Abrir menu principal

Armazenamento de áudio

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O armazenamento de áudio é a tecnologia de guardar em formatos físicos ou digitais um som captado em um ambiente. Por exemplo, guardar a gravação de voz por um microfone em um arquivo MP3.

HistóriaEditar

Ao longo da História humana houve o desejo de perpetuar os sons, gravando-os. Em 1806, Thomas Young, consegue reproduzir o "aspecto" dos sons num cilindro revestido a negro de fumo, fazendo as marcas através de um estilete. Em 1857 o pintor francês Leon Scott inventou o Fonautógrafo, que era um aparelho semelhante ao anterior, constituído por um funil no fundo do qual se encontrava uma membrana que tinha presa uma cerda de porco. Como o invento de Thomas Young podia-se ver o aspecto das linhas produzidas pelos sons mas não se podiam reproduzir.

Em 1877 há o grande avanço, e a grande confusão. A 18 de Abril Charles Cros, em França, apresentou o "Paléophone", enquanto a 18 de Agosto, Thomas Alva Edison apresentava o "Fonógrafo". Ambos os aparelhos eram muito semelhantes, constituídos principalmente por um cilindro que se fazia rodar enquanto um estilete gravava o som numa folha de estanho. No final a paternidade da primeira gravação sonora foi atribuída a Edison. Como este tipo de gravação tinha uma duração muito limitada, cerca de um minuto, e só podia ser utilizado 3 ou 4 vezes, em 1886 Chichester Bell e Charles Tainer registaram o "Gramofone" em que a folha de estanho foi substituída por um cilindro de cera mineral, melhorando quer a qualidade sonora, quer a duração dos cilindros. No entanto, a grande revolução acontece passados 2 anos quando Emile Berliner muda a forma dos cilindros para discos planos com 33 cm de diâmetro e 6 de espessura.

Entretanto eram dados os primeiros passos num tipo de gravação completamente novo: a gravação magnética. Em 1898 é apresentado por Valdemar Poulsen um sistema de gravação, "Telegraphone", constituído por um arame que era magnetizado por um electroímã que estava ligado a um microfone. Para a reprodução tornava-se a passar o mesmo arame por um electroímã e, por indução magnética, era reproduzido o som. No início do século XX, a gravação em cilindro caiu em desuso, tendo sido apresentado pela primeira vez em 1907 um disco de dupla face e com a espessura de 1 centímetro. Diversas dimensões dos discos e materiais para a sua confecção foram sendo testados até chegarmos à década de 1950, ano em que os discos passaram genericamente a ser feitos de vinil em vez de goma-laca, como até aí, e se optou por utilizar as velocidades 33 1/3 rpm e 45 rpm, em vez das 78 rpm.

A mudança quer de velocidade quer de material permitiu uma melhor qualidade de som, quer aumentar a capacidade dos discos. Mas o universo da gravação magnética não parou e, em 1934, a BASF, mudou o suporte de arame das gravações para uma fita plástica coberta num dos lados por óxido de ferro. A grande inovação era que este tipo de gravação era reutilizável e editável. Em 1970 começa o estudo da gravação de som em formato digital, mas só em 1983 começou a comercialização do Compact Disc, ou CD. Com a popularização do MP3, o CD teve queda na indústria, e por isso, se tornou mais comum usar um pendrive para ouvir música, do que um CD.

Formatos digitaisEditar

Formatos gratuitos e de código aberto • WAV (ou WAVE), WAVEform audio format, é um formato-padrão de arquivo de áudio da Microsoft e IBM para armazenamento de áudio em PCs É uma variação do método de formatação de fluxo de bits RIFF para armazenar dados em blocos. Usado normalmente para armazenar ficheiros de som com qualidade de CD, segundo o formato de modulação de pulsos PCM, um método de armazenamento sem perda. Estes ficheiros costumam ser muito grandes, cerca de 10 MB por minuto. Contudo podem ser utilizados codecs de compressão com perda para reduzir o tamanho dos ficheiros.

• OGG – um formato que permite uma grande variedade de codecs, sendo o mais popular o vorbis (daí este formato ser normalmente referido como ogg-vorbis). O codec Vorbis oferece uma compressão parecida à MP3, mas é menos popular.

• Musepack ou MPC é um codec de audio de compressão com perda de código. Optimizado especificamente para compressão de audio stereo em bitrates de 160-180 kbits/s. O formato Musepack e o Ogg Vorbis são considerados os dois melhores para compressão com perda de alta-qualidade, contudo o format MPC é ainda menos popular que o Ogg Vorbis e é utilizado apenas por especialistas.

