Abrir menu principal
Aurélio do Carmo
Aurélio do Carmo em 1961
27° Governador do Pará
Período 31 de janeiro de 1961
até 15 de junho de 1964
Antecessor Luís Geolás de Moura Carvalho
Sucessor Jarbas Passarinho
Dados pessoais
Nascimento 31 de janeiro de 1922 (97 anos)
Belém, PA, Brasil
Alma mater Universidade Federal do Pará
Cônjuge 1a esposa :Maria de Lurdes Ciríaco do Carmo(falecida)

2a esposa: Mariete Natalina Sousa do Carmo

Partido PMDB
Profissão Advogado

Aurélio Correia do Carmo (Belém, 31 de janeiro de 1922)[1] é um politico, magistrado e advogado brasileiro. Foi governador do Pará de 1961 até 1964, quando foi deposto pelo golpe militar de 1964 liderado no estado por Jarbas Passarinho e Alacid Nunes.

Foi, também, desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Pará de 1972 até 1985.

BiografiaEditar

Aurélio do Carmo formou-se em direito pela Faculdade de Direito do Pará (atualmente parte da Universidade Federal do Pará) em dezembro de 1944. Paralelamente aos estudos universitários, trabalhou como escriturário do Tribunal de Justiça do Estado do Pará.[1]

Em 1945, após a queda do Estado Novo, filiou-se ao extinto Partido Social Democrático.[1]

Entre 1945 e 1956, exerceu as funções de promotor público da comarca de Castanhal e depois de Belém, assistente judiciário cível, chefe da assistência judiciária, secretário do Ministério Público, delegado de polícia de Belém e corregedor do Departamento de Segurança Pública. Foi chefe de polícia do Pará de 1956 a 1959, durante o governo de Magalhães Barata.[1]

Lançou-se candidato ao governo do Pará em 1960, sendo eleito e tomando posse em 31 de janeiro de 1961. Durante seu governo foram criadas as Centrais Elétricas do Pará (Celpa) e o Banco do Estado do Pará.[1]

Embora tenha apoiado o movimento de 31 de março de 1964, que derrubou o presidente João Goulart, foi chamado a depor, em junho daquele ano, perante uma comissão de investigação sumária. Recusando-se a comparecer, teve seu mandato cassado e seus direitos políticos suspensos por 10 anos pelo presidente Humberto de Alencar Castelo Branco, com base no Ato Institucional Número Um, em 9 de junho de 1964.[1] Em 1966, ingressou no Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Passou a atuar como advogado e foi nomeado desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Pará em 1972, permanecendo nesse cargo até sua aposentadoria em 1985. Depois disso, retornou à advocacia.[1]

Em 2002, foi candidato ao senado pelo PMDB, obtendo 2,06% dos votos e não tendo sido eleito.

Referências

  1. a b c d e f g «Biografia de Aurélio Correia do Carmo». Fundação Getúlio Vargas. Consultado em 31 de outubro de 2016 
  Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.