Arquidiocese de Reims

A Arquidiocese de Reims (Archidiœcesis Remensis) é uma arquidiocese da Igreja Católica situada em Reims, na França. É fruto da elevação da diocese de Reims, eregida no século II. Seu atual arcebispo metropolita é Éric de Moulins-Beaufort e seu bispo-auxiliar é Joseph Boishu. Sua é a Catedral de Notre-Dame de Reims.

Arquidiocese de Reims
Archidiœcesis Remensis
Catedral de Notre-Dame de Reims
Localização
País França
Território Province ecclésiastique de Reims.svg
Dioceses sufragâneas Amiens
Beauvais
Châlons-en-Champagne
Langres
Soissons
Troyes
Estatísticas
Área 6 931 km²
Informação
Rito romano
Criação da diocese Século II
Elevação a arquidiocese Século III
Padroeiro São Remígio
Governo da arquidiocese
Arcebispo Éric Marie de Moulins d’Amieu de Beaufort
Arcebispo emérito Thierry Romain Camille Jordan
Bispo auxiliar emérito Joseph Louis Jean Boishu
Jurisdição Arquidiocese Metropolitana
Outras informações
Página oficial http://catholique-reims.cef.fr/

Possui 76 paróquias assistidas por 155 párocos e cerca de 94% da sua população jurisdicionada é batizada.[1]

HistóriaEditar

A diocese de Reims é mencionada pela primeira vez em um texto sobre o concílio de Arles de 314 e, portanto, provavelmente eregida no século III, como atesta a tradição, que ela foi fundada no ano 250 ou 260 pelos santos Sisto e Sinício.

No século IV, foi elevada à Arquidiocese metropolitana. Durante o período Merovingiano tinha como sufragâneas Soissons, Chalons, Vermand, Arras, Cambrai, Tournai, Senlis, Beauvais, Amiens e Thérouanne.

Famoso entre os primeiros bispos foi São Remígio, que deu uma porção do território da Arquidiocese para o benefício da ereção da diocese de Laon, que se tornou sufragânea de Reims.

O privilégio histórico dos arcebispos de Reims foi para consagrar o rei da França com o óleo da Santa Ampola. Vinte e cinco reis foram consagrados, de Luís VIII a Carlos X. O privilégio foi confirmado por um breve do Papa Silvestre II na 999. Silvestre II foi arcebispo de Reims.

Em 1023, o bispo de Reims Ebles de Roucy adquiriu a municipalidade, que entre 1060 e 1170 foi elevada à categoria de um ducado do Pariato da França.

Em 1089, é dado para os arcebispos de Reims também o título de Primaz da Gália Bélgica. São também legati nati da Santa Sé. Entre os privilégios civis tinham o direito de cunhar moeda e manter guardas armados. Em uma eleição, faziam uma visita às dioceses sufragâneas, onde a chegada do Metropolita tornava feriado, os dignitários civis e eclesiásticas vinham para reverenciá-los, os prisioneiros eram libertados e exilados readmitidos.

Em 12 de maio de 1559 Cambrai foi elevada à arquidiocese metropolitana, saindo da jurisdição da arquidiocese metropolitana de Reims, juntamente com Arras e Tournai. Ao mesmo tempo, a diocese de Thérouanne foi suprimida e seu território dividido entre três novas dioceses: Boulogne, sufragânea de Reims, Saint-Omer e Ypres.

Após a Concordata com a bula Qui Christi Domini do Papa Pio VII de 29 de novembro de 1801, a arquidiocese foi suprimida e seu território foi dividido entre as Dioceses de Meaux e Metz. O Arcebispo Alexandre-Angélique de Talleyrand-Périgord, não deu a sua demissão, imposta pelo papa, mas apenas em 1816, apesar de a arquidiocese não existir mais.

Um novo acordo assinado em junho de 1817 previa o restabelecimento da arquidiocese. Para isso, foi nomeado em 1 de outubro, como o novo arcebispo de Reims Jean-Charles de Coucy. Mas nunca este acordo entrou em vigor, porque não foi ratificado pelo Parlamento de Paris, de modo que mesmo a nomeação de Coucy foi sem efeito.

