Atiśa Dipamkara Shrijnana (982-1054) foi um renomado e erudito mestre de meditação budista indiano que reintroduziu o Budismo no Tibete após o seu quase desaparecimento sob o reinado de Languedarma.

Atisha
Atisha

Foi abade do grande monastério budista Vicramaxila na época em que o budismo Mahayana florescia na Índia. Foi convidado para ir ao Tibete por Jangchub Ö, o governador de uma região a oeste do Tibete, e sua presença contribuiu para o restabelecimento do budismo naquele país.

É o autor de Luz para o Caminho - Bodhi-patha-pradīpa[1], o primeiro texto sobre as etapas do caminho, o texto original do Lanrim, que acabou tornando-se um dos fundamentos da instrução Lanrim posterior. Sua tradição tornou-se conhecida como Tradição Cadampa. É considerado por alguns adeptos como "O Segundo Buda"

Em 2004, Atisha foi eleito como 18.º no rank da BBC do maior bengali de todos os tempos.[2] [3]

Início da vidaEditar

Vida no palácioEditar

Bicrampur, o lugar mais provável para o local de nascimento de Atisha, era a capital do Império Pala como era dos antigos reinos do sudeste de Bengala. Embora a localização exata da cidade não seja certa, ela atualmente fica no distrito de Munxiganje de Bangladexe e continua a ser celebrada como um centro inicial da vida cultural, acadêmica e política budista. Semelhante a Buda Xaquiamuni, Atisha nasceu na realeza.[4] Seu pai era um rei conhecido como Calianachandra e sua mãe era Seri Prabavati. Rajá Serichandra da dinastia Chandra era seu avô.[5] Um dos três irmãos reais, Atisha atendia pelo nome de Candragarba durante a primeira parte do a vida dele. Na verdade, não foi até que ele viajou para Guge e encontrou o Rei Jangchup Ö (984–1078) que ele recebeu o nome de Atisha.[6]

EstudosEditar

De acordo com fontes tibetanas[7], Atisha foi ordenado na linhagem Mahāsāṃghika aos vinte e oito anos de idade pelo abade Xilaraquesita e estudou quase todas as escolas budistas e não-budistas de seu tempo, incluindo ensinamentos de vixenuísmo, xivaísmo, hinduísmo tântrico e outras práticas. Ele também estudou os sessenta e quatro tipos de arte, a arte da música e a arte da lógica e realizou esses estudos até os vinte e dois anos. Entre as muitas linhagens budistas que ele estudou, praticou e transmitiu as três principais linhagens foram a Linhagem da Ação Profunda transmitida por Asanga e Vasubandhu, a Linhagem da Visão Profunda ' transmitido por Nagarjuna e Candrakīrti, e a Linhagem da Profunda Experiência transmitida por Tilopa e Naropa.[8] Diz-se que Atisha tinha mais de 150 professores, mas um deles era Dharmakīrtiśrī.[9] Outro professor notável durante seu tempo em Vikramashila foi Ratnākaraśānti.[10]

EscritosEditar

Seus livros incluem:

  • Bodhipathapradīpa (em tibetano: Wylie: byang chub lam gyi sgron ma)[11]
  • Bodhipathapradipapanjikanama (seu próprio comentário em tibetano: Wylie: byang chub lam gyi sgron ma) [12]
  • Charyasamgrahapradipa contém alguns kirtan versos compostos por Atisha.
  • Satyadvayavatara
  • Bodhisattvamanyavali
  • Madhyamakaratnapradipa
  • Mahayanapathasadhanasangraha
  • Shiksasamuccaya Abhisamya
  • Prajnaparamitapindarthapradipa
  • Ekavirasadhana
  • Vimalaratnalekha, uma carta sânscrita para Naiapala, rei de Mágada.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Atisha

FontesEditar

  1. Tibetan Buddhist Ecnciclopedia,(em inglês) http://tibetanbuddhistencyclopedia.com/en/index.php?title=Bodhipathaprad%C4%ABpa, acesso em 17 de maio de 2022
  2. «Listeners name 'greatest Bengali'language=en-GB»  14 de Abril 2004. Acesso em 24 de Fevereiro de 2018
  3. «The Daily Star Web Edition Vol. 4 Num 313». The Daily Star (em inglês)  data de acesso 24 de fevereiro de 2018
  4. (em inglês) Maha Bodhi Society, The Maha Bodhi, Volume 90, p. 238.
  5. «Janata Bank Journal of Money, Finance and Development» (PDF). Janata Bank. p. 54  data de acesso 18 de novembro de 2020
  6. TSONGKHAPA, Je. Lamrim Chenmo - Grande tratado do caminho gradual da iluminação, tradução Plínio Marcos Tsai, Valinhos, Buda, 2021
  7. TSONGKHAPA, Je. Lamrim Chenmo - Grande tratado do caminho gradual da iluminação, tradução Plínio Marcos Tsai, Valinhos, Buda, 2021
  8. Grandes Mestres Kagyu: O Tesouro da Linhagem Dourada por Khenpo Konchog Gyaltsen, Snow Lion Publications, páginas 154-186
  9. Buswell 2014, p. 247.
  10. «Ratnākaraśānti». Enciclopédia do Budismo Online 
  11. ATISHA, Bodhipathapradipa: lâmpada do caminho da iluminação, tradução Plínio Marcos Tsai, Valinhos, ATG - Associação Tathagatagarbha, 2016.
  12. ATISHA, Versos finais bodhipathapradipanamapanjika. tradução Plínio Marcos Tsai, Valinhos: ATG - Associação Tathagatagarbha, 2016.