Para estimular o desenvolvimento socioeconômico local, a prefeitura de Arantina, juntamente ou não com instituições locais, passou a investir mais no segmento de festas e eventos. Os principais eventos são:[63] as comemorações do aniversário da cidade, que é celebrado em 1º de março, porém com programações que se estendem por mais de uma semana; o carnaval de Arantina, em fevereiro ou março, com a realização de shows com bandas regionais e desfiles de blocos carnavalescos do município;[64] as missas, celebrações e procissões da Semana Santa, em março ou abril;[63] e as comemorações de Nossa Senhora Aparecida, anualmente em outubro.[63]

O Conselho Municipal de Cultura é o órgão em complementação ao processo legislativo que versa o setor cultural do município, sendo composto obrigatoriamente por representantes dos vários.[65] Além dos órgãos públicos, também há a atuação de outras entidades no setor cultural municipal, como a Corporação Musical Arantinense, criado na década de 1960, atuando nos principais eventos cívicos e festas religiosas da cidade.[66]

Dentre os espaços culturais, destaca-se a existência de duas bibliotecas, um museu, um teatro e um ginásio poliesportivo, segundo o IBGE em 2005.[67] Recentemente foi instalado o Museu Municipal, pioneiro da região com extenso acervo cultural que remete à história local.[68] O artesanato também é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural arantinense. Segundo o IBGE, as principais atividades artesanais desenvolvidas em Arantina eram o bordado, trabalhos com madeira e tapeçaria.[69]

