Abrir menu principal

Arquidiocese de Poitiers

Arquidiocese de Poitiers
Archidiœcesis Pictaviensis
Catedral-Basílica de São Pedro
Localização
País  França
Dioceses sufragâneas Angoulême, La Rochelle, Limoges, Tulle
Estatísticas
População 743 417
Área 13 098 km²
Paróquias 604
Sacerdotes 223
Informação
Rito rito romano
Criação da diocese século III
Elevação a arquidiocese 8 de dezembro de 2002
Catedral Catedral-Basílica de São Pedro
Governo da arquidiocese
Arcebispo Pascal Jean Marcel Wintzer
Jurisdição Arquidiocese Metropolitana
Contatos
Página oficial http://www.diocese-poitiers.com.fr/
dados em catholic-hierarchy.org

A Arquidiocese de Poitiers (Archidiœcesis Pictaviensis) é uma arquidiocese da Igreja Católica situada em Poitiers, na França. É fruto da elevação da diocese de Poitiers, criada no século III. Seu atual arcebispo é Pascal Jean Marcel Wintzer. Sua é a Catedral-Basílica de São Pedro.

Possui 604 paróquias servidas por 223 padres, contando com 84,7% da população jurisdicionada batizada.

HistóriaEditar

A diocese é atestada a partir da metade do século IV, sufragânea da arquidiocese de Bordeaux, sé metropolitana da província romana da Aquitania seconda.

O primeiro bispo historicamente documentado é Hilário de Poitiers, que ocupou a sé de Poitiers alguns anos antes do concílio de Béziers (356), no qual, por não se curvar para as idéias arianistas do imperador, foi exilado na Frígia. Aqui ele foi capaz de participar do Conselho de Seleucia em Isauria (359); no ano seguinte, ele voltou a Gália e morreu em 367 ou 368. Em 312 foi criada uma escola ao lado da catedral, onde foi um aluno Hilário e no século VI são Venâncio Fortunato, bispo de Poitiers e celebrado autor eclesiástico.

Na origem a diocese era muito vasta e alcançava o oceano Atlântico. No século IX e X as invasões dos bretões e os ataques dos condes de Anjou levou à venda forçada de porções de seu território, respectivamente, as Diocese de Nantes e diocese de Angers.

Pouco depois na metade do século XII foi iniciada a construção da atual catedral, graças ao apoio de Leonor da Aquitânia e de seu marido Henrique II de Inglaterra. Foi consagrada em 17 de outubro de 1379.

Em 13 de agosto de 1317, com uma bula do Papa João XXII, foi subtraído de Poitiers toda a parte centro-oeste da diocese em que o papa eregiu as Diocese de Luçon e Diocese de Maillezais. Esta decisão removeu da diocese 3 arciprestados e 7 decanatos, que incluiu 456 paróquias, 16 abadias e 218 priorados.[1]

Carlos VII instituiu a universidade de Poitiers, em oposição a de Paris, que era alinhada com Henrique VI da Inglaterra. Em 28 de maio de 1431 o Papa Eugênio IV aprovou a universidade com uma bula papal.

Em 15 de abril de 1583 o bispo Geoffroy de Saint-Belin adotou o rito romano em toda a diocese.[2]

Em 29 de novembro de 1801 na sequência da concordata os limites da diocese foram substancialmente modificadas para torná-los coincidir com os departamentos de Vienne e Deux-Sevres. Cedeu 130 paróquias às dioceses vizinhas, mas incorporou 93 paróquias retidas da Diocese de La Rochelle e 35 que tinham pertencido à suprimida Diocese de Saintes.[3]

Em 1 de setembro de 1974 a paróquia de Puy-Saint-Bonnet, que desde 1 de setembro de 1973 fazia parte do departamento de Maine e Loire, é cedida à diocese de Angers.

Em 8 de dezembro de 2002, na sequência da reorganização das circunscrições eclesiásticas francesas, Poitiers foi elevada à categoria de arquidiocese metropolitana.

PreladosEditar

Diversos são os manuscritos que reportam o catálogo dos bispos de Poitiers. Quatro destes são antes do século XIII e, de acordo com Duchesne, "documentos históricos são importantes porque representam a tradição reconhecida no século XII, na Igreja de Poitiers, na sucessão dos bispos aqui." Desde o século VI, o catálogo é amplamente confirmado pelos documentos e evidências históricas; ao contrário, há certeza sobre os nomes anteriores, desta vez, por causa de 23 bispos mencionados, apenas Hilário está historicamente documentado.[4]

Referências

  1. Beauchet-Filleau, op. cit., p. IX.
  2. (em francês) Abbé du Tressay, Histoire des moines et des évêques de Luçon, vol. II, Paris, 1869, p. 147
  3. Beauchet-Filleau, op. cit., p. X.
  4. A lista inteira do catálogo é reportada em Duchesne, op. cit., pp. 77-79, e no site da diocese de Poitiers. A presente cronologia, na esteira da Gallia christiana e de Duchesne, parte do santo Hilário.
  5. Segundo Duchesne (op. cit., p. 80), Pascêncio I é nada mais do que uma duplicação da Pascêncio II, que existia de fato no século VI, fruto de um erro de interpretação da biografia de santo Hilário escrita por Venâncio Fortunato.
  6. Gallia christiana excluiu da sua cronologia este bispo, porque seria abade (e bispo) e em qualquer caso precederia Santo Hilário; cfr. ainda Duchesne pp. 81-82.
  7. Depois de Jean I, Gallia christiana insere Emerano de Ratisbona, que segundo a tradição foi bispo de Poitiers antes de evangelizar a Germânia. Ausente no catálogo de Poitiers.
  8. Gauberto, juntamente com os predecessores Eparquio e Ansoaldo, são mencionados em um documento de 794 como benfeitores antigos de um mosteiro em Nouaillé.
  9. A referência a 757 é contida em Gallia christiana e Gams, mas é ausente em Duchesne.
  10. Ausente na Gallia christiana.
  11. O epitáfio de Jean II foi composto por Alcuino em torno do ano 800.
  12. Este bispo é ausente no catálogo de Poitiers. Existe na Gallia christiana e entre os autores que dele dependem; de acordo com Duchesne, pode ter sido um bispo, mas não de Poitiers.
  13. Segundo Duchesne, em seu epitáfio indica o dia da morte, mas não o ano (op. cit., p. 86). A última menção a ele é de 848.
  14. Este bispo é ausente no catálogo de Poitiers. Existe na Gallia christiana e entre os autores que dele dependem, com base em uma tradição, não documentada, segundo a qual antes de ocupar a sé de Bourges, Frotier é tido como bispo de Poitiers.
  15. Philippe Balleos é o último bispo referido no antigo catálogo de Poitiers.

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar