Autogoverno

Autogoverno é a capacidade de uma pessoa ou grupo de exercer todas as funções necessárias de regulação sem a intervenção de uma autoridade externa.[1][2][3] Pode referir-se à conduta pessoal ou a qualquer forma de instituição, como unidades familiares, grupos sociais, grupos de afinidade, entidades jurídicas, entidades industriais, religiões e entidades políticas de vários graus.[3][4][5] O autogoverno está intimamente relacionado a vários conceitos filosóficos e sociopolíticos, como autonomia, independência, autocontrole, autodisciplina e soberania.[6]

No contexto dos estados-nação, o autogoverno é chamado de soberania nacional, que é um conceito importante no direito internacional. No contexto da divisão administrativa, um território autônomo é chamado de região autônoma.[7] O autogoverno também está associado a contextos políticos em que uma população ou demografia se torna independente do domínio colonial, governo absoluto, monarquia absoluta ou qualquer governo que eles percebam que não os representa adequadamente.[8] É, portanto, um princípio fundamental de muitas democracias, repúblicas e governos nacionalistas. O termo "swaraj" de Mohandas Gandhi é um ramo dessa ideologia de autogoverno.[9] Henry David Thoreau foi um grande proponente do autogoverno em vez de governos imorais.

A Groenlândia, um território autônomo do Reino da Dinamarca, é autogovernada desde 2009[10] (foto: Nuuk, Groenlândia)

Referências

  1. Rasmussen 2011, p. x–xi.
  2. Sørensen & Triantafillou 2009, pp. 1–3.
  3. a b Esmark & Triantafillou 2009, pp. 29–30.
  4. Sørensen & Triantafillou 2009, p. 2.
  5. Sørensen & Torfing 2009, p. 43.
  6. Rasmussen 2011, p. x.
  7. Ghai & Woodman 2013, pp. 3–6.
  8. Berlin 1997, pp. 228–229.
  9. Rasmussen 2011.
  10. Greenland in Figures 2012 (PDF). Greenland in Figures. [S.l.]: stat.gl. ISBN 978-87-986787-6-2. ISSN 1602-5709. Consultado em 10 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 13 de novembro de 2012 

FontesEditar

  • Bird, Colin (2000). «The Possibility of Self-Government». American Political Science Association. The American Political Science Review. 94 (3): 563–577. JSTOR 2585831. doi:10.2307/2585831 
  • Sørensen, Eva; Triantafillou, Peter (2009). «The Politics of Self-Governance: An Introduction». The Politics of Self-Governance. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-7546-7164-0 
  • Esmark, Anders; Triantafillou, Peter (2009). «A Macro Level Perspective on Governance of the Self and Others». The Politics of Self-Governance. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-7546-7164-0 
  • Sørensen, Eva; Torfing, Jacob (2009). «The Politics of Self-Governance in Meso Level Theories». The Politics of Self-Governance. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0-7546-7164-0 
  • Weller, Marc; Wolff, Stefan (2005). Autonomy, Self-governance and Conflict Resolution: Innovative approaches to institutional design in divided societies. [S.l.: s.n.] ISBN 0-415-33986-3 
  • Ghai, Yash; Woodman, Sophia (2013). Practicing Self-Government: A Comparative Study of Autonomous Regions. [S.l.: s.n.] ISBN 978-1-107-01858-7 
  • Young, Carl (2018). «Plato's Concept of Liberty in the Laws». Imprint Academic. History of Political Thought. 39 (3). ISSN 0143-781X 
  • Laks, André (2007). «Freedom Liberty and Liberality in Plato's Laws». Social Philosophy and Policy. 24 (2): 130–152. doi:10.1017/S0265052507070197 
  • Berlin, Isaiah (1997). Hardy, Henry; Hausheer, Rodger, eds. The Proper Study of Mankind. [S.l.]: Chatto & Windus. ISBN 978-0374527174 
  • Casson, Douglas John (2011). «Freedom, Happiness, and the Reasonable Self». Liberating Judgment: Fanatics, Skeptics, and John Locke's Politics of Probability. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0691144740 
  • Rasmussen, Claire Elaine (2011). The Autonomous Animal: Self-governance and the Modern Subject. [S.l.]: University of Minnesota Press. ISBN 978-0816669561