Atentado do Camp Shaheen em 2017

O ataque do Camp Shaheen foi um ataque terrorista ocorrido em 21 de abril de 2017, durante a Guerra no Afeganistão, liderado por um comando talibã contra uma base do Exército Nacional Afegão (Camp Shaheen), perto de Mazar-i-Sharif, na província de Balkh. O ataque foi o mais mortal em uma base militar afegã desde o inicio da guerra.[1]

DesenvolvimentoEditar

 
Soldados do Exército Nacional Afegão em Camp Shaheen em 2011

O ataque foi realizado contra uma base em Mazar-i-Sharif - Camp Shaheen - sede do 209.º Corpo do Exército Nacional Afegão, por um comando de dez talibãs vestidos com uniformes do exército. Os homens chegam em caminhões e Humvees, conseguem atravessar sete barricadas na entrada da base e se infiltram fazendo os guardas acreditarem que estão transportando feridos na traseira de seus veículos.[2][3][4][5]

O ataque começa no início da tarde, no momento da oração. Dois dos atacantes se explodem no interior da mesquita e os outros iniciam um tiroteio. Os soldados, em sua maioria desarmados, rezando na mesquita ou almoçando no refeitório, foram completamente surpreendidos. [6][5] [7]

O ataque dura cinco horas e termina quando todos os atacantes são neutralizados.[3][7] Trinta conselheiros militares - provavelmente estadunidenses e alemães - também estavam presentes no campo no momento da incursão.[8]

ReivindicaçãoEditar

O ataque foi reivindicado no mesmo dia pelo Talibã em uma declaração do seu porta-voz Zabihullah Mujahib[3], que declarou também que quatro dos atacantes eram simpatizantes do movimento infiltrado no exército.[3][9]

BaixasEditar

Os balanços de vítimas fornecidos logo após o ataque são imprecisos. Em 22 de abril, o Ministério da Defesa informou pela primeira vez mais de 100 mortos e feridos, porém fontes militares da mídia afegã reportaram entre 135 e 160 mortos.[10][5] Uma declaração oficial do exército finalmente anuncia um saldo de pelo menos 140 mortos.[3] Em 25 de abril, um funcionário estadunidense do Pentágono informou anonimamente à AFP que 144 soldados afegãos foram mortos e cerca de 60 ficaram feridos.[8] Os talibãs reivindicaram a morte de 500 soldados.[10] A maioria das vítimas eram jovens recrutas das províncias de Badakhshan e Takhar que foram a Camp Shaheen para receber treinamento militar.[5] [11]

Segundo o Ministério da Defesa, um dos atacantes foi capturado, dois se explodiram, os outros foram mortos a tiros.[12][5]

ConsequênciasEditar

Em 24 de abril, o ministro da Defesa, Abdullah Habibi, e o chefe do Estado-Maior do Exército, general Qadam Shah Shahim, renunciaram, ao mesmo tempo que o presidente afegão Ashraf Ghani nomeou novos líderes para quatro corpos do Exército, entre eles o 209.º.[13][14]

Referências

  1. «Confusion, chaos after Taliban breach Afghan base in deadly attack». 22 de abril de 2017 – via Reuters 
  2. Matin, Abdul; Shalizi, Hamid (22 de abril de 2017). «Mourning declared after scores of troops die in Afghan base attack». Reuters 
  3. a b c d e Julien Bouissou, Les talibans tuent au moins 140 militaires à Mazar-e-Charif, Le Monde, 24 de abril de 2017.
  4. Jusqu'à 140 morts dans l'attaque d'une base de l'armée afghane, Reuters, 22 de abril de 2017.
  5. a b c d e Claire Lesegretain, En Afghanistan, les taliban sèment la mort dans une base militaire, La Croix com AFP, 22 de abril de 2017.
  6. Mashal, Mujib; Rahim, Najim (22 de abril de 2017). «'A Shortage of Coffins' After Taliban Slaughter Unarmed Soldiers» – via NYTimes.com 
  7. a b Sonia Ghezali, Afghanistan: les taliban sèment la mort dans un camp militaire, RFI, 22 de abril de 2017.
  8. a b Afghanistan: 144 morts dans l'attaque des talibans, Le Figaro com AFP, 25 de abril de 2017.
  9. Faiez, Rahim (22 de abril de 2017). «Afghan officials: 100 casualties in Afghanistan attack». ABC News (em inglês) 
  10. a b Les Afghans demandent des comptes à la suite du carnage dans une base militaire, Le Monde com AFP, 23 de abril de 2017.
  11. Afghanistan : carnage des talibans dans l'attaque d'une base militaire, La Dépêche du Midi, 23 de abril de 2017.
  12. Les Afghans veulent faire tomber des responsables après la tuerie des Taliban, France 24 com AFP, 23 de abril de 2017.
  13. Mashal, Mujib; Cooper, Helene (24 de abril de 2017). «2 Top Afghanistan Military Officials Resign After Taliban Attack». The New York Times. ISSN 0362-4331. Cópia arquivada em 26 de abril de 2017 
  14. Afghanistan : démission du ministre de la défense, visite de son homologue américain, Le Monde com AFP, 24 de abril de 2017.