Abrir menu principal

Armengol III de Urgel

Armengol III de Urgel
Conde de Urgel
Ermengol III e Raimundo Berenguer I "Livre Feudorum Ceritaniae".
Nome completo
Armengol III de Urgel
Morte 1065
  Monzón, Barbastro, Huesca
Pai Armengol II de Urgel
Mãe Velasquita cognomento Constança de Besalú

Armengol III de Urgel (?- Monzón, Barbastro, Huesca, 1065) foi Conde de Urgel de 1038 a 1065. Foi detentor da Tenência da cidade de Barbastro como recompensa da sua colaboração com o rei de Aragão Sancho I de Aragão (10424 de Junho de 1094), na conquista desta cidade ao caudilho taifa Amade Almoctadir. Faleceu durante os combates da contra ofensiva do taifa de Saragoça, que tentava recuperar a referida cidade.[1]

Relações familiresEditar

Foi filho de Armengol II de Urgelo Peregrino” (1009 - Jerusalém, 1038), conde de Urgel e de Velasquita cognomento Constança de Besalú (m. circa 1066), filha de Bernardo I Tallaferro. Casou por três vezes, a primeira em 1050 com Adelaide de Besalú (? - 1055), filha de Guillem I de Besalú e Adelaida de quem teve a:

  1. Armengol IV de Urgel (? -1092), conde de Urgel casou por duas vezes, a primeira com Lúcia de la Marche e a segunda com Adelaide de Forcalquier, condessa de Forcalquier
  2. Isabel de Urgel (? - 1071) casou por duas vezes, a primeira em 1065 com Sancho Ramírez e a segunda em 1071 com Guilherme Ramon I, conde de Cerdanha e Berga.

O Segundo casamento foi em 1055 com Clemência de Bigorre, filha do Conde Bernardo II de Bigorre (1014 - 1077) e de Clemência (? - 1062), de quem teve:

  1. Ramon de Urgel, casou com Branca Viscondessa,
  2. Guillermo de Urgel,
  3. Berenguer de Urgel,

O terceiro casamento foi em 1065 com Sancha de Aragão, infanta de Aragão, filha do rei Ramiro I de Aragão[2] (? - c. 1095) e de Ermesenda de Bigorra.

Referências

  1. Antonio Ubieto Arteta (1987). Creación y desarrollo de la Corona de Aragón, Zaragoza, Anubar (Historia de Aragón). [S.l.: s.n.] p. 44. ISBN 84-7013-227-X 
  2. Alvar Ezquerra, Jaime (2001). Ediciones Istmo, ed. «Diccionario de historia de España» (em espanhol). Madrid: Tres Cantos. p. 48. ISBN 84-7090-366-7. Consultado em 26 de setembro 2011. Ramiro I (1035-1063) es considerado el primer rey privativo de Aragón, aunque es probable que no llegara a utilizar el título rex