Abrir menu principal

Atentado de Sousse

Atentado terrorista de Sousse
Hotel RIU Imperial Marhaba, na Tunísia
Local Porto de El-Kantaoui próximo de Sousse
 Tunísia
Data 26 de junho de 2015 (2015-06-26)
Tipo de ataque tiroteio
Alvo(s) Hotel RIU Imperial Marhaba
Arma(s) Kalachnikov
Mortes 39
Feridos 36
Responsável(is) Estado Islâmico
Suspeito(s) Seifeddine Rezgui

O atentado de Sousse é um atentado terrorista que ocorreu no dia 26 de Junho de 2015 em Sousse, na Tunísia, causando a morte de 39 pessoas. Um homem conhecido como Seifeddine Rezgui[1][2](23 anos) abriu fogo com uma Kalachnikov na praia de um hotel de luxo repleto de turistas estrangeiros; ele foi abatido.[3]

AtaqueEditar

Em 26 de junho de 2015, o Riu Imperial Marhaba Hotel, um complexo turístico de cinco estrelas, de propriedade espanhola, localizado em Port El Kantaoui, na costa do Mediterrâneo, há cerca de dez quilômetros ao norte de Sousse, Tunísia, estava hospedando 565 pessoas, principalmente da Europa Ocidental, ou 77% de sua capacidade.[4] Os turistas do hotel, bem como do Hotel Soviva, localizado nas proximidades, estavam na praia para nadar e tomar sol.[5]

Por volta do meio-dia, Seifeddine Rezgui Yacoubi, 23 anos, também conhecido como Abu Yahya al-Qayrawani,[6] nascido em Gaafour[7] e ex-estudante de aviação da Universidade de Cairuão,[8] estava disfarçado como um turista,[9] quando começou a socializar com os outros e, em seguida, pegou um rifle de assalto Kalashnikov que estava escondido em um guarda-sol e disparou contra os turistas na praia. Ele entrou no hotel, atirando em todas pessoas que via na sua frente.[4] O terrorista foi morto por forças de segurança durante uma troca de tiros.[4][10][11] Todas as balas encontrados foram disparadas da mesma arma; o indivíduo tinha quatro cartuchos de munição. Rezgui tinha falado com seu pai em um telefone celular que ele então jogou no mar pouco antes do ataque; o aparelho foi recuperado.[12]

Um porta-voz do Ministério do Interior disse que eles tinham certeza de que outras pessoas ajudaram o rapaz, mas sem participação direta, proporcionando a Kalashnikov e ajudando Rezgui no local do massacre.[12]

VítimasEditar

Balanço das vítimas - 29 de Junho de 2015
Nacionalidade Mortes Feridos Total Ref.
  Reino Unido 30 24 54 [13]
  Irlanda 3 0 3 [13]
  Tunísia 1 (terrorista) 7 8
  Bélgica 1 3 4
  Alemanha 1 0 1
  Brasil/  Portugal 1 0 1 [14][15]
  Rússia 0 1 1
  Ucrânia 0 1 1 [16]
nacionalidades desconhecidas 2 3 5
Total 39 39 78

A maior parte das vítimas do atentado de Sexta-feira num hotel na estância turística de Sousse, na Tunísia, reivindicado pelo grupo Estado Islâmico, são britânicas, anunciou o primeiro-ministro tunisino, Habib Essid. No que diz respeito "às nacionalidades dos mortos (...), a maior parte é britânica. Depois há alemães, belgas e franceses", disse Essid em conferência de imprensa.[17]

O primeiro-ministro tunisino baixou para 38 o número de vítimas do atentado, precisando que os 39 mortos anteriormente reportados pelo Ministério da Saúde incluíam o atirador, abatido pelas forças de segurança.

Uma turista luso-brasileira de 76 anos morreu também no ataque perpetrado, informou o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário.[18] “A embaixada portuguesa em Tunes acabou de nos confirmar, infelizmente, que há uma cidadã nacional entre as pessoas que foram mortas ontem em Sousse.".[19] Mais tarde o Itamaraty confirmou[15] que esta mesma vítima também tinha nacionalidade brasileira. De nome Maria da Glória Moreira, tornou-se a primeira portuguesa/brasileira vítima de um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico.

ReaçãoEditar

DomésticaEditar

O presidente Beji Caid Essebsi pediu por uma estratégia global contra o terrorismo[20] e visitou Sousse ao lado do primeiro-ministro Habib Essid, que prometeu fechar 80 mesquitas radicalizadas dentro de uma semana.[21] O governo também planeja acabar com o financiamento de certas associações como uma contramedida contra outro possível ataque.[22] Essid anunciou novas medidas antiterrorismo, incluindo o envio de tropas de reserva para reforçar a segurança em locais considerados "sensíveis", como áreas frequentadas por turistas.[23]

Beji Caid Essebsi também classificou os ataques "covardes", prometendo "medidas dolorosas, mas necessárias" para lutar contra o extremismo no país. Ele pediu uma resposta firme: "Nenhum país está a salvo de terrorismo e precisamos de uma estratégia global de todos os países democráticos."[23]

InternacionalEditar

Condenações e condolências foram dadas por representantes de vários países, como Alemanha, Egito, Índia, Irã, Israel, Malásia, Estados Unidos, Reino Unido, Bélgica, Rússia, Brasil, Portugal, entre outros.[24]

Ver tambémEditar

Referências

  1. CHAABANE Maher (29 de Junho de 2015). «Attentat de Sousse : Seifeddine Rezgui avait au moins un complice, selon le MI». Webdo.tn. Consultado em 29 de Junho de 2015 
  2. AFP (29 de Junho de 2015). «A deriva do assassino de Sousse para o jihadismo». O Público. Consultado em 29 de Junho de 2015 
  3. «Ataque a hotel na Tunísia mata 27 pessoas». O Público. 26 de junho de 2015. Consultado em 26 de junho de 2015 
  4. a b c Siddique, Haroon; Jalabi, Raya (26 de junho de 2015). «Terror attacks: deadly gun assault on Tunisia tourist beach – live updates». The Guardian. Consultado em 26 de junho de 2015 
  5. Elgot, Jessica (26 de junho de 2015). «Deadly attack on Tunisia tourist hotel in Sousse resort». The Guardian. Consultado em 26 de junho de 2015 
  6. «Seifeddine Regui alias Abu Yahya al-Qayrawani has been named by Islamic State as the gunman». Express.co.uk. 26 de junho de 2015. Consultado em 26 de junho de 2015 
  7. «L'attaque terroriste contre un hôtel à Sousse: Ce qu'il faut savoir sur son auteur» (em French). Mosaique FM. 26 de junho de 2015. Consultado em 27 de junho de 2015 
  8. «Tunisia massacre gunman identified». The Irish Times. 28 de junho de 2015. Consultado em 28 de junho de 2015 
  9. Amara, Tarek (26 de junho de 2015). «Gun attack kills at least 28, including Europeans, at Tunisian beachside hotel». Reuters. Consultado em 26 de junho de 2015 
  10. «Deadly attack on Tunisia tourist hotel in resort of Sousse». The Guardian. Consultado em 26 de junho de 2015 
  11. «Tunisia attack on Sousse hotels 'kills 37'». BBC News. Consultado em 26 de junho de 2015 
  12. a b «Tunisia hotel shooting video: Dramatic footage appears to show gunman Seifeddine Rezgui running on Sousse beach». The Independent. Consultado em 29 de junho de 2015 
  13. a b ELGOT Jessica; WALKER Peter; DAVIES Caroline e MCDONALD Henry (28 de Junho de 2015). «Tunisia beach attack: the victims». the Guardian 
  14. «Uma portuguesa entre as vítimas do atentado na Tunísia - Portugal - DN». DN 
  15. a b «Mulher com cidadania brasileira está entre vítimas de atentado na Tunísia». Consultado em 30 de junho de 2015 
  16. Ukrainian woman injured in attack on Tunisia resort, life not in danger - Foreign Ministry
  17. Maioria das vítimas são turistas britânicos Portugal RTP
  18. WONG Bárbara Wong e RIBEIRO Félix (27 de Junho de 2015). «Portuguesa entre as vítimas do atentado na Tunísia». O Público. Consultado em 29 de Junho de 2015 
  19. Portuguesa morta nos ataques em Sousse Portugal TVI24http
  20. Ensor, Josie; Henderson, Barney (26 de junho de 2015). «Tunisia attack: deadly shooting in front of tourist beach hotel in Sousse – latest». The Daily Telegraph. Consultado em 26 de junho de 2015 
  21. yahoo.com: "Tunisia government says to close 80 mosques for inciting violence, after hotel attack", 26 de junho de 2015
  22. dw.com: "Tunisia to close 80 mosques following terror attack", 27 de junho de 2015
  23. a b ibtimes.com: "Tunisia Hotel Attack: Prime Minister Vows To Close 80 Mosques Spreading 'Venom' In The Country", 27 de junho de 2015
  24. «Tunisia attack: National minute's silence for UK victims». BBC News. Consultado em 29 de junho de 2015 
  Este artigo sobre a Tunísia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.