Abrir menu principal
Arlindo Barreto
Nome completo Arlindo Tadeu Barreto Montanha de Andrade
Nascimento 19 de maio de 1953 (66 anos)
Ilhéus, BA
Nacionalidade brasileiro
Ocupação redator
ator
pastor evangélico
Cônjuge divorciado
Página oficial

Arlindo Tadeu Barreto Montanha de Andrade, mais conhecido na mídia como Arlindo Barreto (Ilhéus, 19 de maio de 1953), é um ator e pastor evangélico brasileiro, conhecido por ter sido um dos intérpretes do palhaço Bozo.[1][2] Sua vida foi a inspiração para o filme Bingo: O Rei das Manhãs, lançado em 2017.[3]

Índice

BiografiaEditar

Arlindo nasceu na cidade de Ilhéus, Bahia, filho da atriz e vedete Márcia de Windsor.[4] Ele ganhou notoriedade por ter sido um dos intérpretes do palhaço Bozo na década de 1980 no SBT.[1][2] Enquanto atuava como Bozo, Arlindo viciou-se em drogas. Após alguns anos, converteu-se à Igreja Batista e tornando-se pastor, ao ser impedido de usar o personagem Bozo, criou o palhaço Mr. Clown.[5] Atualmente coordena o projeto Hidrovia Tietê, filiado a CBESP (Convenção Batista do Estado de São Paulo), que possui um barco que sobe o rio Tietê levando ajuda à população das cidades ribeirinhas, distribuindo alimentos, roupas, remédios e bíblias, além de realizar atendimentos médicos.[4] Casou-se com Elizabeth Locatelli, produtora do programa Bozo, com quem teve dois filhos. Arlindo já tinha outro filho de um relacionamento anterior. [5] Após quase 30 anos de relacionamento Arlindo e Elizabeth se divorciaram. Em 2017 Arlindo aguarda o nascimento de dois netos, frutos do casamento do filho mais velho, que é retratado no filme, e do casamento da filha mais nova, Stacy Locatelli que é atriz e cantora. Em 2012, trabalhou no SBT com a dupla Patati Patatá.[6] O filme Bingo: O Rei das Manhãs, acompanhando a vida de Arlindo Barreto, foi lançado em 2017. Dirigido por Daniel Rezende, o longa-metragem traz Vladimir Brichta no papel de Barreto. O nome "Bozo" não foi usado por questões de direito autoral. Em entrevista ao jornal O Globo, Barreto declarou que os eventos mostrados no filme de fato aconteceram, mas de forma diferente. Ele deu permissão para as mudanças por entender que elas aumentariam o efeito dramático, necessário para que o filme fosse interessante – mas fez questão que fosse mostrada sua conversão à Igreja Evangélica.[7]

Trabalhos na televisãoEditar

Trabalhos no cinemaEditar

Como atorEditar

  • 1979 - A Intrusa;
  • 1979 - E Agora José? - Tortura do Sexo;
  • 1979 - As Borboletas Também Amam … Flávio (apresentando)[8];
  • 1979 - Vamos Cantar Disco Baby;
  • 1980 - A Noite das Taras;
  • 1980 - Corpo Devasso;
  • 1980 - Império das Taras;
  • 1980 - O Inseto do Amor;
  • 1980 - Palácio de Vênus;
  • 1981 - A Insaciável - Tormentos da Carne;
  • 1981 - Anarquia Sexual;
  • 1981 - Delírios Eróticos;
  • 1981 - Me Deixa de Quatro;
  • 1982 - A Fábrica das Camisinhas;
  • 1982 - A Primeira Noite de Uma Adolescente;
  • 1982 - Mulheres Liberadas;
  • 1982 - Sexo às Avessas;

Como diretorEditar

  • 1983 - Escândalo na Sociedade;

Como redatorEditar

Referências

  1. a b Edna de Souza Faria (2 de fevereiro de 2013). «PUBLICAÇÕES>HISTÓRIA DE VIDA - Perfil:Arlindo Barreto e Bozo». canalterceiraidade.com.br 
  2. a b «Arlindo Barreto, ex-Bozo, volta à televisão como redator». Globo.com. Extra.globo.com. 17 de maio de 2011 
  3. «'Bingo – O rei das manhãs' recria a vida 'mucho loca' do ator por trás do Bozo». O Globo. 24 de agosto de 2017. Consultado em 28 de agosto de 2017 
  4. a b «Bozo e seus 20 anos de trabalho, Revista Enfoque». Revistaenfoque.com.br 
  5. a b Raquel Freire (dezembro de 2007). «O Palhaço de Deus». Revista Piaui. Consultado em 2 de janeiro de 2017 
  6. Patati Patatá Revista Trip
  7. «Arlindo Barreto, o Bozo, conta o que é verdade ou não em 'Bingo - O Rei das Manhãs'». O Globo. 24 de agosto de 2017. Consultado em 29 de agosto de 2017 
  8. «As Borboletas também Amam». Cinemateca Brasileira 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.