Abrir menu principal

Aristolochia

género de plantas

Herbalism, toxicidade e carcinogenicidadeEditar

As plantas pertencente ao gênero Aristolochia possuem ácidos aristolóquicos e aristolactams. O ácido aritolóquico para para os seres-humanos através da amamentação, é mutagênico e mostrou-se tão carcinogênico em ratos que as autoridades de saúde da Alemanha baniu diluições homeopáticas até D10 do mercado. O aristolactam também é mutagênico. Sabe-se que o ácido aristolóquico é um nefrotóxico de animais e humanos.[1]

SinonímiaEditar

  • Einomeia Raf.
  • Endodeca Raf.
  • Euglypha Chodat & Hassl.
  • Holostylis Duch.
  • Isotrema Raf.
  • Pararistolochia Hutch. & Dalziel
  • Hocquartia Dum.[2]

EspéciesEditar

Atualmente 485 espécies são reconhecidas:[3]

PortugalEditar

Em Portugal estão presentes as seguintes espécies:

As três estão presentes em Portugal Continental; a segunda está também presente no Arquipélago da Madeira. Todas elas são nativas das regiões onde ocorrem.[4]

Classificação do gêneroEditar

Sistema Classificação Referência
Linné Classe Gynandria, ordem Hexandria Species plantarum (1753)

Referências

  1. WAYNE B. JONAS; JEFFREY S. LEVIN. Tratado de Medicina Complementar E Alternativa. MANOLE. p. 118. ISBN 978-85-204-1016-5.
  2. USDA, ARS, National Genetic Resources Program. Germplasm Resources Information Network - (GRIN) [Base de Datos en Línea]. National Germplasm Resources Laboratory, Beltsville, Maryland. URL: http://www.ars-grin.gov/cgi-bin/npgs/html/genus.pl?970 (25 August 2013)
  3. «Aristolochia» (em inglês). The Plant List. 2010. Consultado em 5 de maio de 2015 
  4. Sequeira M, Espírito-Santo D, Aguiar C, Capelo J & Honrado J (Coord.) (2010). Checklist da Flora de Portugal (Continental, Açores e Madeira) Arquivado em 29 de maio de 2014, no Wayback Machine.. Associação Lusitana de Fitossociologia (ALFA).
  Este artigo sobre magnoliídeas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.