Associação Médico-Espírita do Brasil

Associação Médico-Espírita do Brasil (AME-Brasil) é uma associação formada em 1995[1] por médicos espíritas do Brasil.[2] A AME-Brasil tem como finalidade o estudo do Espiritismo e de sua fenomenologia, tendo em vista suas relações, integração e aplicação nos campos da filosofia, da religião e da Ciência, em particular da Medicina, procurando fundamentá-la através da criação e realização de estudos e experiências orientadas nessa direção.[carece de fontes?][3]

Também é sua função congregar AMEs estaduais, regionais, municipais, auxiliando em sua atuação, de modo a difundir o movimento médico-espírita nos Estados e colaborar com instituições educacionais, assistenciais e órgãos em geral.[carece de fontes?]

A AME-Brasil deve ainda difundir e preservar o movimento médico-espírita junto a outras classes profissionais liberais e ao público em geral e promover eventos culturais e científicos que levem ao desenvolvimento de seu trabalho.[carece de fontes?]

HistóriaEditar

Até o início da década de 1990, só existiam duas entidades que congregavam médicos espíritas no Brasil: a AME-São Paulo, que foi fundada em 1968, e a Associação Mineira de Medicina e Espiritismo (AMME), de Belo Horizonte (MG), que iniciou suas atividades em 1986.[4] A partir de 1991, as duas associações se empenharam em realizar congressos e palestras,[5] a fim de divulgar a relação entre saúde e espiritualidade aos profissionais da área da saúde e, então, a cada dois anos, os médicos espíritas do Brasil passaram a se reunir em torno de um Congresso Nacional da Associação Médico-Espírita do Brasil, o MEDNESP.[6] Como consequência, vários outros grupos de médicos passaram a fundar associações médico-espíritas em diversas outras regiões do Brasil e do exterior.[7]

Assim, em 17 de junho 1995, ao final do III Congresso Médico-Espírita do Brasil, surgiu a Associação Médico- Espírita brasileira, com representantes de outras Associações já fundadas: Bahia, Distrito Federal, Ceará, Minas Gerais, Paraíba (Campina Grande), Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Santos (SP) e São Paulo.[8][9][10]

Ação contra o abortoEditar

Em 21 de março de 2013, a Associação Médico-Espírita do Brasil divulgou na imprensa uma moção de repúdio ao Conselho Federal de Medicina, que pretendia levar ao Senado uma proposta com posição favorável ao aborto em gestações de até 12 semanas, caso a mãe assim o queira.[11]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Giovana Campos. «Associação Médico-Espírita do Brasil». Consultado em 21 de junho de 2011 
  2. Pernambuco.ig.com.br (31 de maio de 2013). «Maceió sedia nona edição do Médico-Espírita do Brasil». Notícias. Consultado em 21 de junho de 2013 
  3. AME, BRASIL (16 de junho de 1996). «Missão da AME-Brasil». AME-Brasil. Associação Médico-Espírita do Brasil. Consultado em 1 de junho de 2021 
  4. Giovana Campos. «Associação Médico-Espírita do Brasil». Consultado em 21 de junho de 2011 
  5. Gazeta de Alagoas. «O desafio de se levar alma à medicina». Consultado em 22 de junho de 2013 
  6. AMEEES (2013). «O MEDNESP é o maior evento de saúde e espiritualidade de nosso planeta.». Internet. Consultado em 22 de junho de 2013 
  7. AME de Portugal. «A AME-Internacional reuniu-se em São Paulo». Consultado em 24 de junho de 2013 
  8. Julia Nezu. «Entrevista - Dra. Marlene Nobre». O Clarim. Consultado em 21 de junho de 2013 
  9. G1 (26 de agosto de 2008). «Especialista divergem sobre aborto de fetos». Notícias. Consultado em 22 de junho de 2013 
  10. Campos, Giovana (2015). Saúde e Espiritismo: as conquistas de hoje para a medicina do futuro. São Paulo: AME-Brasil Editora. p. 17 
  11. Marlene Rossi Severino Nobre (20 de março de 2013). «Associação Médico Espírita divulga Moção de Repúdio contra posição do Conselho Federal de Medicina». AME-Brasil. Consultado em 21 de março de 2013 

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre o espiritismo ou sobre um espírita é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.