August Wilhelm Ambros

August Wilhelm Ambros (Mýto, perto de Praga, 17 de Novembro de 1816Viena, 28 de Junho de 1876) foi um compositor e musicólogo austríaco, autor da obra "Geschichte der Musik" (História da Música) em 4 volumes. Foi também professor no Conservatório de Viena.[1]

August Wilhelm Ambros
Nascimento 17 de novembro de 1816
Mýto
Morte 28 de junho de 1876 (59 anos)
Viena
Residência Praha II
Cidadania Áustria-Hungria
Filho(s) Karoline von Ambros, Rafael von Ambros
Alma mater
Ocupação compositor, escritor, musicólogo, professor de música, historiador da música, professor, pianista, crítico de música, procurador
Prêmios
Empregador Conservatório de Praga

VidaEditar

Ele nasceu em Mýto, distrito de Rokycany, Bohemia.[2] Seu pai era um homem culto, e sua mãe era irmã de Raphael Georg Kiesewetter (1773-1850),[3] o arqueólogo musical e colecionador. Ambros estudou na Universidade de Praga[2] e foi bem educado em música e artes, que eram sua paixão permanente. Ele foi, no entanto, destinado ao Direito e a uma carreira oficial na função pública austríaca, e ocupou vários cargos importantes no Ministério da Justiça, sendo a música uma diversão.[4]

A partir de 1850, tornou-se conhecido como crítico e redator de ensaios, e em 1860 começou a trabalhar em sua magnum opus, sua História da Música, publicada em intervalos a partir de 1862[5] em cinco volumes, os dois últimos (1878, 1882) sendo editado e concluído por Otto Kade e Wilhelm Langhans.[4]

Ambros foi professor de história da música em Praga de 1869 a 1871.[6] Também em Praga, ele fez parte do conselho de governadores do Conservatório Real de Praga. Em 1872, ele morava em Viena e foi contratado pelo Departamento de Justiça como oficial e pela família do príncipe Rudolf como seu tutor. Por meio de seu trabalho em Viena, ele obteve uma licença de meio ano para deixá-lo viajar pelo mundo para coletar informações musicais para incluir em seu livro de História da Música. Ele foi um excelente pianista e autor de várias composições que lembram Felix Mendelssohn.[4]

Ambros morreu em Viena, Áustria, aos 59 anos.

TrabalhosEditar

Livros[7]Editar

  • Die Grenzen der Musik und Poesie. Eine Studie zur Ästhetik der Tonkunst, (Os limites da música e da poesia. Um estudo sobre a estética da música) Praga 1856
  • Der Dom zu Prag (Catedral de Praga), Praga 1858
  • Das Conservatorium in Prag. Eine Denkschrift bei Gelegenheit der fünfzigjährigen Jubelfeier der Gründung (O Conservatório de Praga. Um memorando por ocasião do 50º aniversário da fundação), Praga 1858 (versão online)
  • Culturhistorische Bilder aus dem Musikleben der Gegenwart (Imagens culturais e históricas da vida musical contemporânea), Leipzig 1860 – 2. Aufl. 1865 (versão online)
  • Geschichte der Musik (História da musica)
    • I. A música da Grécia Antiga e do Oriente. Wroclaw 1862.
    • II. A. Os primórdios da arte ocidental europeia. B. O desenvolvimento do canto polifônico regular. Wroclaw 1864.
    • III. A. O tempo dos holandeses. B. A música na Alemanha e na Inglaterra. C. Música italiana do século XV. Wroclaw 1868.
    • IV. [Música na Itália de Palestrina até cerca de 1650]. "Fragment", Leipzig 1878.
    • V. Obras de argila selecionadas dos mestres mais famosos dos séculos XV e XVI. Editado por Otto Kade com base em partituras que ficaram inacabadas. Leipzig 1882.
    • Índice de nomes e assuntos. Criado por Wilhelm Bäumker. 1882
  • Bunte Blätter. Skizzen und Studien für Freunde der Musik und der bildenden Kunst (Folhas coloridas. Esboços e estudos para amigos da música e das artes visuais). (versão online - Digitalen Bibliothek Mecklenburg-Vorpommern)
    • [Vol. 1]. Leipzig 1872.
    • Novo episódio [vol. 2]. Leipzig 1874.
    • Folhas coloridas [dois volumes em um; apenas os ensaios sobre música, ed. por Emil Vogel.] 1896.
  • Dois legados musicais. Pressburg e Leipzig 1882.

ArtigosEditar

Uma bibliografia dos numerosos ensaios, estudos, esboços, etc. que apareceram em revistas e jornais diários (Neue Zeitschrift für Musik, Leipzig; Bohemia, Praga; Abendpost, Neue Freie Presse, Viena, etc.) ainda está faltando; seria importante porque, de acordo com o auto-testemunho de Ambros (Bunte Blätter I, VI f.), artigos de periódicos anteriores e páginas de destaque só foram incorporados em suas próprias coleções de uma forma fortemente reformulada. No momento, a Universidade de Viena está trabalhando em uma edição histórico-crítica de seus ensaios e resenhas musicais dos anos de 1872 a 1876.

Composições[8]Editar

Ambros escreveu canções, música de câmara, peças de caráter e sonatas para piano, bem como numerosas obras inéditas, como as óperas Libuša's Prophecy, Břetislav a Jitka, aberturas para peças de Kleist, Calderón e Shakespeare, duas missas, um Stabat Mater e duas sinfonias. Ele foi um dos compositores mais respeitados de Praga na década de 1840, mas, com exceção de suas aberturas, não teve muito sucesso fora da cidade.

Referências

  1. «August Wilhelm Ambros | Czech musicologist». Encyclopedia Britannica (em inglês). Consultado em 28 de dezembro de 2018 
  2. a b Blom, Eric(2005)Everyman's Dictionary of Music, Kessinger Publishing. p. 15.ISBN 1-4179-8918-1
  3. Todd. R. Larry. (1991) Mendelssohn and His World, Princeton University Press. p. 304. ISBN 0-691-02715-3.
  4. a b c Este artigo incorpora texto (em inglês) da Encyclopædia Britannica (11.ª edição), publicação em domínio público.
  5. Lang, Paul Henry. (1997) Music in Western Civilization, W. W. Norton & Company. p. 987. ISBN 0-393-04074-7.
  6. Meinong, Alexius & Adler, Guido (1995) Eine Freundschaft in Briefen Alexius, Rodopi. p. 8. ISBN 90-5183-867-0.
  7. Details zu den Auflagen und Nachweis der Digitalisate bei Wikisource. Dort auch ein detailliertes Inhaltsverzeichnis
  8. Eine Liste der nachweisbaren Kompositionen bei Wikisource


  Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.