Abrir menu principal
Arlindo Rodrigues
Na peça “Freud explica, explica?”
Nascimento 1931
Morte 1987 (56 anos)
Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Cenógrafo
Figurinista
Carnavalesco

Arlindo Rodrigues (1931 - Rio de Janeiro, 1987) foi um cenógrafo, figurinista e carnavalesco brasileiro[1].

Trabalhou para o teatro e para a televisão, mas se destacou pelas suas criações para o carnaval, especialmente nos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro.

Estreou como carnavalesco em 1960, no Salgueiro. Influenciado por Fernando Pamplona, realizou diversos carnavais para a escola tijucana até 1972. Sua marca nesse período foram os enredos históricos, com forte presença de temas africanos[2].

Trabalhou também para a Mocidade Independente (1974-1976, 1979), Vila Isabel (1977), Imperatriz Leopoldinense (1980-1983, 1985, 1987) e União da Ilha (1986). Foi sete vezes campeão do carnaval carioca, sendo quatro pelo Salgueiro, duas pela Imperatriz e uma pela Mocidade.

A família de Arlindo segue envolvida com o carnaval. Seu sobrinho, Flávio Campello, é carnavalesco e já assinou desfiles do carnaval de São Paulo, na Mocidade Alegre e na X-9 Paulistana.

Arlindo Rodrigues faleceu vítima complicações devido ter contraído o vírus HIV , no Rio de Janeiro.

Carnavais de Arlindo RodriguesEditar

Ano Escola Colocação Divisão Enredo
1960 Salgueiro Campeã 1 Quilombo dos Palmares
1961 Salgueiro Vice-Campeã 1 Vida e obra do Aleijadinho
1962 Salgueiro 3º lugar 1 O Descobrimento do Brasil
1963 Salgueiro Campeã 1 Xica da Silva
1964 Salgueiro Vice-Campeã 1 Chico Rei
1965 Salgueiro Campeã 1 História do Carnaval Carioca
1967 Salgueiro 3º lugar 1 História da liberdade no Brasil
1968 Salgueiro 3º lugar 1 Dona Beja, a feiticeira de Araxá
1969 Salgueiro Campeã 1 Bahia de Todos os Deuses
1970 Salgueiro Vice-Campeã 1 Praça XI carioca da gema
1971 Salgueiro Campeã 1 Festa para um rei negro
1972 Salgueiro 5º lugar 1 Nossa madrinha, Mangueira querida
1973 Mocidade 7º lugar 1 Rio Zé Pereira
1974 Mocidade 5º lugar 1-A A Festa do Divino
1975 Mocidade 6º lugar 1-A O Mundo Fantástico do Uirapurú
1976 Mocidade 3º lugar 1-A Mãe menininha do Gantois
1977 Vila Isabel 5º lugar 1-A Ai que saudade que eu tenho
1978 Mocidade 3º lugar 1-A Brasiliana
1979 Mocidade Campeã 1-A O Descobrimento do Brasil
1980 Imperatriz Campeã 1-A O que que a Bahia tem?
1981 Imperatriz Campeã 1-A O teu cabelo não nega (só dá Lalá)
1982 Imperatriz 3º lugar 1-A Onde canta o Sabiá
1983 Imperatriz 4º lugar 1-A O rei da Costa do Marfim visita Xica da Silva em Diamantina
1984 Salgueiro 4º lugar 1-A Skindô, Skindô
Unidos de Padre Miguel Campeã 1-A O Quilombo dos Palmares
1985 Imperatriz 8º lugar 1-A Adolã, a cidade mistério
1986 União da Ilha 5º lugar 1-A Assombrações
1987 Imperatriz 6º lugar 1-A Estrela Dalva

Referências