Associação Cívica República e Laicidade

Associação Cívica República e Laicidade,[1] ou somente Associação República e Laicidade, é uma associação sem fins lucrativos, criada em 27 de janeiro de 2003,[2] com o objetivo da promoção e defesa dos ideais republicanos e do princípio da laicidade, conforme consta em seu manifesto, aprovado em 8 de março do mesmo ano pela Assembleia Geral.[1] Em 2004, fez dura crítica à iniciativa de utilizar dos esforços de mais de 50 mil professores, alunos e funcionários à transcrição da Bíblia à mão, sob alegação de que se travava de uma "tentativa de conversão".[3] Em 2005, por influência de suas denúncias, o governo ordenou a remoção de crucifixos das salas de aula em escolas nas quais a exposição de tal objeto religioso era prática comum.[4]

Em 2007, a associação foi contrária às honras cedidas ao então patriarca de Lisboa José Policarpo (1998–2013) nas comemorações oficiais dos 33 anos do 25 de Abril no Parlamento.[5] Em 2016, fez denúncias públicas contra a realização de missas durante o horário letivo em escolas do norte de Portugal.[6] Em 2017 e 2019, fez mobilização à extinção da exibição da mensagem de Natal do patriarca de Lisboa Manuel Clemente na RTP, tendo em visto ser um canal público.[7][8] Do mesmo modo, teceu críticas em 2019 contra o uso do Facebook pelo patriarca para solicitar votos à direita.[9]

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.