Atlântico: revista luso-brasileira

Atlântico: revista luso-brasileira resultou do Acordo Cultural Luso-Brasileiro assinado em 4 de Setembro de 1941, no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro. Os dois subscritores, António Ferro, pelo lado português, na condição de diretor do Secretariado de Propaganda Nacional, e Lourival Fontes, do lado brasileiro, na condição de diretor do Departamento de Imprensa e Propaganda, assumiram igualmente a direção bicéfala desta revista, que pretendia reafirmar os pontos de contacto e de partilha entre os dois países. A revista também mostrava ao mundo um Brasil humanista, fruto de miscigenação, e do longo colonialismo português levando-se a cabo a publicação de outros autores literários do Mundo Lusíada.[1]

Atlântico: revista luso-brasileira
Formato (23 cm)
Sede Lisboa Portugal Portugal
Fundação 1942
Director António Ferro e Lourival Fontes

ColaboradoresEditar

Portugueses
Brasileiros
Outros

Ver tambémEditar

Lista de publicações disponíveis na Hemeroteca Municipal de Lisboa em formato digital

Referências

  1. Helena Roldão (12 de Outubro de 2012). «Ficha histórica:Atlântico: revista luso-brasileira (1942-1950)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 25 de Novembro de 2019 

Ligações externasEditar

Atlântico: revista luso-brasileira (1942-1950) cópia digital, Hemeroteca Digital


  Este artigo sobre meios de comunicação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.