FeriadosEditar

Em Arantina há dois feriados municipais e oito feriados nacionais, além dos pontos facultativos. Os feriados municipais são: o dia da emancipação política da cidade, em 1º de março; e o dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira municipal, em 12 de outubro.[63] De acordo com a lei federal nº 9.093, aprovada em 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais com âmbito religioso, já incluída a Sexta-Feira Santa.[70][71]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Arantina - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  2. a b c d e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Arantina». Consultado em 21 de março de 2019. Cópia arquivada em 21 de março de 2019 
  3. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 10. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  4. a b Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 22 de julho de 2013 
  5. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 21 de março de 2019 
  6. a b Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 8 de agosto de 2013. Cópia arquivada em 1 de agosto de 2013 
  7. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 21 de março de 2019. Cópia arquivada em 21 de março de 2019 
  8. Estações Ferroviárias do Brasil (3 de março de 2013). «Bom Jardim de Minas». Consultado em 2 de outubro de 2010. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  9. a b Estações Ferroviárias do Brasil (23 de abril de 2012). «Arantina (antina Arantes)». Consultado em 2 de outubro de 2010. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  10. Embrapa Monitoramento por Satélite. «Minas Gerais». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de maio de 2011 
  11. a b c d e f g h i Cidades.Net. «Arantina - MG». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  12. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 21 de março de 2019. Cópia arquivada em 21 de março de 2019 
  13. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 21 de março de 2019 
  14. Correio do Papagaio (11 de julho de 2013). «Deputado Duarte Bechir visita Arantina». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  15. a b Abaixo Assinado (27 de fevereiro de 2011). «Revitalização e preservação do Rio Turvo Pequeno em Andrelândia». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  16. World Map of the Köppen-Geiger climate classification. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». Institute for Veterinary Public Health. Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 24 de abril de 2011 
  17. Portal Brasil (6 de janeiro de 2010). «Clima». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011 
  18. Biblioteca IBGE. «Brasil - Climas». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 2 de novembro de 2011 
  19. a b c Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «Climatologia de Arantina - MG». Jornal do Tempo. Consultado em 2 de outubro de 2010. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  20. Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM). «Chuvas - Médias Diárias – 08/2010». Agência Nacional de Águas (ANA). Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  21. Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência (SBPC) (15 de julho de 2011). «Mapeamento das áreas municipais queimadas na região da Bacia Hidrográfica do Rio Paraibuna MG/RJ através do processamento digital de imagens do satélite Landsat 5». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  22. Andréa Moreira (5 de fevereiro de 2013). «Prefeitos da região participam de evento sobre prevenção de incêndio». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 10 de maio de 2013 
  23. a b c TEIXEIRA, Felipe Faria (2012). Curso de Turismo. Bom Jardim de Minas: [s.n.] 
  24. Bioma Urbano (24 de julho de 2009). «Árvores típicas da Mata Atlântica». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  25. Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática (Sidra) (2010). «Tabela 200 - População residente por sexo, situação e grupos de idade - Amostra - Características Gerais da População». Consultado em 22 de julho de 2013 
  26. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). «Censo 2010 - Minas Gerais» (PDF). Consultado em 11 de dezembro de 2010. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2011 
  27. Sidra (Sistema IBGE de Recuperação de Dados Automática) (2000). «População de Arantina por raça e cor». Consultado em 22 de julho de 2013 
  28. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 1505 - População residente, por naturalidade em relação ao município e à unidade da federação - Resultados Gerais da Amostra». Consultado em 5 de agosto de 2013 
  29. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2010). «Tabela 631 - População residente, por sexo e lugar de nascimento». Consultado em 6 de agosto de 2013 
  30. a b Cidades@ - IBGE. «Indicadores sociais dos municípios brasileiros». Consultado em 22 de julho de 2013 
  31. Sistema IBGE de Recuperação Automática (Sidra) (2010). «Tabela 2094 - População residente por cor ou raça e religião». Consultado em 22 de julho de 2013 
  32. Eleições 2016 (2 de outubro de 2016). «Cacá 25». Consultado em 21 de março de 2019. Cópia arquivada em 21 de março de 2019 
  33. Eleições 2012 (7 de outubro de 2012). «Candidatos a Vereador Arantina/MG». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  34. Flávio Henrique M. Lima (8 de fevereiro de 2006). «O Poder Público Municipal à frente da obrigação constitucional de criação do sistema de controle interno». JusVi. Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 6 de maio de 2012 
  35. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2011). «Conselhos municipais». Consultado em 21 de março de 2019. Cópia arquivada em 21 de março de 2019 
  36. Câmara Municipal (18 de março de 1990). «Lei Orgânica do município de Arantina» (PDF). Consultado em 21 de março de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 21 de março de 2019 
  37. Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) (21 de julho de 2013). «Relação das Comarcas» (PDF). p. 28–29. Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  38. Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (12 de abril de 2013). «Consulta Quantitativo». Consultado em 21 de março de 2019 
  39. a b c d e f g Cidades@ - IBGE (2010). «Produto Interno Bruto dos Municípios». Consultado em 22 de julho de 2013 
  40. Cidades@ - IBGE (2011). «Estatísticas do Cadastro Central de Empresas». Consultado em 22 de julho de 2013 
  41. a b Cidades@ - IBGE (2010). «Pecuária 2010». Consultado em 22 de julho de 2013 
  42. Cidades@ - IBGE (2010). «Lavoura Temporária 2010». Consultado em 22 de julho de 2013 
  43. a b Cidades@ - IBGE (2010). «Censo Demográfico 2010: Características da População e dos Domicílios: Resultados do Universo». Consultado em 22 de julho de 2013 
  44. DDD Cidade. «DDD». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 16 de julho de 2012 
  45. Estadão (3 de novembro de 2008). «Portabilidade numérica chega a mais de 31 milhões de usuários». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  46. Sangari (2011). «Número e taxas (em 100 mil) de homicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Consultado em 22 de julho de 2013 
  47. Sangari (2011). «Número e taxas (em 100 mil) de Óbitos Ac.Transporte nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Consultado em 22 de julho de 2013 
  48. Sangari (2011). «Número e taxas (em 100 mil) de suicídio nos municípios com 10.000 habitantes ou mais» (xls). Consultado em 22 de julho de 2013 
  49. Cidades@ - IBGE (2009). «Serviços de Saúde 2009». Consultado em 22 de julho de 2013 
  50. a b Portal ODM (2010). «4 - reduzir a mortalidade infantil». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  51. Portal ODM (2010). «Perfil municipal». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  52. Portal ODM (2010). «5 - melhorar a saúde das gestantes». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  53. Portal ODM (2010). «1 - acabar com a fome e a miséria». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  54. a b Portal ODM (2010). «2 - educação básica de qualidade para todos». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  55. a b Cidades@ - IBGE (2012). «Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2009». Consultado em 22 de julho de 2013 
  56. Correio do Papagaio (11 de julho de 2013). «Arantina é prata e ouro na segunda etapa do JEMG, em Cataguases». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  57. Cidades@ - IBGE (2010). «Minas Gerais » Arantina » Censo Demográfico 2010: Resultados da Amostra - Educação». Consultado em 6 de agosto de 2013 
  58. Cidades@ - IBGE (2010). «Frota 2010». Consultado em 22 de julho de 2013 
  59. SOUZA, Pedro Samuel de (2000). Bom Jardim, uma história, de Minas. Bom Jardim de Minas: Amiga 
  60. Google Maps. Acessado em 22 de julho de 2013.
  61. Em Sampa. «Juiz de Fora - MG». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  62. PanRotas (23 de dezembro de 2011). «Volta Redonda (RJ) ganhará aeroporto Vale do Aço». Consultado em 22 de julho de 2013. Cópia arquivada em 22 de julho de 2013 
  63. a b c d Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2005). «Principais festas populares». Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 27 de julho de 2013 
  64. Jornal Panorama (24 de fevereiro de 2012). «Carnaval de Arantina - um Show de Carnaval». Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 27 de julho de 2013 
  65. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2005). «Conselho Municipal de Cultura». Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 27 de julho de 2013 
  66. Prefeitura (6 de setembro de 2005). «1º Encontro de Bandas em Arantina». Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 27 de julho de 2013 
  67. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2005). «Equipamentos culturais». Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 27 de julho de 2013 
  68. Secretaria da Cultura de Minas Gerais (16 de maio de 2011). «Programação da 9ª Semana Nacional de Museus - 2011» (PDF). Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 27 de julho de 2013 
  69. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2005). «Principais atividades artesanais». Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 27 de julho de 2013 
  70. Sérgio Ferreira Pantaleão. «Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual». Guia Trabalhista. Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011 
  71. Presidência da República. «Lei n.º 9.093, de 12 de setembro de 1995». Consultado em 27 de julho de 2013. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2011 

Ligações externasEditar