Em 6 de outubro de 1822, a arquidiocese foi efetivamente restaurada em virtude da bula Paternae charitatis do mesmo Papa Pio VII, e teve como sufragâneas as dioceses de Amiens, Soissons, Chalons e Beauvais.

Em 8 de dezembro de 2002, com a reorganização da províncias eclesiásticas da França, entraram na província eclesiástica de Reims as dioceses de Langres e Troyes.

PreladosEditar

Nome Período Notas
Arcebispos
85º Éric Marie de Moulins d’Amieu de Beaufort 2018- Atual
84º Thierry Romain Camille Jordan 1999-2018 Arcebispo emérito
83º Gérard Denis Auguste Defois 1995-1998 Nomeado Arcebispo (título pessoal) de Lille
82º Jean Marie Julien Balland 1988-1995 Nomeado Arcebispo de Lyon
81º Jacques-Eugène-Louis Ménager 1973-1988
80º Émile André Jean-Marie Maury 19681972
79º Gabriel Auguste François Marty 1960-1968 Nomeado Arcebispo de Paris
78º Louis-Agustin Marmottin 1940-1960
77º Emmanuel Célestin Cardeal Suhard 1930-1940 Nomeado Arcebispo de Paris
76º Louis-Henri-Joseph Cardeal Luçon 1906-1930
75º Benoît-Marie Cardeal Langénieux 1874-1905
74º Jean-Baptiste-François-Anne-Thomas Landriot 18661874
73º Thomas-Marie-Joseph Cardeal Gousset 1840-1866
72º Jean-Baptist-Marie-Anne-Antoine de Latil 1824-1839
71º Jean-Charles de Coucy 1817-1824
70º Alexandre-Angélique de Talleyrand-Périgord 1777-1816[2] Nomeado Arcebispo de Paris
69º Charles-Antoine de la Roche-Aymon 1763-1777
68º Armand-Jules de Rohan-Guémené 1722-1762
67º François de Mailly 1710-1721
66º Charles-Maurice le Tellier 1671-1710
65º Antonio Cardeal Barberini (iuniore) 1657-1667[3]
64º Henrique II de Saboia-Nemours 1651-1657 Bispo eleito
63º Léonore d'Estampes de Valençay 1642-1651
62º Henrique II de Guise 1629-1641 Bispo eleito
61º Guillaume de Gifford, O.S.B. 1622-1629
60º Louis III de Guise 1605-1621
59º Philippe du Bec 1598-1605
58º Nicolás Cardeal de Pellevé 1591-1594
57º Louis II Cardeal de Guise 1574-1588
56º Carlos Cardeal de Lorena-Guise 1538-1574
55º Robert de Lénoncourt 1509-1532
54º Carlo Domenico del Carretto 15071509 Nomeado Arcebispo de Tours
53º Guillaume Briçonnet 1497-1507 Nomeado Arcebispo de Narbonne
52º Robert Briçonnet 1493-1497
51º Pierre de Montfort de Laval 1473-1493
50º Giovanni Giovenale Orsini 1449-1473
49º Giacomo Giovenale Orsini 1444-1449 Nomeado Patriarca de Antioquia
48º Renault de Chartres 1414-1444
47º Pierre Troussel 1413-1413
46º Simon de Cramaud 1409-1416 Nomeado Bispo de Poitiers
45º Guy de Roye 13901409
44º Ferry Cassinel 1390-1390
43º Richard Picque 1375-1389
42º Louis Thésait 1374-1375
41º Jean de Craon 1355-1373
40º Hugues d'Arcy 1351-1352
39º Jean de Vienne 1334-1351
38º Guillaume de Trie 1324-1334
37º Robert de Courtenay-Champignelles 12991324
36º Pierre Barbet 1273-1298
35º Jean de Courtenay-Champignelles 1266-1270
34º Thomas de Beaumetz 1251-1263
33º Juhel de Manthefelon 1245-1250
32º Henri de Dreux (ou de Braine) 1227-1240
31º Guillaume de Joinville 1219-1226
30º Albéric de Humbert 1207-1218
29º Guy Paré, O.Cist. 1204-1206
28º Guillaume dalle Bianche Mani (ou Guillaume de Champagne) 1176-1202
27º Henrique da França 1162-1175
