Abrir menu principal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde dezembro de 2011). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Arlindo Lopes
Nascimento 7 de março de 1979 (40 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação Ator

Arlindo Lopes (Rio de Janeiro, 7 de março de 1979) é um ator brasileiro.

Índice

BiografiaEditar

Fez escola de teatro na CAL - Casa de Arte das Laranjeiras. A estréia profissional nos palcos foi em 1999, na montagem de Um Homem Chamado Shakespeare, com direção da crítica de teatro Bárbara Heliodora. Participou de montagens marcantes como Laranja Mecânica, Trainspotting peça vencedora do Prêmio Shell de Melhor Direção, Alice através do Espelho, Marat-Sade, o musical de grande sucesso Cauby! Cauby! sobre a vida de Cauby Peixoto, ao lado de Diogo Vilela e O Jardim Secreto (baseada em The Secret Garden, de Frances Hodgson Burnett), pelo o qual concorreu ao Prêmio Zilka Sallaberry de Teatro Infantil na categoria de Melhor Ator.

Sua estréia na televisão foi num episódio do programa Brava Gente e, em telenovela, foi em Sabor da Paixão, Da Cor do Pecado de João Emanuel Carneiro,, onde formou um dupla cômica com Matheus Nachtergaele e em 2014 esteve em Geração Brasil de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira, todas com direção de Denise Saraceni na Rede Globo. Também participou dos programas A Grande Família, A Diarista, Faça Sua História, Do Amor, Adorável Psicose e da minissérie Amazônia, de Galvez a Chico Mendes.

Em cinema, participou do longa-metragem Cazuza - O Tempo não Pára com direção de Sandra Werneck e Walter Carvalho, como o baixista Dé Palmeira (o caçula dos "Barões") e também participou doTelefilme Nascemos para Cantar - Chitãozinho e Xororó com direção de André Ristum exibido na Record onde interpretava o cantor Chitãozinho na década de 70/80. Os mais recentes trabalhos em cinema com previsão de lançamento em 2017 são: A Voz do Silêncio de André Ristum que protagoniza ao lado de Marieta Severo, o filme português Mulheres de Leonel Vieira, e as participações em O Beijo no Asfalto que marca a estreia de Murilo Benício como diretor e Berenice Procura de Allan Fitterman.

Em 2007 estreou o espetáculo Ensina-me a Viver de Colin Higgins ao lado da atriz Glória Menezes com direção de João Falcão. A peça foi uma adaptação do longa-metragem de 1971 Harold and Maude de Hal Ashby. Nesta versão teatral Arlindo e Glória viveram a improvável história de amor entre Harold - um jovem de 19 anos - e Maude - uma senhora de 79 anos-. O espetáculo em 2012 chegou ao fim completando 5 anos em cartaz, um sucesso de público que arrebanhou mais de 700 mil espectadores pelas 29 cidades em que passou.

O ator foi também um dos produtores do espetáculo. Para tornar a montagem possível, Arlindo comprou os direitos da peça por duas vezes e captou recursos durante 4 anos. Neste tempo, soube que Glória Menezes também guardava a vontade de fazer a personagem e, assim, estava dado o pontapé inicial para o "emocionante espetáculo" assim descrito pela crítica e que foi sucesso de bilheteria. A peça recebeu o Prêmio APTR de Melhor Produção 2008 e venceu as categorias do Prêmio Arte Qualidade Brasil de Melhor Espetáculo Drama, Melhor Ator Drama, Melhor Atriz Drama e Melhor Diretor. A trajetória da peça virou ainda um livro e um documentário. Em 2013 a Editora Record reconhecendo a importância da montagem resolveu imortalizá-la com o casal de protagonistas ilustrando a capa no relançamento do romance de Colin Higgins na edição de bolso. Arlindo e Glória voltaram a se encontrar na TV, agora eles seriam Vitório e Violeta. Foi a forma que o diretor do espetáculo João Falcão e também autor do seriado Louco por Elas encontrou para trazer de volta em uma releitura o casal que desafia as barreiras da diferença de idade para viver um relacionamento amoroso.

A Ver Estrelas texto e direção de João Falcão, foi o segundo espetáculo produzido por Arlindo em conjunto com Fernanda de Freitas e Maria Siman.A peça venceu o Prêmio Zilka Salaberry de Melhor Direção em 2009, além de ter recebido outras quatro indicações.

Em 2015 fez a sua estreia como diretor e adaptador no musical infantil As Aventuras do Menino Iogue que esse ano venceu os prêmios de Melhor Direção, Adaptação, Atriz Coadjuvante, Ator Coadjuvante, Luz, Design de Som, Visagismo, Direção Musical e Direção de Movimento.

CarreiraEditar

Na TelevisãoEditar

Ano Título Personagem Emissora
2018 Malhação: Vidas Brasileiras Getúlio Melo[1] Rede Globo
2016 A Lei do Amor Sansão
2014 Geração Brasil Devendra Ananda (Murphy)[2]
2013 Louco por Elas Vitório[3]
Adorável Psicose Felipe Multishow
2012 Do Amor Rodrigo
2010 Nascemos para Cantar José Lima Sobrinho (Chitãozinho) RecordTV
2008 Faça Sua História Adolescente Rede Globo
Uni Duni TV Valdisnei Tavares MultiRio
2007 Amazônia, de Galvez a Chico Mendes Alcides Rede Globo
2005 A Diarista Enfermeira (Eps: "Aquele do Raio-X")
Tecendo o Saber Ezequiel
2004 Da Cor do Pecado César dos Santos (Cezinha)
2002 Sabor da Paixão Josefino (Zezinho)
A Grande Família Carteiro
2001 Malhação Adalberto (Beto)

No CinemaEditar

No teatroEditar

PrêmiosEditar

  • Prêmio Arte Qualidade Brasil 2008 - Melhor Ator Teatral Drama por Ensina-me a Viver.
  • Prêmio APTR de Melhor Produção 2008 por Ensina-me a Viver - para os produtores associados Arlindo Lopes, Glória Menezes e Maria Siman.
  • Prêmio Botequim Cultural 2015 de Melhor Direção e Adaptação por As Aventuras do Menino Iogue.
  • Prêmio Arte Qualidade Brasil 2008 - Melhor Espetáculo Teatral Drama por Ensina-me a Viver.
  • Prêmio Zilka Salaberry 2009 - Melhor Diretor - João Falcão por A Ver Estrelas.

Referências

  1. Carla Bittencourt (30 de janeiro de 2018). «Arlindo Lopes fura orelha para viver tipo aproveitador em "Malhação: Vidas brasileiras"». Extra.com. Consultado em 25 de fevereiro de 2018 
  2. Flávio Ricco (28 de fevereiro de 2014). «Jornal da Record começa a mostrar a sua cara». UOL Televisão. Consultado em 5 de abril de 2014. Para ver a informação, vá até o fim da página, no subtítulo Bate - Rebate. 
  3. Gshow (11 de junho de 2013). «Seriado homenageia sucesso de Glória Menezes e Arlindo Lopes nos palcos». Por Trás das Câmeras - Louco por Elas. Consultado em 13 de julho de 2014 

Ligações externasEditar

Blog [1]

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.