Autarito

Autarito (m. 238 a.C.) foi um chefe mercenário gaulês às ordens de Cartago.

Autarito
Morte 238 a.C.
Tunes (Civilização cartaginesa)
Cidadania Civilização cartaginesa
Ocupação militar
Causa da morte crucificação

Combateu contra os romanos em Agrigento, Sicília, durante a Primeira Guerra Púnica, e durante esta, permaneceu fiel a Cartago quando os seus companheiros desertaram em massa para as filas romanas.

Finalizada a Primeira Guerra Púnica, e de volta na África, converteu-se num dos líderes da revolta mercenária (241 a.C.). Liderou um contingente de aproximadamente dois mil mercenários gauleses e combateu junto a Spendios contra o exército cartaginês de Amílcar Barca durante a Guerra dos Mercenários.

Os seus dotes de oratória e os seus conhecimentos da língua fenícia convenceram os rebeldes para que assassinassem Giscão e os emissários cartagineses,[1] ato que realizaram com extrema crueldade.

Bloqueado por Amílcar no desfiladeiro de "A Serra", rendeu-se aos cartagineses junto a Spendios e Zarza, o Africano. Foi crucificado com eles diante das muralhas de Tunes, a capital dos mercenários controlada por Mathô (238 a.C.).[2]

BibliografiaEditar

  • SMITH, William (editor); Dictionary of Greek and Roman antiquities, [1], Boston. Reimpr. em Londres por: C. Little, and J. Brown, 1870 cf. Matho, vol 2, (em inglês)
  • SANTOS YANGUAS, N. V. «La guerra inexpiable: la rebelión de los mercenarios en Cartago». Historia 16 (em espanhol) (170). 0210-6353 

Referências

  • SMITH (1870), pp. 971–972,
  • SANTOS YANGUAS (1990), pp. 67–77
  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em castelhano, cujo título é «Autarito».

Ver tambémEditar