Aung San

Bogyoke Aung San (birmanês: ဗိုလ်ချုပ် အောင်ဆန်း; 13 de fevereiro de 1915 – Yangon, 19 de julho de 1947) foi um estadista, nacionalista, revolucionário e político birmanês fundador do Tatmadaw (Forças Armadas de Myanmar) e considerado o "Pai da Nação" da moderna Myanmar, onde serviu como Primeiro-Ministro de 1946 a 1947.

Aung San
Nascimento 13 de fevereiro de 1915
Natmauk
Morte 19 de julho de 1947 (32 anos)
Rangum
Sepultamento Martyrs' Mausoleum
Cidadania Myanmar
Progenitores
  • Suu
Cônjuge Khin Kyi
Filho(s) Aung San Oo, Aung San Suu Kyi
Irmão(s) Ba Win
Alma mater
  • Universidade de Yangon
Ocupação político, militar
Prêmios
Comando Exército Nacional da Birmânia
Assinatura
Aung San Signature.svg

BiografiaEditar

Foi responsável por reaver a independência da Birmânia, que estava sob o domínio Britânico, mas foi assassinado seis meses antes de recuperar a soberania da nação. Apesar disso, é reconhecido como o principal arquiteto da independência do país, sendo amplamente admirado pelo povo birmanês mesmo após sua morte. Ele também é pai de Aung San Suu Kyi e fundou milícias inspiradas no fascismo japonês em 1942.[1]

Durante o período da ocupação japonesa da Birmânia, Aung San foi treinado pelo exército invasor e integrou as forças da Minami Kikan.[2]

Sua filha, Aung San Suu Kyi, foi laureada com o Nobel da Paz em 1991 devido a sua "luta pacífica pela democracia e direitos humanos".[3] Atuava como política, ocupando o cargo de Conselheira de Estado de Myanmar, sendo deposta num golpe militar no dia 1° de fevereiro de 2021.

Referências

  1. Myanmar’s new president might not be Aung San Suu Kyi, but he does represent progress
  2. Louis Frederic; Álvaro David Hwang. O Japão. Dicionário e Civilização. [S.l.]: Globo Livros. p. 782. ISBN 8525046167. Consultado em 1 de dezembro de 2011 
  3. The Nobel Peace Prize 1991. Nobel Foundation.