Arthur Coningham

Sir Arthur Coningham KCB KBE DSO MC DFC AFC (Brisbane, 19 de janeiro de 1895Triângulo das Bermudas, c. 30 de janeiro de 1948) foi um oficial militar australiano da Força Aérea Real. Ele lutou na Campanha de Galípoli durante a Primeira Guerra Mundial como parte das Forças Expedicionárias Neozelandesas, sendo dispensado por ser considerado incapaz medicamente. Coningham foi para o Reino Unido e juntou-se ao Corpo Aéreo Real, onde tornou-se um ás da aviação. Ele chegou a um oficial sênio da Força Aérea Real pela época da Segunda Guerra Mundial.[1]

Marechal Ar
Sir Arthur Coningham
KCB KBE DSO MC DFC AFC
Nascimento 19 de janeiro de 1895
Brisbane, Queensland,
Austrália
Morte c. 30 de janeiro de 1948 (53 anos)
Triângulo das Bermudas
Progenitores Pai: Arthur Coningham
Cônjuge Nancy Brooks (1932–1948)
Serviço militar
Lealdade  Nova Zelândia
 Reino Unido
Serviço Força Aérea Real
Anos de serviço 1914–1947
Patente Marechal do Ar
Conflitos Primeira Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Condecorações Ordem do Banho
Ordem do Império Britânico
Ordem de Serviços Distintos
Cruz Militar
Cruz de Voo Distinto
Cruz da Força Aérea
Menção nos Despachos (4)
Entre outras

Coningham é mais lembrado como um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento de equipes de controle aéreo avançado para direção de apoio aéreo aproximado, algo que criou enquanto era comandante da Força Aérea do Deserto Ocidental entre 1941 e 1943 e posteriormente como comandante de forças táticas na Normandia em 1944. Coningham aposentou-se após o fim da guerra em 1947 e desapareceu em 30 de janeiro de 1948 junto com todos os passageiros de um avião Avro Tudor IV enquanto voavam sobre o Triângulo das Bermudas.[1]

Referências

  1. a b Orange, Vincent (1990). «A Biography of Air Marshal Sir Arthur Coningham» (PDF). Consultado em 20 de maio de 2017. Arquivado do original (PDF) em 2 de setembro de 2007 
  Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.