Augusto Fraga

Augusto Fraga (Lisboa, 18 de setembro de 19106 de janeiro de 2000) foi um cineasta português.

Augusto Fraga
Nascimento 18 de outubro de 1910
Lisboa
Nacionalidade Portugal Português
Morte 6 de janeiro de 2000 (89 anos)
Ocupação Cineasta
Cônjuge Carmen Mendes (até 2000)

Durante a década de 1930, foi jornalista, crítico e ilustrador cinematográfico; director da revista Cinéfilo (1938-1939); colaborador dos títulos Imagem, Animatógrafo e Mundo Gráfico [1] (1940-1941) com o artigo "Hollywood não faliu", nº 84 de 30 de Março de 1944. Nos anos 40 foi redactor de O Século, até ao encerramento deste jornal, e no suplemento Êxito do Diário de Lisboa.

Entre 1946 e 1947 esteve em Espanha, onde realizou curtas-metragens e foi argumentista, actividade que prosseguiu na rádio na década de 1950.

Obtém grande sucesso com os filmes O Tarzan do 5º Esquerdo e Sangue Toureiro.

A partir de 1976 passou a escrever para o teatro de revista.

FilmografiaEditar

  • Traição Inverosímil (1970);
  • As Ilhas do Meio do Mundo (Documentário) (1966);
  • A Voz do Sangue (1965);
  • Vinte E Nove Irmãos (1964);
  • ABC a Preto E Branco (Documentário/curta) (1964);
  • Uma Hora de Amor (1962);
  • Um Dia de Vida (1961);
  • Angola (Documentário) (1961);
  • Raça (1961);
  • Terra Ardente (Documentário) (1960);
  • Terra Mãe (Documentário) (1960);
  • O Passarinho da Ribeira (1958);
  • Prisões de Vidro (Documentário) (1958);
  • O Tarzan do 5º Esquerdo (1958);
  • Sangue Toureiro (1958);
  • Paisagem Atlântica (Documentário) (1947);
  • Fado do Emigrante (Documentário) (1940).

Referências

  1. Jorge Mangorrinha (Junho de 2014). «Ficha histórica: Mundo Gráfico(1940-1948)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 14 de Janeiro de 2015 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.