Abrir menu principal

Atos 7 é o sétimo capítulo dos Atos dos Apóstolos, de autoria de Lucas, o Evangelista, no Novo Testamento[1] da Bíblia. Ele relata o discurso de Estêvão perante seus acusadores no Sinédrio antes de sua execução em Jerusalém[2][3].

Atos 7
Codex laudianus.jpg
Trecho de Atos dos Apóstolos no Codex Laudianus
Livro Atos dos Apóstolos
Categoria Histórico
Parte da Bíblia Novo Testamento
Precedido por: Atos 6
Sucedido por: Atos 8

Índice

ManuscritosEditar

Atos 7 foi originalmente escrito em grego koiné e dividido em 60 versículos. Alguns dos manuscritos que contém este capítulo ou trechos dele são:

EstruturaEditar

A Tradução Brasileira da Bíblia organiza este capítulo da seguinte maneira[4]:

  • Atos 7:1-53 - A defesa de Estêvão
  • Atos 7:54-60 - A morte de Estêvão

Temas PrincipaisEditar

Discurso de EstêvãoEditar

Estêvão responde aos sumo sacerdotes com um longo discurso repleto de referências ao Antigo Testamento, uma demonstração de sue profundo conhecimento das Escrituras. A estrutura da narrativa pode ser dividida em duas partes.

 
Discurso de Santo Estêvão, tema central de Atos 7.
1447/9. Afresco de Fra Angelico na Cappela Niccolina, no Vaticano.

Estêvão reconta a história de IsraelEditar

Verdadeiro TabernáculoEditar

 
Martírio de Santo Estêvão.
1447/9. Afresco de Fra Angelico na Cappela Niccolina, no Vaticano.

Em seguida, Estêvão começa a contrapor o pensamento tradicional judaico com o ensinamento de Jesus, o que enfurece os sumo sacerdotes. Ele primeiro relata as tentativas de se construir um tabernáculo para ser a "casa de Deus", um ordenamento de Moisés e seguido por Josué até os tempos do rei Davi. Depois, Salomão constrói o Primeiro Templo de Jerusalém (Atos 7:44-47). Neste ponto, Estêvão primeiro afirma que Deus não deseja um templo («Mas o Altíssimo não habita em casas feitas por mãos; como disse o profeta: O céu é o meu trono, E a terra o escabelo dos meus pés; Que casa me edificareis, diz o Senhor, Ou qual é o lugar do meu repouso? Não fez, porventura, a minha mão todas estas coisas?» (Atos 7:48-50)[9]) e termina acusando seus acusadores:

«Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e de ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim como fizeram vossos pais, também vós o fazeis. A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Eles mataram os que dantes anunciaram a vinda do Justo, do qual vós agora vos tornastes traidores e homicidas, vós que recebestes a Lei por ministério de anjos, e não a guardastes.» (Atos 7:51-53)

Martírio de EstêvãoEditar

 Ver artigo principal: Santo Estêvão

Enraivecidos pela acusação do diácono Estêvão, os judeus o levaram para fora da cidade e o apedrejaram. Numa reação que depois se tornaria padrão entre os mártires, Estêvão pediu a Deus que recebesse seu espírito, pediu perdão para seus assassinos e morreu (Atos 7:57-60).

Ver tambémEditar


Precedido por:
Atos 6
Capítulos da Bíblia
Atos dos Apóstolos
Sucedido por:
Atos 8

Referências

  1. «A Formação do Novo Testamento». Portal da Sociedade Bíblica do Brasil 
  2. Halley, Henry H. Halley's Bible Handbook: an abbreviated Bible commentary. 23rd edition. Zondervan Publishing House. 1962.
  3. Holman Illustrated Bible Handbook. Holman Bible Publishers, Nashville, Tennessee. 2012.
  4. «Atos 7, Tradução Brasileira da Bíblia». YouVersion - Life.Church 
  5. Original em Gênesis 11:31Gênesis 35:26.
  6. Original em Gênesis 37:4Gênesis 49:33.
  7. Original em Êxodo 1:7Êxodo 16:35.
  8. Original em Deuteronômio 18:15-19; Êxodo 32.
  9. Uma referência a Isaías 66:1-2

Ligações externasEditar