Babar (série animada)

(Redirecionado de As Aventuras de Babar)

Babar (As Aventuras de Babar, no Brasil) é uma série de desenho animado franco-canadense baseada numa série de livros francesa do personagem de mesmo nome criado por Jean de Brunhoff. Ela foi produzida pela Nelvana e Nick Jr. Productions, e com a Clifford Ross Company, de 2 de abril de 1989 até 5 de junho de 1991 tendo sua estreia alguns meses antes do lançamento de Le Triomphe de Babar.

Babar
Babar (PT)
As Aventuras de Babar (BR)
Informação geral
Formato série de desenho animado
Género Aventura, comédia
Duração 23 minutos
Criador(es) Jean de Brunhoff (personagens)
País de origem  Canadá
 França
Idioma original francês
inglês
Exibição
Emissora original CBC
Formato de exibição NTSC (480i)
Formato de áudio Estéreo
Transmissão original 2 de abril de 1989 - 5 de junho de 1991
Temporadas 6
Episódios 78
Cronologia
Babar e as Aventuras de Badou (2010 - presente)

No Brasil a série foi transmitida pela TV Cultura em sinal aberto e Nickelodeon em sinal fechado. Em Portugal a série foi emitida em 1991 pela RTP, em 1993/1994 repetiu na SIC e em 2007 voltou para à RTP, mas com uma dobragem diferente.

Em 2010 uma continuação em animação computadorizada com novos personagens foi lançada, Babar e as Aventuras de Badou.

SinopseEditar

Baseada nos livros de Jean de Brunhoff e Laurent de Brunhoff, a série foca a história de Babar, um elefante que acaba se tornando rei. Nas primeiras temporadas as histórias eram centralizadas em Babar contado suas aventuras de infância para seus filhos Pom, Flora e Alexander. Já nas últimas temporadas as histórias passam mais a centralizar nos filhos de Babar.

Nos primeiros episódios é revelado a origem de Babar como ele perdeu sua mãe de um caçador, fugiu para a cidade sendo acolhido por uma velha senhora humana que o educou fazendo-o agir como uma pessoa, além de seu retorno a floresta salvando seus amigos do bando do caçador e sendo coroado rei após a morte do antigo. Ainda nos primeiros episódios é mostrado a criação da cidade de Celesteville, a cidade dos elefantes além das constantes brigas de Babar com seu rival o rei dos rinocerontes Rataxes.

PersonagensEditar

Família de BabarEditar

  • Babar, rei de Celesteville. Ele foi criado na cidade com os humanos após ter sua mãe morta e se perder de seu bando, e foi responsável por transmitir tudo que aprendeu para a floresta criando seu próprio reino. Sendo um rei dedicado, mas atencioso a sua família sempre conta histórias sobre suas aventuras de infância para seus filhos. Possui uma rivalidade com Rataxes, o rei dos rinocerontes, mas no fundo não o odeia. Seus melhores amigos de infância são Zéfiro, Arthur e Celeste, a última se tornando sua esposa depois de ficar adulto.
  • Celeste, a esposa de Babar e rainha de Celesteville, cidade da qual foi batizada em homenagem a ela. Sendo prima e posteriormente esposa dele, na infância frequentemente o acompanhava em suas aventuras ao lado também de seu irmãozinho Arthur.
  • Arthur, o irmão mais novo de Celeste e amigo de infância de Babar. Quando criança assim como Celeste frequentemente acompanhava Babar em suas aventuras.
  • Pom, Flora, Alexandre, e Isabel (aparece primeira vez no episódio bebê à vista.), os filhos de Babar e Celeste.

Amigos de BabarEditar

  • Madame (a Velha Senhora), uma senhora humana que foi responsável por adotar e cuidar de Babar na infância após ele ter sua mãe morta pelo caçador. Eles se conheceram na cidade da qual Babar passou a morar até atingir certa idade e voltar para a floresta. Depois ela ajuda Babar na construção de Celestiville, passando a ter sua própria casa. Babar demonstra fortes sentimentos por ela desde o dia que a conheceu. Seu nome nunca foi revelado na série.
  • Zéfiro, um macaco que é o melhor amigo e companheiro de Babar.
  • Cornelius, o mais velho e sábio dos elefantes, e primeiro-ministro de Celestiville. Ele juntamente de Pompadour é um dos conselheiros reais de Babar.
  • Pompadour, outro dos conselheiros de Babar e ministro financeiro. Ele age como um cavalheiro britânico orgulhoso e com classe, sempre andando com o nariz empinado além de usar uma peruca branca. Está sempre andando com Cornelius.
  • Trompadour, assistente de Pompadour, nunca fala uma palavra, mas é muito eficiente.

Família de RataxesEditar

  • Rataxes, o rei dos rinocerontes e rival de Babar. Ele sempre tenta ser melhor que ele, além de tentar tomar posse de seu reino sendo o principal antagonista do desenho, mas em alguns momentos ele se mostra ser um cara legal.
  • Lady Rataxes, esposa de Rataxes, sempre tenta manter o marido em rédeas curtas. É muita amiga de Celeste;
  • Victor, filho de Rataxes, é o melhor amigo dos filhos de Babar;
  • Basil, o ajudante atrapalhado e eficiente de Rataxes e no fundo seu melhor amigo.

Outros personagensEditar

  • Caçador (sem nome de gente também), um caçador de elefantes que foi antagonista central dos primeiros episódios. Foi ele o responsável pela morte da mãe de Babar além de ter juntado um grupo de caça ao longo dos anos para capturar todos os elefantes do reino sendo detido e dado como morto num incêndio (também no Babar o filme) e fazendo Babar passar a ser rei do elefantes após isso.

ElencoEditar

Personagem   e   Ator Original   Dublador   Dobrador
Babar Gordon Pinsent
Gavin Magrath (criança)
Paulo Celestino Filho

Marcelo Campos (Criança)

Carlos Mucedes
Celeste Dawn Greenhalgh


Tara Strong (Criança)

Renato Márcio

Borges de Barros (Criança)

?
Arthur Stuart Stone Carlos Falat Ricardo Spínola
Pom Bobby Becken Vágner Fagundes Gustavo Machado
Flora Lea Helen Weir
Lisa Yamanaka
José Soares ?
Alexander Stuart Stone
Amos Crawley
Alex Wendel Henrique Feist
Zefíro Jeff Pustil Tatá Guarnieri Ricardo Spínola
Cornelius Chris Wiggins Ricardo Nóvoa
Pompadour Stephen Ouimette Francisco Brêtas
Senhora Elizabeth Hanna Rogério Márcico ?
Lord Rataxes Allen Stewart-Coates Jonas Mello
Lady Rataxes Corrine Koslo Francisco Borges ?
Basil Jonh Stocker Mauro Eduardo Lima Ricardo Spínola
Victor Noah Godfrey Daniel Figueira Gustavo Machado

Mídia: Televisão (Tv Cultura)

Estúdio: Álamo

Direção: Nelson Machado

Tradução: Francisco Brêtas

Locução: Nano Filho


Referências