Asahi Shimbun

O Asahi Shimbun (em japonês: 朝日新聞, transl. Asahi Shinbun, IPA[aꜜsaçi ɕimbɯɴ]) é um dos cinco maiores jornais nacionais do Japão.[1][2] Os outros quatro são: o Yomiuri Shimbun, o Mainichi Shimbun, Nihon Keizai Shimbun e o Sankei Shimbun. A sua circulação que era de 7,84 milhões na edição matinal e 3,07 milhões na edição vespertina em junho de 2010.[3] É o segundo maior jornal do mundo em termos de tiragem. Em primeiro lugar está a sua maior concorrência, o Yomiuri Shimbun.

Sede do jornal Asahi em Tóquio. Prédio projetado por Tadao Ando.

Devido à linha editorial e a produção de artigos, o jornal é considerado como o maior jornal japonês em termos de produção própria [4]. Em termos de consumo diário de notícias, o Asahi se posiciona como o maior jornal japonês em que as pessoas recorrem a verificar informações e acompanhar notícias. Ao todo, 12% das pessoas que consomem notícias diariamente, o fazem por meio do Asahi Shimbun, 1% a mais que a sua maior concorrente, o Yomiuri Shimbun [5].

O jornal possui sucursais e correspondentes em América do Sul (São Paulo), América do Norte (Washington D.C.), Médio Oriente (Dubai) África (Cairo) e Europa (Londres) [6]

Além das sucursais e os correspondentes, o Asahi têm alianças com o International Herald Tribune, que é afiliado ao New York Times. Juntos, eles publicam o International Herald Tribune/The Asahi Shimbun como sua edição em inglês, que substituiu o antigo Asahi Evening News. Asahi também faz parceria com o People's Daily, que é o jornal oficial do Partido Comunista Chinês.

Um dos maiores e mais antigos jornais diários japoneses, o Asahi Shimbun iniciou publicação em Osaka em 25 de janeiro de 1879.

Leitores e público alvoEditar

Os leitores do jornal estão maiormente nas áreas metropolitanas de Tóquio, Osaka e Nagoia. A partir de 2013, não havia nenhuma região em que o Asahi tivesse a maior participação de mercado, ainda assim, ela é lida massivamente em todo o país.[7]. O jornal possui colunas de opinião em que celebridades japonesas como Jiro Akakawa, Rika Kayama, Katsumoto Saotome, Seiichi Morimura e Ken Watanabe já publicaram artigos [8].

DonoEditar

O jornal é um dos braços da empresa The Asahi Shimbun Company, uma das maiores corporações midiáticas do Japão. O conglomerado possui, além do jornal, canais de televisão, revistas e canais de rádio [1].

OnlineEditar

O jornal é um dos mais populares na internet. O tráfego do site o coloca como o segundo jornal mais acessado do país, após o Nihon Keizai Shimbun [9] [10].

Referências

  1. «Gotcha». The Economist. 20 de setembro de 2014. ISSN 0013-0613. Consultado em 16 de abril de 2020 
  2. «Newspaper retracts 'sex slaves' term». BBC News (em inglês). 28 de novembro de 2014. Consultado em 16 de abril de 2020 
  3. «掲載エリアと販売部数:メディアデータ» Japan Audit Bureau of Circulation. adv.yomiuri. Consultado em 16 de abril de 2020. Arquivado do original em 17 de julho de 2011 
  4. 三訂版,世界大百科事典内言及, ブリタニカ国際大百科事典 小項目事典,デジタル大辞泉,百科事典マイペディア,デジタル大辞泉プラス,世界大百科事典 第2版,大辞林 第三版,日本大百科全書(ニッポニカ),精選版 日本国語大辞典,旺文社日本史事典. «朝日新聞(あさひしんぶん)とは». コトバンク (em japonês). Consultado em 4 de agosto de 2020 
  5. «Japan». Digital News Report (em inglês). Consultado em 4 de agosto de 2020 
  6. «国際ニュース:朝日新聞デジタル». 朝日新聞デジタル (em japonês). Consultado em 4 de agosto de 2020 
  7. «掲載エリアと販売部数:メディアデータ». web.archive.org. 19 de março de 2012. Consultado em 4 de agosto de 2020 
  8. «渡辺謙さん「命の投稿」 新聞投書欄に現れた有名人たち:朝日新聞デジタル». 朝日新聞デジタル (em japonês). Consultado em 4 de agosto de 2020 
  9. «Principais sites em Japan - Classificação de sites da SimilarWeb». www.similarweb.com. Consultado em 4 de agosto de 2020 
  10. «asahi.com Competitive Analysis, Marketing Mix and Traffic - Alexa». www.alexa.com. Consultado em 4 de agosto de 2020 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Asahi Shimbun