• flac – um codec de compressão sem perda.

• aiff – é o formato de áudio padrão usado pela Apple. É muito semelhante ao WAVE, mas para Macintosh.

• raw – Um ficheiro raw pode conter áudio em qualquer codec mas é normalmente usado com o formato de modelação PCM. É raramente utilizado excepto para testes técnicos . • au – é o formato padrão para ficheiros audio usado pela SUN, JAVA e sistemas operativos UNIX/LINUX. O audio em ficheiros au pode ser modelado por PCM ou comprimido Segundo a lei-μ, lei-a ou codecs G729.


Formatos Open-file

• gsm – criado para uso telefónico na Europa, o formato gsm é um formato prático para vozes com qualidade telefónica. Tem uma boa relação qualidade-tamanho. Note-se que os ficheiros wav também podem utilizar o codec gsm.

• Dct – um formato mutável usado para ditados. Pode ser encriptado e por isso é usado frequentemente em processos em que é requerido sigilo profissional.

• vox – O formato vox usa normalmente o codec de modulação dialógica ADPCM. Faz compressão a 4-bits. Os ficheiros Vox são semelhantes aos wave mas não contêm qualquer informação sobre si mesmos, portanto a taxa de amostragem e o número de canais tem de ser especificado pelo utilizador para o ficheiro ser reproduzido.

• aac – Advanced Audio Coding, é um formato baseado nas características padrão do MPEG2 e MPEG4. É um que tem sido formato largamente difundido pela Apple.

• mp4/m4a – o áudio MPEG-4 é normalmente AAC, mas por vezes encontramos codecs MP2/MP3, MPEG-4 SLS, CELP, ou HVXC.

• mmf – um formato áudio criado pela Samsung para toques de telemóvel.

Formatos patenteados

mp3 – o formato MPEG Layer-3 é o mais popular para baixar e armazenar musica. Ao eliminar porções do ficheiro áudio que são consideradas por definição inaudíveis, os ficheiros mp3 são comprimidos até um décimo do que se usassem modulação PCM, mantendo uma qualidade de som razoável.

WMA – o popular formato Windows Media Audio, da Microsoft. Criado com protocolos anti-cópia.

atrac (.wav) – o antigo formato ATRAC da SONY. É uma extensão do wav e para ser reproduzido requer apenas a instalação de uma driver ATRAC3.

ra – um formato Real Audio criado especificamente para streaming pela internet. O formato .ra permite que os ficheiros sejam armazenados sozinhos no computador, com toda a data dentro do próprio ficheiro áudio.

ram – um ficheiro de texto com um link para um endereço na internet onde o ficheiro Real Audio está armazenado. O ficheiro ram não contém áudio em si mesmo.

Dss – os ficheiros Digital Speech Standard estão patenteados pela Olympus. É um codec já antigo e um pouco obsoleto. Permite que informações adicionais sejam adicionadas ao título do ficheiro. Msv – um formato da Sony usado para ficheiros de vozes comprimidas.

dvf – um formato da Sony para ficheiros de vozes comprimidos. Usado pelos gravadores de voz da marca.

IVS – um formato desenvolvido pela 3D SOLAR UK Ltd para musica baixada da sua Loja de musica online Tronme no seu leitor de musica e vídeo. É um formato com proteção de direitos de autor e logo anti-cópia.

m4p – Um formato desenvolvido pela Apple para musica baixada da sua loja de musica online iTunes. Bastante parecido com o AAC, com a diferença de ter protocolos anticópia e de protecção de direitos de autor.

iklax – um formato desenvolvido pela iklax Media. Este formato áudio permite a separação do som em várias faixas, e a sua consequente mistura e manipulação. É usado sobretudo em estúdios de gravação.

mxp4 – um format desenvolvido pela Musinaut que permite a reprodução da mesma musica de diferentes maneiras, interagindo o utilizador com o artista de forma indirecta.

3gp – um format multimedia que contém outros patenteados como AMR, AMR-WB ou AMR-WBmas também alguns formatos de código aberto.

amr - AMR-NB audio, um formato utilizado sobretudo para voz. Está preparado para uma largura de banda de 200-3400 Hz.

awb - AMR-WB audio, um formato utilizado sobretudo para voz. Está preparado para uma largura de banda de 50–7000 Hz.


Tipos de Suporte para Gravação de SomEditar