Arquidiocese de Estrasburgo

Arquidiocese de Estrasburgo
Archidiœcesis Argentoratensis
Catedral de Nossa Senhora de Estrasburgo
Localização
País França
Arquidiocese metropolitana Imediatamente sujeita à Santa Sé
Estatísticas
População 1 900 000
Área 8 280 km²
Paróquias 767
Sacerdotes 830
Informação
Rito romano
Criação da diocese Século IV
Elevação a arquidiocese 1 de junho de 1988
Padroeiro Santo Arbogasto
Governo da arquidiocese
Arcebispo Luc Marie Daniel Ravel, C.R.S.V.
Bispo auxiliar Christian George Nicolas Kratz
Vincent Dollmann
Arcebispo emérito Jean-Pierre Grallet, O.F.M.
Jurisdição Arquidiocese
Contatos
Endereço Archeveche, 16 rue Brulee, 67081 Strasbourg
Página oficial http://www.diocese-alsace.fr/
dados em catholic-hierarchy.org
Arquidiocese de Estrasburgo

A Arquidiocese de Estrasburgo (Archidiœcesis Argentoratensis o Argentinensis) é uma arquidiocese da Igreja Católica situada em Estrasburgo, na França.[1] É fruto da elevação da Diocese de Estrasburgo, eregida no século IV. Seu atual arcebispo é Jean-Pierre Grallet. Sua é a Catedral de Nossa Senhora de Estrasburgo.

Em 2017 possuía 767 paróquias assistidas por 697 párocos e cerca de 75,3% da sua população jurisdicionada batizada.[1]

HistóriaEditar

A diocese de Estrasburgo é mencionada pela primeira vez em 343 com o santo Amando, primeiro bispo conhecido. No século V a cidade foi destruída pela invasão dos alamanos. Por volta do século VI, com a anexação da região em primeiro lugar no reino Merovíngio e depois pelos carolíngios, o cristianismo passou a se espalhar e ser reforçado pelo trabalho dos dois bispos santos, Arbogasto e Florêncio, missionários irlandeses e monges, entre eles deve-se mencionar São Columbano e São Gall.

No século IX, a diocese de Estrasburgo tornou-se parte da província eclesiástica da Arquidiocese de Mogúncia e assim permaneceu até a Revolução Francesa. Em 962 a Alsácia juntou-se ao Sacro Império Romano-Germânico. O bispado se tornou um estado cliente do Império do século XIII até 1803, com exceção de Estrasburgo, que tinha o estatuto de cidade livre desde 1262.

Durante a época da Reforma (século XVI), Estrasburgo e a Alsácia viam o conflito entre protestantes e católicos, uma luta que acendia sempre que a sé do bispo era deixado vago. Ambos os lados lutavam para impor seu próprio candidato, realizada sempre no dia da festa católica, desta forma conseguiram preservar uma Estrasburgo e região católicas, enquanto a catedral permaneceu como um centro de culto protestante.

Com a Paz de Vestfália de 1648, a Alsácia tornou-se o território do reino da França. Somente em 1681 volta a catedral da cidade ser de culto católico.

Durante a última parte do século XVII, a maioria de seus territórios foram anexados à França, perdeu grupos nas áreas em torno de Saverne, Molsheim, Bevefelden, Dachstein, Dambach, Kochersberg, Erstein, Kästenbolz, Rhinau e Mundat (na região que consiste em cidade de Rouffach, Soultz e Eguisheim). As anexações foram reconhecidas pelo Sacro Império Romano-Germânico com o Tratado de Ryswick de 1697. Somente a porção leste do rio Reno, que cruza a diocese, manteve-se parte do império, que incluía as áreas de Oberkirch, Ettenheim e Oppenau. O território restante foi secularizado em Baden em 1803.

Em 6 de outubro de 1822 pela bula Paternae charitatis do Papa Pio VII, Estrasburgo tornou-se parte da província eclesiástica da Arquidiocese de Besançon.

Em 14 de junho de 1874, nos termos do Decreto Rem in ecclesiastica da Congregação Consistorial, a diocese tornou-se imediatamente sujeita à Santa Sé. Em 10 de julho do mesmo ano adquiriu os territórios que haviam pertencido à Diocese de Saint-Die e que, após a Guerra Franco-Prussiana tornou-se alemã.

Em 19 de janeiro de 1935, os arcebispos de Toulouse ganharam o direito de acrescentar ao seu título os da diocese de Rieux e da diocese de Saint-Bertrand-de-Comminges, suprimidas.

A diocese foi elevada à categoria de arquidiocese em 1 de junho de 1988 pelo Papa João Paulo II,[1] sem se tornar uma sé metropolitana. Os arcebispos são nomeados pelo presidente francês.

PreladosEditar

Administração local:[1]

BisposEditar

ArcebisposEditar

Referências

  1. a b c d Cheney, David M. (2019). «Archdiocese of Strasbourg». The Hierarchy of the Catholic Church. Consultado em 22 de julho de 2019. Cópia arquivada em 31 de março de 2019 
  2. Dois meses de episcopado.
  3. Eleito pelo capítulo da catedral em 26 de janeiro de 1569.

Ligações externasEditar


 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Arquidiocese de Estrasburgo