26º Samson de Mauvoisin 1140-1161
25º Raymond de Martigné 1124-1138
24º Raoul le Verd 1106-1124
23º Gervais de Rethel 1107 Ilegítimo[4]
22º Manasse de Châtillon 1096-1106
21º Renaud du Bellay 1083-1096
20º Elinand de Léon 1081-1083 Ilegítimo
19º Manasse de Gournay 1069-1080
18º Gervais de Belleme (ou de la Roche-Guyon) 1055-1067
17º Guy de Châtillon 1033-1055
16º Ebles de Roucy 1021-1033
15º Arnolfo 998-1021 Pela segunda vez
14º Gerberto d'Aurillac 991-998 Nomeado Arcebispo de Ravena[5]
13º Arnolfo 989-991
12º Adalbarão, O.S.B. 969-988
11º Odelrico 962-969
10º Artaldo 932-961
Hugo de Vermandois 925-949 Ilegítimo
Seulfo 922-925
Erveo 900-922
Fulquério de Reims 883-900
Incmaro de Reims 845-882
Ebbone 816-835
Vulfario 808-816
Turpino 753-800
Milão de Trèves ?-753 Ilegítimo
Arcebispos coadjutores
Gabriel Auguste François Marty 1959-1960
Romain-Frédéric Gallard 1839 Faleceu
Alexandre-Angélique Talleyrand de Périgord 1766-1777
Charles-Maurice Le Tellier 1668-1671
Louis III de Guise de Lorraine 1601-1605
Bispos
28º Abel 744-751
27º Rigoberto 721/722- 717
26º Riolo 675-698
25º Nivaldo 658-672
24º Landone 645-649
23º Angleberto 642-645
22º Leudigisilo 631-641
21º Sonácio 614-626
20º Romulfo 590-593
19º Egídio 565-590
18º Mapínio 549550
17º Flávio 535- 536
16º Romano ?-535
15º Remígio 459-533
14º Benádio ?-459
13º Barnaba 421-430
12º Berácio 408-420
11º Nicácio 400-407
10º Severo ?
Vivêncio ?-395
Donáciano ?-389
Materniano 368-?
Discolio 344-?
Aperio 320-?
Betausio 314-?
Amando ?
Sinício 300-?
Sisto 290-?
Bispos auxiliares
Bruno Ann-Marie Feillet 2013-2021 Nomeado Bispo de Séez
Joseph Louis Jean Boishu 2003-2012 Bispo auxiliar emérito
François Gourguillon 1991-2003
André Jean René Lacrampe, Ist. del Prado 1983-1988 Nomeado Bispo prelado de Pontigny
Henri Désiré Delrue 1979-1982
Guy Alexis Herbulot 1974-1978 Nomeado Bispo de Corbeil
André Gustave Bossuyt 1971-1974 Nomeado Bispo prelado de Pontigny
Georges-Stanislas-Jean Béjot 1955-1971
Ernest Neveux 1914-1938
Augustin Marre, O.C.S.O. 1900-1922
Etienne Blanquet de Rouville 1828-1838
Henri Hachette des Portes, O. Carm. 1755-1772 Nomeado Bispo de Glandèves
François-Joseph Robuste de Laubarière 1729-1754
Guillaume Gifford, O.S.B. 1617-1622 Elevado à Arcebispo
Jacques Hanot, O. Praem. 1546-1551
Jean de Rainieres, O. Cist. 1541-1546
Pierre Lanisson (Lavisson), O.S.B. 1517-?
Abel de Saint-Brieuc, O.P. 1483-?
Raoul Paris 1477-?
Toussaint Castellani, O. Carm. 1455-1483
Administradores apostólicos
Jean Cardeal de Lorraine 1532-1538
Humberto de Viennese, O.P. 1352-1355

FontesEditar

Referências

  1. Dados de 2004.
  2. Não deu a demissão em 1801, como imposto pela bula Qui Christi Domini do papa Pio VII, que suprimia a arquidiocese; em 1 de outubro de 1817 foi nomeado arcebispo de Paris.
  3. Nomeado pelo rei francês em 24 de junho de 1657, foi confirmado pela Santa Sé somente 10 anos mais tarde.
  4. Candidato do rei que anulou a eleição de Raoul le Verd em favor de Gervais, o qual foi condenado no concílio de Troyes em 23 de maio de 1107
  5. Em seguida é eleito papa com o nome de Silvestre II.